A ERGONOMIA é uma especialidade da engenharia biomédica, que estuda o ser humano como uma notável máquina, que consome combustível (alimento) e produz trabalho (todo e qualquer movimento), analisando suas ações, esforços e alcances.

Antropometricamente, avalia a fadiga física e psíquica, desenvolvendo regras para prevenção individual e coletiva.  Muitos autores desenvolveram teses sobre estas ciências, normalmente aplicadas na indústria, aos veículos, equipamentos,…

No caso do Motor home, a feliz união do veículo com a “casa”, reunindo muitas e diversas funções no mesmo habitáculo, merece um melhor cuidado na aplicação da Ergonomia.Aliás, muitas pessoas confundem ergonomia com mero conforto. E muita propaganda enganosa ilude possíveis compradores, apregoando qualidades ergonômicas em inconvenientes produtos (poltronas, eletroeletrônicos, roupas, calçados, aparelhos de ginástica,..) com interesse exclusivamente no lucro da venda.

Nossa casa rodante deve ser projetada para proporcionar os prazeres de sua conveniente utilização.  Devemos sempre evitar adaptar nosso corpo às dimensões do motor home e sim planejá-lo para atender a nossa fisiologia.  Todas as dimensões (bancos, teto, mesa, cama,..) devem ser dimensionados em conformidade com a individualidade do nosso corpo.  Os esforços e alcances aos comandos, armários, geladeira,… devem ser avaliados e planejados.

A inobservância ergonômica na utilização do motor home poderá ter desagradáveis consequências, que podem ser físicas ou psicológicas.

Dentre as físicas, destacamos as patologias lombares (região baixa da coluna) e cervicais (pescoço), decorrentes de quando mal sentados, deitados ou ortostáticos (em pé); as tendinites em repetição de ações com extremos em torção ou desalinhamento (mãos, pés,..), as auditivas por excesso ou constância de ruído (motor, falha aerodinâmica, pneus, sons “musicais” em alto volume), fadiga visual por óculos desajustados ou incorretos, falta de iluminação ou ofuscamento e outras.

As decorrências psicológicas, muitas vezes atreladas às físicas, são os comportamentos forçados ou induzidos a repetir situações estressantes por falta de planejamento ou opções presentes (irritar-se, mesmo inconscientemente ao executar algumas tarefas repetidas), obrigar-se a postergar a solução de problema crônico (acionamento ou alcance de controle, …), assim como outras situações que vão induzindo as glândulas supra-renais a secretarem corticóides e adrenalina,  as quais, em excesso alteram o funcionamento de órgãos vitais (coração, cérebro, trato digestório…).

Como normalmente o Motor Home é adquirido já pronto, muitas adaptações são mais difíceis de serem executadas, submetendo seus ocupantes às penosas decorrências.   Mas, considerando a grande incidência de dorsalgias (dores na coluna) nos usuários dos Motor Homes, tenho observado que sempre há possibilidade de atenuar tais incorreções. Também tenho constatado alturas inconvenientes de mesas, pias de lavar louças, impróprios erguimentos de pesos, flagrantes falhas posturais (em pé, sentado ou deitado), dificuldade nos alcances e falhas anatômicas de ferramentais (utensílios de cozinha, montagem de cama ou mesa, …)
As flexões ou torções de coluna são sempre prejudiciais, severamente agravados quando incorporados às cargas, situação esta muito comum ao transportar quaisquer pesos (panelas, calços de rodas,  acessos de objetos nos baús,…)

Alguns analgésicos combinados com anti-inflamatórios podem diminuir ou até suprimir os acessos dolorosos da coluna vertebral, situação até inconveniente, pois não havendo dor, manter-se-ia a falha postural, agravando a patologia como indolor, tornando uma situação crônica e de penosa restauração.

Concluindo, todos os cuidados ergonômicos são imprescindíveis, principalmente na idade dos felizes proprietários de Motor Homes, pois suas renúncias causam transtornos que privam dolorosamente o desfrute da viagem e do convívio.

Darlou D’Arisbo

 

COMPARTILHAR