Tony Lee e sua esposa, casal de australianos, são globe-trotters de motorhome, conhecidos em seu país como os “nômades grisalhos internacionais”.

Viajam há oito anos por quatro continentes em cinco motorhomes que ficam estacionados nos vários países aguardando uma próxima viagem.  Segundo Tony foi a forma mais econômica que encontraram para fazer longas viagens com baixo investimento.

Chegaram à conclusão que é mais barato comprarem motorhomes usados e mais antigos do que despachar um veiculo de um continente a outro, considerando custos de transporte, desembaraço alfandegário além da burocracia de importação e licenças de permanência.  Um veículo com licenciamento local é mais simples para viajar.  Normalmente viajam de 3 a 6 meses em um continente.  Dessa forma podem “seguir o tempo” e não ficarem subordinados às estações do ano não favoráveis a viagens em cada continente.

A idade dos cinco motorhomes varia de 8 a 36 anos e o investimento para a compra dessa “frota” não chega ao preço de um novo, afirma Tony Lee.
Os motorhomes ficam estacionados ao ar livre, mas Tony afirma que toma cuidado para que os painéis solares mantenham carregadas as baterias e assim evita problemas.  Houve uma situação em que o motorhome ficou estacionado por 2 anos, e quando acionou a chave de ignição o motor funcionou imediatamente.  Wow!! exclama.

Foi uma forma que encontrou para deixar seus motorhomes estacionados sem problemas com licenças ou autorizações, pois estão registrados nos respectivos países onde ficam parados.

Recentemente viajaram pela região oeste dos Estados Unidos e, em seguida, por 6 meses na Argentina e Chile.  Estão programando ir para Buenos Aires ainda este ano, e prosseguir viagem pelo Brasil, seguindo depois para Bolivia e Peru.

Sua preocupação é com os limites de permanência no Brasil, tanto em relação ao visto para estrangeiros quanto à estadia do veículo, ainda limitada a 3 meses.  Afirma, com muita propriedade, que o Brasil tem grande variedade cultural e de atrativos turísticos, mas o país é muito extenso e torna-se difícil conhecer em curto período.

Tony Lee viu diversas postagens do Claudio Vinicio, presidente do grupo Gaviões do Planalto, de Brasília, em fóruns internacionais de que participa.  Passou a se corresponder com Claudio e filiou-se ao grupo – primeiro caravanista estrangeiro a participar dos Gaviões.

A experiência do Tony é inédita, e pelo que observa, tem atendido plenamente seu interesse em viajar pelo mundo afora com menos despesas.

Afirma que sua casa na Austrália está alugada e a receita cobre as despesas para guardar os motorhomes e licenciamentos locais, e quando estão em viagem nas estradas, suas despesas, incluindo combustível, equivalem ao que gastariam quando em casa.

Vamos aguardar o casal Lee que poderá conhecer os vários grupos de motorhomes do Brasil e confraternizar com seus participantes.  Será uma rica experiência para todos.  Certamente terá muito que contar e todos muito a aproveitar de sua experiência.

WELCOME Tony Lee.

Luiz Edgar Tostes

Motorhomes do Tony Lee nos diversos continentes

 
Foto do casal Lee em frente à sua casa na Austrália em dez 2006.


Esse foi seu primeiro motorhome – o maior, mais pesado e sem duvida o mais feio, afirma Tony.  Era um ônibus de turismo, ano 1978, que durante 2 anos ele mesmo converteu em confortável motorhome.  Já viajou o equivalente a duas voltas no continente australiano.



Hobby, segundo motorhome e o mais novo, ano 2006. Visto aqui no deserto do Saara.  Já viajou do Saara à Islândia, do calor ao clima gélido.  Quando não está em uso fica estacionado no pátio de um revendedor de VR em Stuttgart, Alemanha.



Airstream 1999. Confortável, bem equipado, é utilizado para viajar pelos Estados Unidos e México.  Fica estacionado no deserto próximo a Los Angeles.

 
OKA 1993, tração nas quatro rodas, fabricado na Austrália para fins militares e de mineração, transformado para acampar.  Tem banheiro, cozinha, bastante espaço de armazenagem, 300 litros de água potável, 300 litros de diesel, internet e TV via satélite, placas solares, aquecimento.  Permite acampar várias semanas de forma independente.  É utilizado pelo casal Lee para suas aventuras fora de estrada na Austrália.



Iveco que pertenceu a outro casal que em 8 anos viajou toda a Europa, Russia, Mongolia, Coréia do Sul, seguindo para Los Angeles e de lá até a Patagonia.  Está na Argentina onde os Lee viajaram durante 6 meses em 2013, e foi “aposentado”, por estar muito usado sendo necessária dispendiosa reforma.



Esse camper está esperando os Lee na Argentina para sua próxima viagem que os levará a Argentina, Uruguai, Brasil, Chile, Peru e Bolivia. 

(*)  Informações e fotos retiradas de e-mails e site do casal Lee.

 

 

COMPARTILHAR
Colunista: Luiz Edgar Tostes

Administrador, diretor da ABRACAMPING, membro do grupo de caravanistas “Gaviões do Planalto”. Campista desde 1970. Além do Brasil, já viajou de motorhome nos EUA, Europa e parte da América do Sul.
leptostes@gmail.com