Pela nossa frente, muitos vinhedos e plantações de frutas cercados por álamos, que davam um charme todo especial àquela paisagem. Toda propriedade parecia uma espécie de floricultura de exposição. Tudo arrumadinho: a estrada, os canteiros, as vinhas, as frutas e uma casa construída de pedras para dar o requinte final. Essa região do norte da Itália até Roma que conhecemos, é muito linda! É tão charmosa quanto às regiões rurais da França e Espanha. Mas, incrível como através de detalhes muito sutis, elas se diferenciam entre si. O mais incrível é que todas elas possuem um fácil acesso a transporte, por mais remota que seja. Não andei em nenhum momento, por esses lugares, em estrada que não fosse asfaltada. Além das estradas, também existe o acesso aos modernos trens, de carga ou os de alta velocidade. Outra coisa para se copiar de lá e colar por aqui.
Florença, já havia visto através de propaganda ou filmes rodados nesta cidade. Mas, quando chegamos lá, ao entardecer, estava próprio para se enquadrar uma foto. Foi de arrancar suspiros. Florença merece nota 10. Vale a pena ficar alguns dias por lá. Estava com pressa e queria alcançar o topo de um monte, que possui um mirante, para conseguir uma bela foto da ponte ”Vecchio” sobre o rio Arno, aproveitando aquela luz. Corre, corre… Vai que dá! Vamos lá GPS, acelera… Chegamos, estacionamos facilmente, ufa! Corremos para tirar a foto. Puf! Sinal de bateria fraco. Mas que coisa! Parecia brincadeira de mal gosto… Tiramos algumas fotos e a máquina fotográfica se desligou completamente. Bem, o jeito era curtir a paisagem e bater o restante das fotos com os olhos, guardando-as na memória… Opa! Lembrei do celular com câmera. Salvamos a pátria! Mais ou menos, né?! A câmera do celular não é lá essas coisas. Mas, fazer o que?!

 Deusdeth Waltrick Ramos

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."