Quando fomos à busca de um lugar para ficar optamos por um gratuito que ficava junto a Eurodisney. Fomos até lá conferir, estava no nosso caminho… Não rolou! Era um pátio de um posto de combustível. Às vezes os catálogos pregam algumas peças também. Deu para ver mais ou menos o que era a Eurodisney. Em minha opinião, pelo que pude ver, é como um BetoCarrero melhorado, maior. Mas, tudo bem! Não era o nosso foco mesmo. Seguimos em direção a zona central de Paris. Lá, havia outra opção.
Chegamos à cidade pela parte onde ficam situados os prédios de empresas, uma zona de negócios. E fomos circundando a cidade. Tal qual ocorria com as demais grandes cidades por onde havíamos passado. Eles transformam seu trânsito, construindo anéis viários, que circundam as cidades, literalmente. Facilita muito isto. Basta entender o esquema. Se bem que com o GPS, não traz receio algum, para quem dirige por esses lugares. Desta forma, já estávamos passeando. Sempre se aproveita tudo. Mesmo a partir da fase da busca por um local para se ficar. Já tínhamos visto o rio Sena e os diferentes tipos de arquitetura dos locais: a parte moderna e a charmosa. Avistamos a parte do Sena, onde ficam os barcos moradia. Muito interessante! Tem neguinho que gosta de viver mareado por lá… hehehe Tudo bem organizado. Nessas grandes cidades eles têm uma técnica de se colocar grandes painéis em alguns pontos ou é para atacar o barulho da rodovia, ou esconder locais que não desejam que sejam vistos, ou ainda para que não distraia quem passa por ali conduzindo algum tipo veículo. Isto é bom! Havia visto desses painéis no Rio de Janeiro colocados na rodovia que sai do Galeão em direção ao centro da cidade. O objetivo lá era para esconder parte da favela e tentar inibir assaltos na própria rodovia (arrastões). Putz! Que decadência! Que diferença de concepção e finalidade! Temos que melhorar isto aqui no Brasil. Não é possível! Essa maldita e injusta distribuição de renda em nosso país resulta neste caos. Isto provoca uma seqüência de mazelas que parecem ser incuráveis. Parece que estamos aguardando uma guerra civil para tomar-se uma atitude digna e definitiva, na tentativa de se erradicar a pobreza de uma vez por todas. Vamos Brasil… Vai que dá!!

  Deusdeth Waltrick Ramos

 

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."