Objeto de grande mistério, a área de São Miguel dos Milagres – AL, é oculta pela direção nacional desde os anos 1980, onde já em uma de suas publicações a mesma já constava na relação de campings, embora como “área rústica”, ou seja, sem instalações e apoios de banheiros, portaria, elétrica e água – fatores que na época não faziam tanta falta, já que muitos campistas eram adeptos do “camping-selvagem”.

Hoje em dia a área possui toda a estrutura padrão CCB, com banheiros, casa de caseiro, elétrica e água. As placas de identificação também são padrão, servindo barracas e RV`s, porém continua sendo negada sua existência quando questionada a direção do CCB.

A área também possui algumas coberturas de sapê para apoio aos barraquistas em sua área de mais ou menos 30.000 m².

Abaixo, confira o mapa, padrão CCB, divulgado pela própria associação em 1980.

 

 

Confira o texto publicado em 1980, pelo próprio CCB sobre a área de São Miguel dos Milagres:

“É difícil de se acreditar que exista no Brasil hoje em dia um local como São Miguel dos Milagres.

Vila pesqueira, a poucos quilômetros da “civilização”, São Miguel dos Milagres mantém todos os “vícios” do século passado.

Para início de conversa se você estiver andando pela vila como quem nada quer, dificilmente deixará de ser convidado para tomar uma água de coco “in natura”. Os motivos do convite, evidentemente, serão dois: a presteza do habitante da região, e a curiosidade em se saber o que o forasteiro deseja na vila.

O que dificilmente conseguiremos, é convencer os que não tiveram o privilégio de conhecer São Miguel dos Milagres

das maravilhas lá existentes. Quêm acreditará que o modesto pescador do local, possui uma casa de frente para um mar mais bonito que o de Copacabana? E o peixe fresco mais barato do que uma dúzia de bananas?

O melhor, no caso, é dar uma de São Tomé: “ver para crer”. E dentro deste princípio, é só armar a bagagem e partir para São Miguel dos Milagres, em especial para a área do futuro camping, que tem uma frente de 100 metros para o mar, e mede em sua totalidade 30 mil metros quadrados.

A área é toda gramada (grama natural) e sombreada por coqueiros.”

Texto Retirado do “Guia do Campista”, CCB – 1980

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."