Cem dias entre céu e mar, é o relato de Amyr Klink de sua travessia do oceano Atlântico a bordo da “lâmpada flutuante” (o apelido que ele deu a seu minúsculo barco à remo), é bem mais o registro de uma façanha esportiva. Uma intensa poesia atravessa todo esse livro: nas conversas com os objetos a bordo e com os dourados e tubarões que lhe fazem companhia, na esplendida visão de uma baleia que surge sob o barco no meio da noite; ou ainda na forma como procura enxergar o tempo, na numeração do cardápio, nas páginas do diário, nos fins de semana, nas dobras da carta, onde ia anotando pacientemente dia-a-dia as agruras e alegrias da viagem. Ao lado da qualidade épica com o meio natural aprendida no convívio com a cultura caiçara do nosso litoral, aliada em seus projetos ao que existe de mais avançado no mundo da tecnologia. E é bem essa mistura de valores tradicionais e ousadia, que sustenta este navegador em seus difíceis desafios.

O Autor (Por Daniela P. Zaccarelli)

7Amyr Klink nasceu em 1955 na capital de São Paulo. Durante sua infância ele passava as férias em Paraty (R. J.) onde despertou seu interesse pelo oceano.    Desde 1965 ele coleciona canoas, as mesmas estão expostas no Museu do Mar de São Francisco do Sul em Santa Catarina. Amyr é economista, formado pela USP e tem pós-graduação em administração pela Universidade Mackenzie.

O esporte sempre esteve presente em sua vida. Foi remador pelo Clube Espéria entre 1974 e 1980. Em 1974 Amyr viajou para a Patagônia de moto. Em 1978 ele remou sozinho em uma pequena canoa de Santos á Paraty. Em 1980 ele velejou entre Santos e Salvador durante 22 dias em um Catamarã. Em 1982 ele velejou entre Salvador, Fernando de Noronha e Guiana Francesa. O objetivo foi pesquisar as correntes marinhas desta área para poder se preparar para seu primeiro projeto audacioso: A viagem solitária a remo pela passagem do Oceano Atlântico.

Em 1984 Amyr foi o primeiro homem a atravessar a passagem do Oceano Atlântico a remo sozinho. Ele deixou a Namíbia na África rumo a Salvador no Brasil. Ele passou cem dias e remou 7.000 km. Esta emocionante viagem pode ser lida no livro “Cem dias entre o céu e o mar”
Em dezembro de 1989 Amyr iniciou p projeto “Inverno na Antártica”. Nesta viagem o navegador passou 642 dias (22 meses) velejando sozinho. Ele cobriu uma distância de 50.000 milhas entre o Brasil e a Antártica a bordo do veleiro Paratii. Ele passou todo o inverno antártico (6 meses) preso no gelo e esta viagem está relatada nos livros “Paratii – entre dois pólos” e “As janelas do Paratii”.

    Em 1992 o aventureiro participou de uma navegação terrestre pela costa brasileira com mais 2 companheiros. Em 1993 ele refez este trajeto, porém agora em uma asa-delta motorizada.

    Amyr casou-se em 1996 com Marina Bandeira e e tem 3 filhas, as gêmeas Tâmara e Laura e a caçula Marininha. Em 1998 o navegador iniciou o projeto “Antarctica 360º”. Ele deu a volta ao mundo pela rota mais curta, porém mais perigosa do planeta, o circulo polar antártico. Durante 79 dias Amyr enfrentou os mais perigosos mares do sul totalmente sozinho a bordo do Paratii. O livro “Mar sem Fim” relata mais esta aventura.

Nos últimos 8 anos Amyr vem se dedicando ao seu mais novo projeto: a construção de uma barco de maior porte, o Paratii 2. Este novo barco é idealizado pelo navegador para ser uma plataforma de trabalho. Com ele, Amyr pretende dar a volta ao mundo por uma rota não convencional, pela passagem nordeste do Ártico, passando pela China e retornando ao Brasil em 2005. Desta vez, o navegador pretende levar tripulação.

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”