Com versões 110V/220V e também 12V (para ligar no carro) os coolers elétricos enchem de esperança os campistas que ouvem falar na primeira vez. Um produto moderno, compacto, que pode ser ligado no carro e na tomada (com adaptador), leve e que livrará os gastos com gelo no camping. Pois não é bem assim.

A diferença principal dos coolers elétricos para os refrigeradores comuns está no sistema de refrigeração. Ao invés do compressor tradicional, os coolers utilizam um sistema denominado “Peltier”. Consiste em uma séria de placas cerâmicas que convertem a energia elétrica em troca de calor de lados opostos. É por isso que quase todos os coolers elétricos possuem também a função “forno” quase nunca utilizada na prática. O problema deste sistema é que não se chega a uma temperatura desejada, principalmente em um país tropical como o nosso. Além disso, o consumo é muito maior do que um frigobar comum, o que torna quase impossível deixá-lo ligado por 24h no carro sem que a bateria do mesmo não acabe.

Portanto, tente avaliar se o “refresco” que o equipamento oferece será suficiente para o seu uso e boas compras… Há tanto os coolers mais tradicionais como das fotos acima, quanto também alguns que parecem muito com frigobares convencionais. Portanto atenção nos preços.

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."