Esticadores
 

Conhecidos mais popularmente como “cordinhas”, os esticadores são um pouco mais do que isso. O conjunto da cordinha com o PRESSIONADOR é que torna os esticadores um dos mais importantes fatores estruturais de uma barraca. Isto mesmo.

Antigamente as barracas familiares estruturais sequer se mantinham de pé caso não fossem fixados os esticadores. Com a chegada das barracas do tipo “iglu” e, mais tarde, as do tipo túnel, esportiva e mesmo as PopUp os esticadores acabaram em desuso por muitos campistas por aparentemente não serem necessários. Um tremendo erro! Apesar destas barracas se manterem perfeitamente armadas sem qualquer amarra, é somente com os esticadores que se chega a uma perfeita estabilidade nos ventos e impermeabilidade em caso de chuvas. Até mesmo o conforto térmico fica prejudicado quando o sobreteto fica apoiado sobre o dormitório.
Definitivamente as cordinhas esticadoras não acompanham a embalagem da barraca a toa. Em tempos de enxugamento de custos, caso não fossem importantes nem viriam no produto. Vamos mais além: Na maioria dos célebres casos de “perrengues” noticiados pelos campistas principiantes alagados na chuva ou rasgados nas ventanias o “esticador” (ou a falta dele) é a maior causa.

O ESTICADOR:

Além da “cordinha” propriamente dita, o esticador é composto também da PRESILHA. Existem diversos tipos e formatos de presilhas, mas todas contém os mínimos e necessários 3 furos. As antigas eram geralmente em formato triangular e as atuais são geralmente finas, compridas e com os furos alinhados. Podem ser metálicos ou de plástico. A presença da presilha se faz necessário exatamente para se regular a tensão exata na cordinha: nem grande demais a ponto de rasgar e nem fraco demais, o que ocorre quando simplesmente esticamos a corda no afastamento e fixação do espeque.

A maneira correta de se aplicar o esticador com presilha é:
1- Arme sua barraca normalmente prestando atenção em todos os elementos e alinhamentos. Estique o sobreteto e prenda-o em TODOS os pontos que foram destinados.

2- Certificando-se do exato alinhamento do sobreteto em relação ao dormitório, amarre a ponta da corda que não possui a presilha no ponto de amarração do sobreteto. Esta amarração poderá ser feita de modo permanente, caso o campista não se oponha. Isto ajuda a não se perder as cordinhas.

3- Com a presilha na outra ponta, a corda passa sequencialmente por cada um dos furos da mesma. Puxe a amarra entre o primeiro (da ponta) e o segundo furo fazendo-o correr até mais ou menos 1/4 do comprimento. 4- Estique a corda no solo (sem fazer tensão ou até mesmo deixando sobrar bem) e finque o espeque até o final.

4- Agora é só puxar a cordinha com uma das mãos trazendo o sobreteto em direção ao espeque e, com a outra mão, deslize a presilha em direção ao sobreteto. Desta forma a presilha correrá livremente no movimento de “esticar”a cordinha, mas ao se chegar à tensão desejada, não mais retornará.

Esta é a função principal da presilha que poderá ser muito prática nos dias subsequentes quando deverá ser revisada após um laceamento natural da corda ou após ventos e chuvas ocorridos.

Apesar de enaltecermos muito a presilha, esta não se faz insubstituível, podendo o esticador ser feito com aranhas elásticas ou mesmo com cordas e nós esticadores, como apresentado abaixo. A recomendação é mesmo não se esticar apenas fincando o espeque e estirando a corda, pois dificilmente haverá um tensionamento perfeito e não haverá maneira de regular nos demais dias.

Acredite. A função dos esticadores em uma barraca possui uma importância imensamente maior do que podemos imaginar. Capriche!

Marcos Pivari


Para a primeira amarração do esticador à barraca, faça um laço permanente na ponta. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Passe pela ancoragem específica a ela na barraca. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Passe a outra ponta dentro do laço … | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


… e estique. Deixe ali para sempre para não perder. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Agora estique a cordinha. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Puxe a corda entre o último e o penúltimo furo do esticador. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Puxe pelo menos até a metade da extensão. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Finque o espeque neste “laço” formado, mas SEM esticar a cordinha. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Deixe uma “barriga” na corda, pois ela será esticada via fivela. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


Puxe a fivela para cima e com a outra mão puxe a barraca para baixo pela corda. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp


A fivela (esticador) deslizará até a tensão desejada. Revise nos dias subsequentes. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

 

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”

  • Raphael

    Ótima matéria, fiquei confuso no começo do texto mas com as fotos deu pra aprender direitinho o processo, de agora em diante usarei na pratica ! Obrigado

  • Tereza Mansur

    Muito obrigada. As cordinhas da minha barraca sempre foram amarradas com nós porque nunca soube como usar 😀