Uma grande discussão no meio do caravanismo é também polêmica. A construção artesanal de motor homes e trailers divide opiniões. De um lado as fábricas que lutam com dificuldade para atender às normas e legislações na transformação e fabricação de veículos de recreação defendem o direito de que todos devam cumprir os requisitos igualmente. Do outro lado estão campistas que alegam o direito de construir seus próprios veículos até mesmo para fugir dos altos preços dos fabricantes. Este alto custo provavelmente provém exatamente do alto custo das empresas que devem cumprir normas, leis trabalhistas, impostos e demais elementos de qualquer indústria. Certo ou errado, deixamos a opinião livre para cada cidadão abrindo até mesmo nossos campos de comentários no final deste artigo. Fato irrefutável é que a nova resolução do DENATRAN nº 699 de 10 de outubro de 2017 vem embarreirar ainda mais a produção do chamado “motor home de fundo de quintal”.

Motor Home na linha de montagem de empresa oficial. | Foto: Marcos Pivari – MaCamp

Não é de hoje que os tais “motor homes artesanais” estão sendo inviabilizados. Os próprios normativos que exigem a emissão do CAT (Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito) atrapalham até mesmo as fábricas e encarroçadoras, pois exigem cada vez mais burocracia.Já há alguns anos os motor homes artesanais ou até mesmo alguns oficialmente fabricados no século passado têm sofrido dificuldades nas transferências de documentação ou até mesmo no registro de novos diante ao DENATRAN.

Motor Home Artesanal. | Foto Marcos Pivari – MaCamp

No mês de outubro de 2017, a Resolução 699 vem atrapalhar ainda mais os planos de quem deseja transformar aquele ônibus ou caminhão antigo na modalidade “faça você mesmo” ou aos muitos que contratam diferentes prestadores de serviço para realizar a transformação. Especialmente o artigo 9, item I delibera:  “Art. 9º Ficam proibidos: I – a fabricação de veículo artesanal do tipo ônibus, micro-ônibus, motor-casa, caminhão, caminhão trator, semirreboque, trator de rodas, trator de esteira, trator misto, chassi plataforma, reboque com Peso Bruto Total (PBT) superior a 750 kg e motocicleta, motoneta, triciclo acima de 300cc.”

A discussão será grande, sabemos, assim como também as interpretações. Nosso intuito aqui no MaCamp é apenas informar. Com esta base, se abre um saudável espaço para se discutir e defender os pontos de vista.

Confira a resolução íntegra logo abaixo:

baixe a edição em PDF

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”

  • rui_svensson

    essa lei faz parte do pacote de maldades de um governo corrupto e que tem a ideologia de que deve servir em absoluto os interesses das grandes empresas em detrimento da maioria da população, até mesmo das pequenas empresas

  • Marcos Cruz

    Sou campista e quero ter a liberdade de construir meu motor hoje a partir de uma Van ou furgão, nem que seja para colocar um colchão inflável e minha barraca na traseira.

  • Luciana Do Rodrigo

    É ridícula essa nossa lei, esse governo que deita e rola em cima do povo brasileiro.
    Na minha opinião as empresas especializadas em motor-home cobram uma verdadeira fortuna pelos seus produtos, um preço muito fora da realidade, não sei que conta eles fazem para chegar nesses valores, se olharmos os preços da matéria prima (marcenaria, elétrica e funilaria), mesmo pagando os melhores profissionais do pais e as maiores taxas pro governo, e difícil chegar nesse preço cobrado…
    O que acontece aqui no Brasil e que se formou um Cartel entre 2 ou 3 fábricas e essa resolução é fruto de uma vaquinha gorda passada a algum ilustre deputado, para blindar ainda mais essas empresas…

  • José Adauto de Souza

    Antes desta resolução qualquer um poderia fazer seu motorcasa, desde que seguisse os trâmites legais para transformar um veículo. Como os trâmites legais não eram cumpridos pelas pessoas físicas, uma vez que a propina resolvia a obtenção do CAT no Detran, o CONTRAN resolveu endurecer. O Bicho pegou!

  • Robson Moreira

    Hê-Hê… Não está escrito que vetou-se a possibilidade de transformar um veículo em motor casa. Disse que não se pode fazer um veículo novo artesanalmente.

  • Marcos Martinelli

    Essa é a principal função do governo: formar cartéis. Telefonia, tv por assinatura, fabricantes de carros, empreiteiras, frigoríficos, etc, etc, etc…

  • Dimas Kachan

    Cartel descarado… Alguém consegue explicar porque a adaptação de um chassi em motor home, custa o dobro de um trailer que demanda muito mais materiais, a começar pelo chassi, rodas, etc..??

  • Janaina B Resende

    Bom… primeiro passo é ler a resolução mas ali diz ‘fabricar’… modificar um veículo é diferente de fabricar…

  • Janaina B Resende

    Uma dúvida… veículo recuperado, que consta como veículo modificado no documento, tem que passar na vistoria e mudar pra MH?