RE: CAIU A LEI DO ABS!!! OS TRAILERS ESTÃO A SALVO

HOME Fóruns Site MaCamp Painel de Notícias MaCamp CAIU A LEI DO ABS!!! OS TRAILERS ESTÃO A SALVO RE: CAIU A LEI DO ABS!!! OS TRAILERS ESTÃO A SALVO

#60492
Odair Teixeira
Odair Teixeira
Participante

Eu acho uma pena não termos ABS nos trailers. Mas a minha opinião é bem particular. Penso que os fabricantes estão olhando somente para o custo adicional no projeto. Deveriam pelo menos apresentar como opcional para os que percebem valor nesta tecnologia. Como estas inovações não são devidamente comunicadas aos clientes destes mercados, estes não percebem e muito menos reconhecem o valor. Se o cliente não percebe o valor, não compra e a indústria não adota. E aí fica como está. Vide a novela da nossa norma de desempenho para construção civil (NBR 15575). Quem conhece, sabe a dificuldade que foi para aprovar o mínimo de requisitos de desempenho, que são básicos para qualquer mercado maduro. Aqui foi um parto de anos, com idas e voltas. Voltando ao ABS, deveriam olhar para o longo prazo, e comunicar aos clientes que isto pode ser uma característica adicional de segurança em comprar um trailer. Além do mais, junto com o ABS é possível adicionar o sistema ESP no mesmo módulo. Isto não é nenhum bicho de 7 cabeças. Há anos este sistema é aplicado na indústria e não é necessário desenvolver nada específico. Até scooter chinês tem ABS hoje em dia. Aliás, as motos já usam ABS há anos e até CG 125 vai ter ABS a partir de 2016 (por imposição da lei). Acho que tudo é complicado neste país porque não temos característica empreendedora e inovadora. Esperamos sempre por imposições das legislações. Coisas típicas de um mercado emergente e ainda nada maduro. Nos mercados abertos e onde a inovação tecnológica é a essência competitiva das empresas, as inovações são mais rápidas do que a criação de leis e obrigações pelo estado. O próprio ABS começou a ser utilizado em veículos nos anos 80 e após 35 anos no Brasil é que se começou a equipar todos os veículos (por imposição da lei). Nós ficamos atribuindo ao governo a função de obrigar o uso e o desenvolvimento de tudo. Não deveria ser assim, porque nos mercados maduros não é. Ter ou não ter ABS em trailers não deveria ser pauta de legislação. Os fabricantes já deveriam ter adotado há anos. Tudo aqui vem com atraso de duas décadas, por força de lei. Ou alguém acha que ABS, ESP, EBD, TC (Controle de Tração) , Airbag e muitos sistemas de segurança ativa foram desenvolvidos por obrigação de lei? Não foram. Foi a competição de um mercado aberto. O TSP (trailer stability Program) esse sim deveria equipar todos os carros, pois é um auxiliar importantíssimo para não causar conflito com o ESP qdo o carro for afetado pelo pendulo do trailer e o ESP pode se confundir e piorar a situação. Enfim, quando estas tecnologias foram reconhecidas como importantes e salvaram muitas vidas, aí sim viraram lei. Acho que fabricar trailers em 2015 sem nenhum sistema de segurança (ABS ou ESP) nos manterá onde sempre estivemos. Lá atrás, bem atrasados. Desculpe o meu desabafo aqui, caros colegas. Evolução tecnológica aqui só acontece quando os mercados maduros consideram quase obsoleta. E não estou falando somente de mercado de camping ou automotivo. Abaixo, um sistema de ESP (Programa para controle de estabilidade) como estes que qualquer carro possui e que é vendido como acessório para instalar em trailers e que resolve o problema de pendulo, sem nenhuma interferência no projeto do trailer ou qualquer outra ação complicada. Abaixo, um estudo de ABS em trailer http://www.mrtrailer.com/a_pic/direclink_abs_for_safer_trailers.htm Neste abaixo, a adição de ESP em um trailer http://www.northcoastcaravans.co.uk/images_alko_atc/alko_atc_brochure_4web.pdf Esta é a minha opinião, que trabalho há 20 desenvolvendo e aplicando tecnologias em diferentes segmentos de mercados no Brasil e me deparo sempre com este tipo de situação. Aqui, só se inova se for obrigado por lei. Senão, fica como está. Se for para o nosso mercado de campismo crescer, que seja sem nenhum sistema de segurança. Quem sabe lá na frente, o mercado mude de opinião. Abraços Eng. Odair Teixeira