RE: Usar ou não o alternador do carro?

HOME Fóruns Caravanismo Trailers Usar ou não o alternador do carro? RE: Usar ou não o alternador do carro?

#60396
Jandir de Teresopolis
Jandir de Teresopolis
Participante

Rafael, desde já avisando que não tenho a capacidade técnica do Odair e do Edintruder, acredito que possa acrescentar algumas coisas, pois fiz o que parece que está pretendendo fazer e estou plenamente satisfeito. Desde o início quando comprei o trailer planejava torná-lo como um MotorHome, na questão autonomia elétrica em viagens. Quase consegui tudo (ficou faltando apenas poder ligar o ar-condicionado). Todo o restante do trailer funciona nas viagens (pernoite em postos) como estivesse plugado em uma tomada. O que foi que eu fiz? 1) Comprei duas baterias estacionárias Freedom DF 3000 (pretendia comprar duas DF 4001, mas não iriam caber no local que eu preparei para instalá-las, por serem muito grandes – elas ficam embaixo do beliche), 2) Um inversor 3000 W (12v para 220v – comprei para 220v porque os equipamentos elétricos que vieram no trailer, quando o adquiri, eram todos 220v – geladeira, lâmpadas, etc…), 3) Um conversor 5000 W automático, com carregador inteligente, 4) Um medidor de carga da bateria. Como isto tudo funciona? Quando eu estou puxando o trailer, tem uma “conexão exclusiva” (não é a tomadinha comum que conecta as setas e a luz de freio do rebocador com as do trailer – é outra tomada independente – tem um fio de bitola grande, que sai do alternador e vai até uma tomada fêmea que está fixada na traseira da pick-up – no trailer tem uma tomada macho que conecto na tal tomada fêmea da pick-up, que também tem um cabo de bitola grande, que vai até as baterias estacionárias) que liga o alternador da F1000 às baterias estacionárias. Assim, as baterias são carregadas enquanto a EFE está ligada e puxando o trailer (posso acompanhar a carga da bateria pelo medidor que foi instalado dentro do trailer). A geladeira (220v) fica o tempo todo ligada durante a viagem, a toda a potência, gelando e fazendo até gelo ou mantendo sorvete no congelador, se for preciso (já viajei tomando sorvete nas paradas). Quando chego em um camping, que pode ter qualquer voltagem (o conversor reconhece a voltagem automaticamente e me fornece saídas 220v e 110v), ligo o trailer em uma tomada e automaticamente o inversor desliga, e o conversor (que tem um carregador) passa ser o responsável pela energia, ao mesmo tempo que mantém as baterias carregadas (que funcionam como um nobreak – se a energia do camping parar, o inversor volta automaticamente a funcionar, fornecendo energia 220v – ele não é como o conversor que fornece 220v e 110v, fornece apenas 220v). Viajei mais de 30 dias em dezembro último, e a geladeira nunca foi desligada. Em qualquer parada para pernoite em posto usava todas as luzes, o chuveiro (aquecedor de passagem), as televisões, carregava celular, usava computador, etc… O trailer era praticamente uma casa normal. UMA OBSERVAÇÃO: não criei nem inventei nada, absolutamente nada. Percebi que alguns motorhomes eram independentes e perguntei como funcionavam. Procurei alguém que soubesse fazer igual, e paguei para fazerem EXATAMENTE o que os motorhomes um pouco mais completos têm. A única diferença é que preciso plugar a tal “conexão exclusiva”, já que no nosso caso de trailer temos dois “veículos” independentes (o rebocador e o trailer). Pretendo fazer um vídeo sobre a autonomia do Cisne nas paradas para pernoite em postos de combustíveis, mas ainda não deu (eu tenho o hábito de dirigir até meia-noite ou uma da madrugada, e só aí parar para pernoitar. Por isso ainda não fiz o vídeo. Quando eu paro para pernoitar a mulher vai rápido para a cama e seu eu resolver fazer um vídeo mostrando como tudo funciona, acho que vou apanhar. Vou tentar na próxima viagem que fizer parar mais cedo e fazer o tal vídeo). No vídeo a seguir dá para ter uma ideia de como faço os pernoites em postos: E no início do próximo vídeo vc pode perceber como as coisas funcionam (o inversor e o conversor estão instalados embaixo do banco, perto da porta, e dá para visualizá-los um pouco no vídeo): Não tenho fotos especificas mostrando os detalhes, mas na próxima, que consegui cortando uma foto do Cisne, dá para ver a tomada macho e perceber a bitola do fio. Observe que a tomada comum (que liga as setas e a luz de freio) é a prateada pequena. A vermelha grande é a tal que faz a “conexão exclusiva”, que comentei acima, que conecta o alternador da pick-up às baterias estacionárias que ficam dentro do trailer, permitindo que estas possam ser carregadas, por aquele, enquanto a EFE estiver funcionando. Acredito ser importante citar que no local onde ficam o inversor e o conversor, e no local onde ficam as baterias, foram instaladas grades de ventilação, que podem ser vistas nas duas fotos a seguir. No nº 1 fica o compartimento onde estão o inversor e o Conversor e no nº2 o onde estão instaladas as baterias. Lembrando que não sei questões ou termos técnicos, estou a disposição para qualquer outra informação, quanto ao funcionamento do Cisne. E lembro mais uma vez: apenas copiei o que os motorhomes fazem, NADA MAIS, apenas acrescentando a ligação (que chamei no texto de “conexão exclusiva”), por motivos óbvios. QUALQUER oficina especializada em manutenção de motorhomes, pelo menos razoável, tenho certeza, é competente para fazer igual, dar a dica de fornecedores de equipamentos, etc… Em Curitiba sei que tem uma boa, que não me lembro o nome, mas sei que é onde o Dardo faz a manutenção do Guanaquito. Basta falar que quer fazer o mesmo sistema dos motorhomes (guardado as devidas proporções, é claro, uma vez que já vi motorhomes com quatro baterias Freedom DF 4001 – o tal banco de baterias que o Odair falou em sua primeira intervenção neste tópico). Este e muitos outros vídeos sobre campismo, você pode assistir clicando AQUI. .