Dicas Preciosas do Campista Adauto >> fonte: http://www.exploratoryvision.com/#!vr—a-hobby/czdl e-mail: adautosouza@globo.com

Glossário ilustrado de termos do
caravanismo/campismo
Por: José Adauto de Souza    FEV/2013
sugestões/inserções/correções envie para adautosouza@globo.com
Permitido o uso/impressão particular. Se usado em publicações, citar a referência
bibliográfica
colaboradores: *01 Jorge Vieira da Silva  Amigos do Rio (Rio-RJ)
*02 Gilberto Stroppa   Grupo Pé na Estrada (Tietê-SP)
*03 Ênio Rosseti   camaradahome.com.br
*04     Guillermo Gustavo Klenner       Vettura Motorhomes
*05      Luiz Carlos M. Jorge  Amigos do Rio (Rio-RJ)
Registro de um dos primeiros motorcasas (autor desconhecido).
AVISO IMPORTANTE
O objetivo deste glossário é difundir o campismo/caravanismo. O material técnico aqui
publicado não tem objetivo de favorecer/propagandear qualquer fabricante ou
representante comercial. Qualquer empresa ou representante pode solicitar ao autor a
inclusão de seu estabelecimento neste glossário, bastando para tal estar
comprovadamente na ativa na área de campismo/caravanismo e ter representatividade
regional. De maneira similar, também pode pedir ao  autor a exclusão de sua
empresa/representação. O autor também não se responsabiliza pela eventual escolha de
um produto/serviço de empresa aqui listada por parte do campista/caravanista. È
responsabilidade do campista/caravanista se informar sobre a idoneidade das
empresas/representantes e sobre a qualidade destes produtos/serviços. A
ABS – sistema de freios antiblocante usado nos veículos a motor
Acampamento selvagem (dry camp) – Ato de acampar em locais sem nenhum recurso de água
ou energia elétrica. No máximo o campista tem à sua disposição um banco de baterias
recarregáveis por painéis solares.
Acomodação (Berth) – Capacidade em número de leitos. Acomodação igual a 4 significa que
existem leitos para 4 pessoas dormirem.
Acoplamento secundário (Secondary Coupling) – Equipamento de segurança que consiste
num cabo de aço ou corrente que vai evitar que o equipamento rebocado se desprenda do veículo
rebocador em caso de quebra do sistema de engate. È exigido pela legislação atual para o caso
de motorcasa rebocando veículo ou veículo rebocando treiler ou carreta-barraca. Procure usar
cabo de aço, que é muito mais resistente que correntes. A corrente agüenta bem pesos estáticos
(parado) mas no caso de trancos os elos arrebentam com facilidade, pois toda a força do tranco é
aplicada num único elo, o último a ser esticado. No caso do cabo de aço o tranco é distribuído
linearmente ao longo de toda sua extensão, o que torna-o muito mais resistente a trancos.
Aço galvanizado – aço que sofreu processo de galvanização, ou seja, foi revestido por metal
mais nobre, geralmente para proteger da corrosão ou para efeitos estético/decorativos.
Adesivagem – processo de colagem de adesivos plásticos nas paredes verticais (laterais, frente
e fundo) de um VR. Os adesivos são normalmente planejados e recortados com o uso de
aplicativos de computador (design gráfico).
Aerogerador – Gerador de energia alimentado pelo vento. Um aerogerador com pás de 120 cm é
capaz de gerar de 250 a 350 w de potência.
Aglomerado – O aglomerado é uma chapa, com miolo composto de resíduos de madeira (pó e
serragem), resina e cola, que após passar por processo de prensa se transforma em painel de
madeira. Utilizado na fabricação de móveis de baixa qualidade montados com cavilhas e cola.
Não é recomendado o uso de pregos e parafusos, devido ao risco de ocorrerem rachaduras. As
suas maiores deficiências são ser pouco resistente à umidade e ser muito apreciado pelos cupins.
Água contaminada – água que não pode ser consumida por pessoas ou animais. Água não
potável.
Àgua potável (Drinking Water)- água que pode ser consumida por pessoas e animais sem
riscos de adquirirem doenças por contaminação da mesma. È também normalmente usada para
banho ou cozinha, armazenada em tanques internos ou fornecida por rede externa. No Brasil é
incomum o uso de água do tanque interno do VR para  ser bebida: normalmente esta água é
usada para banho e limpeza (cozinha, piso, etc), pois na maioria das vezes a fornecida nos
campings não são potáveis.
Água servida (Waste Water ou Grey Water) – Água que foi utilizada na cozinha, limpeza ou
para banho. Deve ser coletada para um tanque de armazenamento interno do VR ou direcionada
externamente para pontos de esgoto com o uso de mangueiras plásticas. Normalmente só os
motorcasas possuem tanques internos para armazenamento de água servida.
Airton Motorhome – revendedor autorizado da Industreiler com sede em São Leopoldo-RS. Veja
site www.airtonmotorhome.com.br .
Alternador – carregador de bateria dos veículos motorizados. Sua eficiência em repor a carga de
uma bateria é baixa, pois opera em tensão máxima de 13.6 volts. Não é recomendado para repor
a carga de uma bateria estacionária ou da casa, portanto use o carregador do VR ou um carregador inteligente para repor a carga da bateria de serviço (bateria da casa). O carregador
pode ser usado também para recarregar a bateria de partida do veículo.
Amortecedor – Peça de veículo automotivo que tem a função de transmitir o mínimo possível das
imperfeições e desníveis do solo à carroceria do veículo como também visa manter a roda em
contato contínuo com o chão.
Ancar – Fabricante de motorcasas que tinha sede em Caxias do Sul-RS.
Angulo de ataque(ou de entrada) – Angulo entre a posição que a roda dianteira toca o solo e o
pára-choque. É importante que este ângulo seja alto para evitar que a frente do VR encavale na
pista. Veja detalhes em http://www.camaradahome.com.br/principal.html , seção MotorHome.
Angulo de saída – Angulo entre a posição que a roda traseira toca o solo e o pára-choque. É
importante que este ângulo seja alto para evitar que a traseira do VR encavale na pista. Veja
detalhes em http://www.camaradahome.com.br/principal.html , seção MotorHome.
Antena de TV – receptor de sinal de TV VHF/UHF ou sinal de satélite. A marca mais difundida
mundialmente para VRs é a Winegard. Ela é operada manualmente (levantar e girar) de dentro do
VR ou com controle remoto (modelo de antena motorizada e automática).

Antenas para sinal de TV Winegard. Veja http://www.transtrailer.com.br/foto/pecas/rmdm61.jpg
Apollo Ônibus –  empresa especializada em peças e serviços para ônibus. Está localizada na
Rua Mário Junqueira da Silva, 1580, Jd Eulina, Campinas-SP. Veja site
http://www.apolloonibus.com.br/index.asp
Aqua Magic – tipo de sanitário (nome fantasia) apropriado para veículos de recreação. Possui
vedação por sistema tampa/anel de borracha e acionamento de jato d’água (flush) por pedal ou
alavanca manual. É moldado em plástico PVC.
Sanitário Aqua Magic – Veja em  http://www.transtrailer.com.br/foto/pecas/magicpedal.jpg
Aqua Kem – Marca de fluido químico biodegradável que ajuda a  dissolver dejetos e diminui a
presença de maus odores. È um desodorizante com neutralizantes químicos. Aquecedor a vento (Blown Air Heating)- Ventilador que sopra sobre filamentos ou dutos
aquecidos, o que permite o aquecimento de uma área.
Aquecedor a diesel *03 – Aquecedor de ar e/ou água alimentado por diesel. É indicado para ser
usado em motorcasas. Veja modelo http://www.webasto.com.br/produtos-e-mercados/veiculos-delazer/pt/html/10495.html , fabricado pela Webasto.
Aquecedor de água (Water Heater) – Equipamento elétrico ou a gás que aquece água para uso
interno no VR (banho, cozinha, etc)
Aquecedor de passagem – O aquecedor de passagem é um equipamento normalmente de uso
doméstico que aquece água. Este mesmo aparelho pode ser adaptado em veículos de recreação.
Para ser acionado, basta que haja fluxo de água passando pelo mesmo: a pressão da água em
fluxo aciona a válvula de abertura de fornecimento do gás e durante alguns segundos no início do
fluxo da água vai ser acionado um dispositivo eletro/eletrônico emissor de faíscas para acender a
chama. Esta chama é direcionada para uma serpentina de cobre que então aquece a água em
fluxo. Veja http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Aquecedor%20de%20passagem.pdf
Área Habitacional (Habitation Area) – Área de estar do VR, na qual as pessoas podem circular,
fazer refeições, se entreter, descansar ou dormir.
Aro (RIM) – parte metálica da roda que acomoda o pneu.
Asa de morcego (batwing) – famosa antena da Winegard para recepção de sinal aberto de TV
VHF/UHF (winegard batwing).
Antena batwing da Winegard. Possui sistema mecânico para levantar e direcionar (girar)
Atrito – o atrito é uma força natural que atua apenas quando um objeto está em contato mecânico
com outro, sendo ambos microscopicamente ou macroscopicamente ásperos. Como exemplo, é a
força que os pneus exercem sobre o solo.
B
Banco de baterias em série e em paralelo. O agrupamento de baterias 12Volts é muito
importante pois permite conseguir aumento da voltagem ou amperagem. Banco de baterias
ligadas em paralelo aumentam a amperagem: soma-se a amperagem de cada bateria para se
conseguir a amperagem final. A amperagem de cada bateria pode ser de qualquer valor, portanto
não é necessário que as mesmas tenham a mesma amperagem. Recomenda-se um máximo de 4
baterias por banco paralelo: acima disto o banco começa a perder eficiência. Em banco de
baterias 12V em série a voltagem é multiplicada pelo número de baterias: 2 baterias 12V em série
terão 24 volts. Dois (2) bancos de bateria em série de mesma voltagem podem ser agrupados em
paralelo para formar um novo banco: nesta caso a voltagem é mantida e deve-se somar a
amperagem de cada banco. Bancos de baterias de voltagem diferentes não podem ser agrupados: são incompatíveis. Você pode agrupar 3 baterias ou mais em série, mas isto não é
feito em VRs porque não existe no mercado equipamentos com voltagem acima de 24V.
Combinação de 4 baterias de 12V/100A: cada duas formando um banco em série e os 2 bancos
em série conectados em paralelo. O banco em série dobra a voltagem (12V 24V) e o banco em
paralelo dobra a amperagem (100 + 100 200A). O resultado é um banco de 24V / 100A.
Barraca (tent)- equipamento normalmente utilizado em camping. Consiste de estrutura fechada
em lona ou tecido plastificado (utiliza-se poliuretano, poliéster e polietileno) e com armação em
metal. As barracas mais modernas (tipo iglu ou igloo) utilizam armação baseada em varetas de
fibra de vidro flexíveis. O polietileno é normalmente utilizado nas peças do piso. Acomodam em
média de 2 a 5 pessoas.
Barraca canadense  – tipo de barraca com armação metálica (esqueleto em aço galvanizado)
com formato de tenda (teto em V).
Barraca Iglu (Igloo)- tipo de barraca com armação baseada em varas de fibra. Possui o formato
de meia laranja. O nome tem correlação direta com as casas (Igloo) dos esquimós do pólo Ártico.
Barra Estabilizadora –  artefato de metal que tem a função de estabilizar movimentos bruscos
eventuais. É muito utilizada nas suspensões dos veículos automotores. Sua principal função é
amortecer movimentos bruscos das rodas quando as mesmas passam por superfícies irregulares
(buracos, quebra-molas, etc). As barras estabilizadoras também ajudam a diminuir a inclinação da
carroceria nas curvas a fim de não se perder estabilidade. O estabilizador normalmente é uma
barra de aço curvada em forma de “U” que é instalada transversalmente no veículo em
suspensões independentes.
Bateria – uma bateria é um dispositivo que armazena energia química e a torna disponível na
forma de energia elétrica. Baterias consistem de dispositivos eletroquímicos com uma ou mais
células galvânicas, células combustíveis ou células de fluxos. Um ciclo de bateria compreende um
descarrego de 100 para 50% de sua capacidade e em seguida um recarrego com retorno aos
100% da carga original. Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Cuide%20das%20baterias.pdf
Bateria auxiliar (Auxiliary Battery ou Leisure Battery)  – Bateria de 12V, similar mas não
idêntica à de um carro (possui carga de ciclo profundo) que serve para alimentar os equipamentos
e luzes de 12 V de um treiler ou motorcasa. O ciclo profundo permite que opere com carga abaixo
de 50% sem perda de eficiência. Veja  bateria estacionária. Nos VRs a bateria auxiliar é
denominada de bateria de serviço ou bateria da casa.
Bateria de partida – é a comum utilizada nos veículos automotores. Possui maior capacidade de
carga para ser usada em tempo curto (para partida de motores, por exemplo). Por outro lado, sua
necessidade de recarga é maior se comparada com as baterias estacionárias, ou seja, mais cedo
necessitará de recarga.
Bateria estacionária – Também denominada bateria de ciclo profundo, pois permite descarregos
maiores que 50% do total da carga. A sua arquitetura, com o uso de placas mais grossas, permite
o uso por equipamentos de consumo estável (sem picos) por um tempo maior, além de permitir
recarga em quantidade maior que as baterias de partida.  Outra peculiaridade das baterias
estacionárias é a capacidade de executar ciclos completos de descarga /recarga em maior
quantidade que as baterias de partida.
Beliche (stacked bunk beds) – arranjo de 2 camas de solteiro na vertical. O acesso para a cama
superior é normalmente feito com o auxílio de uma pequena escada.
Benil Motorhomes – Revendedor autorizado da Industrailer, com sede em Vitória-ES. Veja site
www.benilmotorhome.com.br
Bequilha do treiler – trem de nivelamento com roda que possui macaco manual e fica instalado
na ponta de lança de um treiler.
Bequilha de içamento manual, apropriada para treilers
Big Boy – apelido empregado nos EUA para os motorcasas Classe A.
Boiler – equipamento elétrico ou a gás para aquecimento de água. O elétrico é mais seguro uma
vez que não utiliza gás e também não polui. É prático, pois permite o uso simultâneo em dois ou
mais pontos de saída. O isolamento térmico para manutenção de temperatura interna é feito de
espuma de poliuretano expandido ou manta de lã mineral. A corrente elétrica pode ser suprida por
painel solar.
Bola do Engate (Tow Ball) – bola de metal do engate na qual é acoplada a munheca do cambão. Boléia – O termo boléia tem sua origem no componente das antigas carruagens (área de assento
do cocheiro) e por extensão do sentido passou a designar o habitáculo do veículo aonde vai o
motorista.
Bomba de água (Fresh Water Pump) – Uma vez que as caixas de água de um VR ficam
localizadas em locais baixos (normalmente abaixo do piso), se faz necessário o emprego de
bombas para que a água tenha pressão que permita circulação. Normalmente é de 12 Volts. Veja
detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Bomba_dagua.pdf
Bomba maceradora de detritos (waste pump macerator) – Equipamento com bomba que suga
e macera(esmigalha) detritos imersos em meio líquido. É usada nos VRs (EUA) para evacuar a
carga dos tanques de detritos (pinicão) e de água servida. No Brasil seu uso é pouco comum.
Bomba maceradora 12V da Flojet( campingworld.com ). A Transtrailer vende/instala este produto.
Bomba reserva (backup pump) – Bomba de água reserva. Por ser um item em geral importado
e um dos mais importantes num VR aconselha-se ter uma de reserva.
Bomba Clássica (Classic pump Shurflo
TM
) – bomba de água de 12v e vazão de 2.8 gpm da
Shurflo.
Bomba Premium (Premium pump) – bomba de água de 12v e vazão de 3.5 gpm.
Borne – Pino de chumbo que são os pólos positivo(+) e negativo(-) de uma bateria.
Botijão de gás (Gas Bottle)- Cilindro para gás liquefeito de petróleo.
Box (caixa)  – Nome genérico adotado do Inglês. Normalmente empregado para nominar o
habitáculo do banheiro dos VRs. O padrão normal é que seja fabricado em fibra.
C
Cabo da elétrica (chicote,  rabo de porco ou Pigtail) – Cabo que transfere as conexões
elétricas do veículo rebocador para o rebocado. O acionamento das luzes de
sinalização/advertência no veículo rebocador é transferido simultaneamente para o veículo
rebocado através deste cabo.
Cabo de frenagem (Breakaway Cable) – Cabo de aço auxiliar conectado entre o carro
rebocador e o treiler. Este é um recurso que aciona os freios do treiler quando em movimento no
caso de haver desconexão(quebra) do conjunto veículo rebocador / treiler.
Caixa de gás – caixa em fibra de vidro para acondicionamento de botijão de gás e ferramentas.
Fica normalmente instalada na frente dos treilers. Caixa Térmica (cooler)  – caixa plástica a base de poliproprileno que tem a funcionalidade de
isolamento térmico. Muito usada para conservação de temperatura de alimentos/bebidas.
Calça branca-*02 – caravanista/campista novato na atividade de campismo ou no equipamento.
Calibragem – nível de pressão nos pneus.
Cambão (Hitch) – Equipamento que permite a conexão entre rebocador (veículo ou VR) e
rebocado (VR, automóvel ou reboque). Normalmente pode ser removido com facilidade do veículo
rebocado. A conexão no veículo rebocador é feita na bola do engate.
Câmera de ré – mini-câmera (uma ou mais) que é instalada na traseira do VR e é usada para
facilitar as manobras e acompanhar veículo sendo rebocado. Um monitor de TV é instalado nas
proximidades do volante em local que possa permitir acompanhamento contínuo pelo motorista.
Camper  – VR que é transportado sobre carrocerias de veículos motorizados. Possui os
equipamentos e recursos básicos de um treiler comum. Veja matéria
http://www.transtrailer.com.br/materiacamper.html .
Camper Duaron  – Camper fabricado em fibra de vidro. Veja detalhes deste camper no site
www.camperduaron.com.br ou pelos telefones 47.3522-2812 ou 47.9616-9432.
Camping – local apropriado para receber equipamentos de campistas/caravanistas. Dentre as
facilidades de um camping, as principais são água, energia e banheiros.
Campismo selvagem (boondocking) – prática de campismo onde o local escolhido para
acampar não possui nenhum tipo de facilidade instalada (energia, água, banheiros, etc).
Normalmente é praticado por usuários de barracas e sacos de dormir.
Campismo – Atividade de turismo/lazer/aventura praticada pelo campista com o uso de qualquer
equipamento de camping.
Campista (caravanist ou boondocker) – pessoa que utiliza equipamentos de camping
(motorcasa, treiler, camper, carreta-barraca, barraca, saco de dormir, etc).
Campista de tempo integral (full-timers) – Campista que tem como residência um VR móvel.
Não se aplica aos “roda quadrada”.
Capanema – Fabricante de rodocalibrador automático de pneus.
Capucino – Denominação para os motorcasas classe C em Portugal.
Caravanismo (Caravanning) – Atividade de turismo praticada pelo caravanista com o uso de
equipamentos de camping sobre rodas.
Caravanista (caravanist) – pessoa que utiliza um equipamento de campismo para acomodação
em viagens de turismo. O equipamento pode ser uma carreta-barraca, camper, treiler ou
motorcasa.
Carga estática ou eletrostática – Carga elétrica que permanece presente em corpos metálicos
que foram usados como pólo neutro. Os VRs estão muito sujeitos a este tipo de carga, pois
possuem muitos equipamentos de consumo elétrico que estão aterrados no seu chassis ou
carroceria. Para evitar que este tipo de carga provoque algum dano, quando estacionado procure
usar vara de metal (cobre) ligada ao chassis e aterrada ao solo.
Carga Máxima de Tração(CMT) *04 – Indica a peso máximo que um veículo rebocador é capaz
de tracionar. É um parâmetro estabelecido pelo fabricante do seu chassi, baseado em condições sobre suas limitações de geração e multiplicação de momento de força e resistência dos
elementos que compõem a transmissão.
Carga pessoal (User Payload) – Peso máximo permitido que inclui equipamentos de uso
essencial, equipamentos de uso pessoal, equipamentos opcionais, roupas e mantimentos. Isto
pode ser entendido como qualquer coisa ou objeto que não esteja fixado no VR ou qualquer coisa
ou objeto do qual o veículo não dependa para se locomover. Na prática é a diferença entre o peso
em marcha do veículo e a capacidade máxima de carga do veículo. Também pode ser chamado
de lotação.
Carregador de bateria (Battery Charger) – Requerido para manter as baterias auxiliares
carregadas. Normalmente é operado a partir do conversor/adaptador de voltagem. As baterias
auxiliares podem também ser carregadas pelo alternador do veículo. Menos comum é o uso de
painéis solares, geradores e cataventos para a geração de energia de recarga das baterias. Os
carregadores mais modernos são inteligentes, ou seja, podem ficar ligados o tempo todo à bateria
e só vai carregá-las quando houver necessidade de recarga.
Carregador de bateria inteligente Black&Decker BBC10 (3 estágios, 10 amperes)
Carregador de bateria inteligente – carregador que não requer operação manual. Também
conhecido de carregador de 3 estágios: corrente constante(estágio principal), tensão constante
(estágio absorção) e flutuação (estágio flutuação). Após atingir a fase de flutuação, o carregador
inteligente procura manter a bateria 100% carregada, operando em tensão de até 13.8 volts. Os
mais modernos incluem um quarto estágio, o de equalização, que só pode ser aplicado em
baterias úmidas (condutor eletrolítico ácido). Veja matéria em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Otimizando%20as%20baterias.pdf .
Carreta Barraca (Trailer Tent, Pop Up Trailer ou Fold Down Camping Trailer) – Um híbrido
entre um treiler e uma barraca. A maioria consiste  de uma base rígida sobre rodas e a parte
lateral e teto são de lona. As americanas possuem teto em fibra. As carretas-barraca nacionais
são leves (+-200 kg) e baratas, se comparadas com outros equipamentos de campismo sobre
rodas. Veja o artigo http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Classes%20dos%20VRs.pdf
Carreta barraca CampingCar – similar a Trabucar, sendo que as camas são dispostas
lateralmente em relação ao eixo da carreta. Veja detalhes no site http://www.campingcar.com.br .
Carreta Barraca Camping Star – A carreta barraca mais difundida no Brasil foi (não é mais
produzida) a Camping Star. Consiste numa caixa fechada que ao ser aberta, a parte superior gira
180º ao redor de dobradiças e torna-se piso de sala/quarto. Ao mesmo tempo a parte lonada
arma uma tenda que vai formar um quarto e uma sala/quarto. Um avancê de 4x3m com
fechamento lateral fica disponível para ser montado sobre hastes metálicas, permitindo uma boa
expansão lateral.
Carreta barraca Halley – similar a trabucar. Veja Halley Carretas. Carreta barraca Trabucar – similar a Camping Star, sendo que as camas são dispostas
lateralmente em relação ao eixo da carreta. Veja detalhes no site http://www.trabucar.com.br.
Carreta Chalé – uma variação de treiler para camping com formato de chalé.
Carreta (ou mini-trailer) chalé – veja detalhes em http://www.aliner.com/campers
Carrocerias Quintino – empresa especializada na reforma de carrocerias e ônibus. Está situada
na  Rua Garcia Pires,n 4, Quintino Bocaiúva, Rio de Janeiro-RJ CEP 21311-300, tel 21.3273-1215
Carteira de Habilitação (Driving Licence) – Documento necessário para dirigir um automóvel ou
equipamento motorizado. Felizmente já foi aprovada  a nova Lei que permite que um motorista
Classe B possa rebocar treilers e dirigir Motorcasas até 6000 kg. A categoria C permite dirigir
qualquer Motorcasa que tenha menos de 9 passageiros declarados, excluído o motorista. A
categoria D é necessária se no documento do veículo constar capacidade de passageiros igual ou
maior a 9, exceto o motorista. A categoria C permite rebocar equipamentos de até 6000 kg.
Casacar – Fabricante de motorcasas que já encerrou suas atividades.
Categorias dos VRs – Os veículos de recreação são divididos em 2 categorias: os motorizados e
os rebocáveis. O próprio nome já diz tudo: motorizado é o que tem motor e rebocável é o que
precisa de um veículo motorizado que o reboque. Entre os motorizados estão os motorcasas
Classe A, B e C. Os rebocáveis são os treilers, carretas-barraca e campers.
Castelo Trailers – Tradicional revendedor de VRs que fechou as portas em 2011. Continua ativo
com loja virtual no site www.castelotrailers.com.br . Fone/Fax: (11) 4529-7179 e 7753-5288.
CCB – Camping Clube do Brasil. Veja site www.campingclube.com.br.
Chassis – Armação estrutural metálica sobre rodas sobre a  qual pode ser construída a área
habitacional de um equipamento de campismo. No caso do motorcasa, o chassis requerido deve
ter no mínimo sistema de sinalização, sistema de propulsão, transmissão e rodagem (motor +
transmissão + rodas) e painel de instrumentos. No caso do treiler utiliza-se chassis sem sistema
de propulsão + transmissão.
Chassis cabinado (Chassis Cab) – Veículo base sobre o qual um motorcasa pode ser
construído. A cabine pode ou não ser aproveitada para ser incorporada ao corpo principal (área
habitacional) do motorcasa. Normalmente o chassis cabinado é adquirido para ser convertido em
motorcasa por empresas especializadas. Como exemplo, os chassis Iveco 55C16 e MB Sprinter.
Checklist – termo Inglês na prática muito utilizado pelos brasileiros. É uma lista de itens que
devem ser inspecionados/executados. Checklist para VR – Lista de vários itens a serem verificados/inspecionados antes de uma
viagem de VR. Veja matéria em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Vai%20viajar%20Faca%20um%20checklist%20antes
.pdf
Chicote – veja cabo da elétrica.
Clarabóia ou alçapão – Abertura em forma de janela localizada no teto dos VRs. Tem a função
de permitir melhor ventilação como também servir de ponto de escape em caso de acidente com
tombamento.
Classe A (A-Class) – Tipo de Motorcasa onde a cabine e a área habitacional estão integradas,
sendo normalmente fabricados por empresas que adaptam/convertem chassis de ônibus ou
caminhões de outros fabricantes. Veja matéria em:
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Classes%20dos%20VRs.pdf
Motorcasa Classe A com slide-out (Cortesia: Vettura www.vettura.com.br )
Classe B ( B-Class) – Tipo de motorcasa de porte pequeno (+- 6m) normalmente adaptado em
vans ou furgões. Em Portugal é denominado auto-vivenda.
Motorcasa Classe B (Cortesia: Trailemar www.trailemar.com.br ) Classe C ( C-Class) –  Tipo de motorcasa de porte médio (+- 7m) normalmente adaptado em
chassis cabinado de utilitários/caminhonetes. A principal característica do Classe C é ter uma
cama sobre a cabine.
Motorcasa Classe C (Cortesia:Santo Inácio www.santoinaciomotorhomes.com.br )
Classe dos VRs – Classificação dos veículos de recreação segundo suas principais diferenças.
Veja detalhes em  http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Classes%20dos%20VRs.pdf . Em
Portugal os VRs são chamados de autocaravanas e são classificados como Furgões
Transformados ou auto-vivendas (Classe B), Capucino (Classe C), Perfilados (Classe C sem
cama sobre cabine) e Integrais (Motorcasas classe A).
Classe de velocidade (Speed Rating) – Máxima velocidade admissível para um determinado
pneu. Aparece uma letra na lateral do mesmo. É determinada pelas letras Q, R, S, T , U, H, V, V*,
W, Y e Z. Q admite velocidades até 160 km/h e Z acima de 300 km/h. As outras letras são
intermediárias entre 160 e 300 km/h. Veja maiores detalhes sobre pneus em
http://goodyear.com.br/pneus/cuidando-pneu/lendo/lendo.html
Climatizador – O mais conhecido é o da marca Resfriar. É um sistema de ventilação forçada com
borrifamento de água que é instalado no teto do VR. A água é borrifada sobre uma superfície
porosa e a ventilação forçada faz carrear esta água para o interior de um ambiente. Este artifício
pode baixar a temperatura em até 6 graus. Uma maneira de tornar o processo mais eficiente é
colocar pedras de gelo no reservatório de água do climatizador.
Chaminé de teto – chaminé usada nos tetos dos VRs para exaustão de gases e/ou calor.
Coifa exaustora – veja exaustor.
Coleman – fabricante de equipamentos/acessórios para lazer. Veja www.coleman.com.
Compensado – Chapa de madeira, formada por outras mais finas, coladas com resina e
prensadas, e cujos veios são dispostos perpendicularmente. São feitas a partir de madeira seca, o
que evita deformação. São muito resistentes e mais  flexíveis que as madeiras brutas. Material
muito utilizado na montagem de VRs. A sua maior deficiência é não ser suficientemente resistente
à umidade. Há um declínio no uso dos compensados, que passaram a ser substituídos por
aglomerados e MDF.
Compensado naval – compensado de maior resistência (é mais rígido e resiste melhor à
umidade). A sua maior resistência tem a ver com o emprego de uma linha especial de resinas.
Compressor – Equipamento para comprimir ar que é utilizado nos sistemas de frenagem e nos
rodocalibradores.
Consumo elétrico – Quantidade de energia em watts (w=watts=amperagem  x voltagem)
consumida por um equipamento elétrico. Um equipamento de 10 amperes e 127V vai consumir
1270w de forma contínua. Também pode ser expresso na forma volt x ampére (Ex: 1270 VA).
Conversor (Converter) – equipamento elétrico para corrente alternada (AC) que converte a
voltagem de entrada em voltagem de saída diferente. Normalmente aceita voltagem de entrada 110 ou 220V e a transforma em 12 ou 24V, 110 e/ou 220V. Muito utilizado nos VRs, uma vez que
flexibiliza o uso em regiões de voltagens diferentes como também permite o uso de uma gama de
equipamentos 12/24V comuns em veículos motorizados ou treilers. Alguns conversores também
transformam freqüência (50ç 60 hz). Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/O%20conversor%20no%20seu%20veiculo%20de%2
0recreacao.pdf
Conversor barulhento – o barulho em conversores é uma ressonância mecânica criada por
distorção harmônica. O que acontece é que os conversores AC não são lineares, ou seja, não
produzem um fluxo ordenado e de intensidade constante das cargas elétricas, provocando
diferentes formas de onda que uma vez superimpostas no tempo provocam barulho. Este
fenômeno é muito intensificado se você erra a seleção do valor de entrada da voltagem: caso a
voltagem seja 220V e você selecionar 110V haverá geração de forte barulho no conversor. Neste
caso, desligue imediatamente o conversor antes que  o mesmo ou outros equipamentos
alimentados por ele sejam danificados.
Corrente alternada (AC ou CA) – Todo movimento ordenado de partículas eletrizadas (elétrons)
é denominado corrente elétrica. Quando a intensidade desta corrente varia (fluxo desorganizado)
a corrente é denominada alternada.
Corrente contínua (DC ou CC) – Todo movimento ordenado de partículas eletrizadas (eletrons) é
denominado corrente elétrica. Quando a intensi

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."