Todos sabemos que no Brasil, o trailismo se iniciou na década de 1960 quando a turiscar lançou seu primeiro trailer. Nessa época, o veículo de recreio em questão já era fabricado em larga escala na Europa e Estados Unidos. O Site MaCamp foi pesquisar na história a origem e os fatos que levaram à construção do primeiro trailer.

O trailer pode também ser chamado de “caravana” na língua inglesa e é importante sabermos sua origem. A palavra “Caravana” deriva do Persa “Karwan” que nomeava o comboio de peregrinos mercantilistas que viajavam juntos por razões de segurança. Em termos atuais “caravanas” ou Trailers, como aqui são conhecidos, são originados dos veículos que em toda a história humana foram utilizados como casa ou dormitório mesmo não tendo fins turísticos. Desde a invenção da roda e dos primeiros carros tracionados por cavalo, esses utilizados pelos romanos para fins militares e de transporte de mercadorias, é que se sentiu a necessidade de utilizá-los como abrigos ambulantes que satisfizessem às necessidades de um ser humano. O próprio nomadismo de teatros e circos da idade média contribuiu bastante para adaptação dos primeiros carros com elementos básicos necessários para uma família. Começa daí o uso turístico desses carros.
Já diziam que Napoleão em suas jornadas contava com um carro onde podia dormir, comer, tomar banho e fazer reuniões. O povo cigano e os artistas de circos também guardam histórias de veículos desse tipo, mas concretamente, temos registro do primeiro trailer no final do século XIX

Em 1886 o Dr. Gordon Stables R. N., escritor de contos infantis em Londres, projetou e mandou construir um veículo na Companhia de Vagões Bristol. O primeiro trailer ou caravana era tracionado por cavalos e possuía dois eixos distantes.

O Trailer era dividido em dois compartimentos – sala e cozinha – separados por uma cortina de panos. A sala abrigava um sofá que servia de cama com gavetas que guardavam roupas e cobertores. Abrigava também uma cômoda com um grande espelho, mais uma mesa, um livreiro e até um pequeno piano.

Na parte traseira, ficava a cozinha com pia de mármore, um tanque de água, uma mesa para ser utilizada dentro ou fora do veículo, e outra mesa, pequena, para também servir de cama. Podemos observar que o fato de mesas virarem camas e as mesmas poderem ser utilizadas tanto no interior como fora dos trailers, não é exclusividade de nossos antepassados, sendo assim até os dias de hoje.
O conjunto rebocável chegava a pesar uma tonelada. Seu comprimento era de 9m e possuía 1,65m de largura e 3,3m de altura em relação ao solo. Devido ao seu grande peso, as viagens não ultrapassavam os 25 km em um dia. Na estrada, um pequeno triciclo acompanhava à frente do trailer para avisar aos pedestres a presença do veículo.

Com o início das locomotivas, começaram a aparecer os primeiros trailers sobre trilhos, montados em vagões e usados pelos artistas de circos. Saem de cena problemas de limitações de peso e altura. As miniaturas de habitações custavam mais que uma casa comum.

Por volta de 1920 a tração a vapor, que havia surgido cinco anos antes, substituiu a tração animal.
A indústria trailista tem seu início em 1912 na Inglaterra onde dois anos depois, 50 unidades foram construídas. Eram rústicos compartimentos cobertos por encerados que anos mais tarde ganharam tetos rígidos com clarabóias para iluminação e ventilação. Fleming Williams, piloto inglês da primeira guerra mundial, construiu em 1920 o primeiro trailer com linhas aerodinâmicas inspiradas em aviões. Os anos se passavam e os acessórios se modernizavam, mas como hoje no Brasil, os trailers eram produtos caros, longe das condições de um cidadão comum. Em 1930 saem definitivamente de cena as linhas quadradas dos veículos.
No mundo dos trailers, assim como no mundo tecnológico, as guerras foram importantes alavancas. Com a segunda guerra mundial, muitas indústrias de dedicaram a adaptações desses veículos. Após o período de guerras os trailers se tornaram mais acessíveis e ao mesmo tempo, os campings começaram a ser mais numerosos.

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."