DCIM100MEDIA
 

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE PROPRIETARIOS DE VEÍCULOS DE RECREAÇÃO

I – ENCONTRO – PONTA PORÃ/MS – PARQUE DO SINDICATO RURAL DE PONTA PORÃ
De 16 a 24 de julho de 2016, Rua Cel. Ponce, Centro, Ponta Porã – MS, CEP/79900-000 ·.

O    G R U P O    R O D A M U N D O,
Através da sua Diretoria, convida a todos os seus associados e demais caravanistas  a participarem de nosso IV  encontro de 2016 e o I em Ponta Porã.
O município de Ponta Porã está situado no sul da região Centro-Oeste do Brasil, no Sudoeste de Mato Grosso do Sul (Microrregião de Dourados) e faz divisa com a cidade de Pedro Juan Caballero no país vizinho, Paraguai.

Altitude: 775m
Latitude: 23º32’30″ Sul
Longitude: 55°37’30″ Oeste

 

A origem de Ponta Porã começa com a formação de um povoado denominado inicialmente Punta Porá, que surgiu dentre os campos de Erva-mate. Antes da Guerra do Paraguai, Ponta Porá era apenas uma região deserta no interior do Paraguai habitada somente por algumas tribos de índios, como os Nhandevas e os Caiuás, descendentes do povo Guarani, que viviam em harmonia com a natureza, caçavam, coletavam frutos e pescavam, além do cultivo de pequenas roças. A região era também local de parada de carreteiros que faziam o transporte de erva-mate. Em 1777 uma expedição militar chegou a esta região, tendo como objetivo, explorar o solo. Em 1862 chegou o grupo do tenente militar Antônio João Ribeiro que se fixou na cabeceira do rio Dourados (onde hoje é o município de Antônio João) e fundaram ali a Colônia Militar dos Dourados. Em 1864, época da Guerra da Tríplice Aliança, a Colônia Militar dos Dourados foi destruída pelos paraguaios, onde veio a falecer o tenente Antônio João Ribeiro.

Em 1872, após o fim da Guerra do Paraguai, houve a fixação da região fronteiriça do Brasil com o Paraguai, no qual também constavam os respectivos limites com o Brasil, e que segundo Hélio Vianna, respeitava os convênios da época colonial e reivindicava ao Brasil somente as terras já ocupadas ou exploradas por portugueses e brasileiros. A partir daí a região de Ponta Porã passa a ser possessão territorial brasileira. Em 1880 chega na região o senhor Nazareth, um militar que vem com a missão de comandante e ergue seu acampamento junto à lagoa do Paraguai, onde hoje é a cidade de Pedro Juan Caballero. Em 1882 Tomás Laranjeiras já explora e industrializa a erva-mate em Ponta Porã e exporta para Argentina. Em 1892 chegou ali a Guarnição da Colônia Militar de Dourados para proteger a região. Nesse mesmo ano Ponta Porã começa a tomar seus primeiros impulsos de progresso econômico, com a chegada até ali de muitos migrantes gaúchos, que vieram com a finalidade de praticar a agropecuária eles queriam cultivar a terra e criar gados. Em 1897 é criado o primeiro destacamento Policial em Ponta Porã e nomeado como Comandante o Senhor Nazareth.

Em 1900 Ponta Porã torna-se Distrito de Bela Vista. Em 18 de julho de 1912 foi criado o Município de Ponta Porã, deixando de ser distrito de Bela Vista. No ano seguinte foi instalado o município e toma posse seu primeiro Prefeito, Ponciano de Matos Pereira. Em 1915 o Governador do Estado de Mato Grosso, Caetano de Albuquerque eleva o município de Ponta Porã para a categoria de comarca no ano seguinte, 1916 toma posse o primeiro Juiz de Direito da Comarca de Ponta Porã, Possidônio de Souza Guimarães e o Primeiro Promotor é Henrique Carlos Guatemozim. Em 1919 é criado em Ponta Porã o 11º RC (Regimento de Cavalaria) e instalado no ano seguinte, sendo seu primeiro Comandante o Capitão Hipólito Paes Campos. Em 1943, o Presidente Getúlio Vargas cria o Território Federal de Ponta Porã, tendo como capital a cidade de Ponta Porã e formado também por outros municípios vizinhos. Em 1946 o território é extinto. Em 1977 é criado o estado de Mato Grosso do Sul, a qual Ponta Porã faz parte atualmente.

——————————————————————————————————————
A partir do dia 16/jul/2016, estaremos recebendo nossos associados e convidados para o nosso quarto encontro do ano de 2016.

Programação:
Sábado a sexta-feira – 16 a 22/jul

Das 08 h as 18 h – recepção e acomodação dos equipamentos;
Quarta-feira – 20/07
Na quarta-feira na parte da manhã exposição de nossos veículos em frente ao prédio da governadoria paraguaia, de onde sairemos (as 9 h) para conhecer o Parque Cerro Corá, onde na guerra o Presidente do Paraguai foi morto pelas tropas brasileiras. Iremos acompanhados por um guia em cada RV.
Sexta-feira – 22/07 Na sexta-feira na parte da tarde uma cozinheira Paraguaia irá ensinar as mulheres a fazer: sopa paraguaia, chipa e chipa-guaçu. Estas comidas serão degustadas a noite e em seguida apresentação de danças folclóricas e de um conjunto Paraguaio.
Sábado – 23/07
– A partir das 20h, jantar e baile;
Domingo – 24/07
Dia livre e retorno
——————————————————————————————————————
Preço do pacote (incluído camping):
Associados do Rodamundo e de outros grupos (respeitando acordo de reciprocidade) em dia com a tesouraria: R$90,00 por pessoa;
(Valor de R$90,00 válido acima de 10 anos. Abaixo de 10 anos livre);
Para Associados em débito com a tesouraria de seu Grupo e quem não é associado de nenhum Grupo – R$140,00 por pessoa acima de 10 anos.
—————————————————————————————————————— O Parque fica dentro da cidade com ponto de ônibus em frente e a 600m do OUTLETT (atacadão) da Casa China e a 1200m da Casa China, com ruas todas asfaltadas. (Paraguai – fronteira seca com o Brasil)

Venham nos prestigiar. O Grupo Toa a Toa precisa da presença dos nossos amigos
——————————————————————————————————————
CONTATO –  (67) 3433-5256 ou cel (48)9602-3078

A Diretoria

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."