Para os dias de hoje, as barracas do tipo iglu estão muito presentes na mente de qualquer pessoa e sua forma, leveza e praticidade, atrai muitas pessoas para o campismo. Muitos modelos de muitas marcas existem no mercado e o formato muda um pouco de modelo para outro.

Estas barracas por terem sua estrutura de fibra e as lonas de nylon tornam-se muito leves e confortáveis para carregar, transportar e até guardar em casa, comparando com as antigas Canadense e Bangalô. As varetas desse tipo de barraca são feitas de fibra de vidro e carbono e na maioria das vezes são feitas de material reciclado. Este tipo de armação perde para o tipo metálico quanto à resistência e durabilidade, mas ganham portabilidade na trilha.

O piso dessas barracas é geralmente feito de polietileno e a cobertura externa de nylon. Este fato também faz com que a barraca do tipo iglu perca para os outros pela durabilidade. O nylon é muito mais fino e menos resistente do que as grossas lonas das barracas canadenses e bangalô, porém secam mais rápido e se tornam muito compactas quando dobradas. A lona das antigas duram muitos anos e não perdem a coloração com tanta facilidade.

Apesar de muitos modelos nada se parecerem com iglús, ainda podemos categorizá-las desta maneira, já que os componentes de estrutura e fechamento são basicamente os mesmos.

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”