Mergulhe no Vale dos Vinhedos do Rio Grande do Sul
 

O Vale do Vinhedos é destino imperdível nos roteiros turísticos do Rio Grande do Sul. Os municípios mais conhecidos são Bento Gonçalves e Garibaldi. Apesar de coincidentemente os nomes dos mais importantes na revolução farroupilha, a região não fazia parte do cenário do levante dos estancieiros do charque riograndense. Mas é nos municípios vizinhos de Monte Belo do Sul e Santa Tereza que você encontrará a tranquilidade do Vale, a presente história da imigração italiana no Rio Grande do Sul, a simplicidade do povo local e uma ótima área de CAMPING para repousar.

A região possui um clima muito propício para a produção de vinhedos: Quente e temperado com altos índices pluviométricos durante todo o ano, mesmo no inverno, chegando a 1.800mm de chuva em um ano distribuídos quase que igualmente nas estações do ano – tendo a primavera levemente mais chuvosa e o outono levemente mais seco.

Este artigo faz parte da
O Vale dos Vinhedos compreende algumas localidades sob um clima que se fez perfeito à produção de vinhos nacionais. Inúmeras vinícolas estão instaladas na região e outras pequenas propriedades rurais destinam suas produções de uvas ao fornecimento. O Vale foi a primeira região brasileira com reconhecimento de origem como identidade do vinho. Além da visitação às empresas produtoras de vinho e seus parreirais, a região ainda reserva muitas paisagens, pontos de visitação tradicionais, queijarias, cholocaterias e gastronomia, além de passeios de Maria Fumaça e roteiros rurais.

Bento Gonçalves e Garibaldi se apresentam como cidades mais famosas do Vale dos Vinhedos, possuindo a maioria das vinícolas e divulgação turística, mas para os amantes do turismo espontâneo ou planejado, vale muito conhecer os municípios vizinhos de Monte Belo do Sul e Santa Tereza, este último na beira do Rio Taquari e que inclusive oferece a melhor e praticamente única opção de CAMPING.

SANTA TEREZA-RS

A imigração italiana teve uma porta de entrada no Rio Grande do Sul em 1875: O Rio Taquari através da navegação fluvial. Santa Teresa, cidade pequena e aconchegante já pertenceu ao município de Bento Gonçalves, mas emancipou-se em 1992, mantendo algumas relíquias arquitetônicas que mereceram a Declaração de “Patrimônio Histórico Nacional” pelo IPHAN. A uva é uma das mais presentes culturas na zona rural, já que a altitude média é bem baixa, além da proximidade do Rio Taquari não permitir que se ocorram geadas. A cidade oferece um pequeno, mas aconchegante Camping Municipal que pode ser utilizado de base para conhecer toda a região. Dentre os prédios históricos estão o da Prefeitura, a torre da Igreja que pode ser vista de longe e um edifício que fora a primeira fábrica de gaitas (Sanfona ou Acordeom) do Brasil, construída em 1916 pela Família Todeschini. (Confira artigo específico sobre Santa Tereza)

MONTE BELO DO SUL-RS

Também emancipado de Bento Gonçalves em 1992, Monte Belo do Sul é pacata, charmosa entre vales e montanhas cobertos de parreirais e com atividades únicas e em extinção como a última Tanoaria brasileira e uma cutelaria especialmente rudimentar.

De longe pode-se avistar as duas torres de sua igreja matriz na montanha. Lindos são os caminhos rurais, um inclusive que liga por terra à cidade de Santa Tereza. Também foi colonizado por imigrantes italianos. Reserve um dia para visita, pois vale muito. (Em breve, artigo específico sobre Monte Belo do Sul)

BENTO GONÇALVES-RS

A mais conhecida cidade do Vale dos Vinhedos leva o título de “capital da uva e do vinho” por suas quase 40 vinícolas espalhadas pelo município. Também é fortemente atuante no pólo moveleiro e de turismo de negócios.

Para quem visita a cidade, conta com grande rede de hotéis e pousadas, centro comercial amplo, as próprias vinícolas e um circuito turístico rural muito especial que mergulha na cultura colonial de seu povo. (Em breve, artigo específico sobre Bento Gonçalves)

GARIBALDI-RS

É conhecida como “a capital do espumante”, apesar das controvérsias. A famosa vinícola Chandon está em seus domínios. Também é palco da FENACHAMP (Festa do Champanha).

No passeio urbano, destaque para a Igreja Matriz, a Ermida no alto do morro e o Museu histórico. (Em breve, artigo específico sobre Garibaldi)

Marcos Pivari


 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."