Você já deve ter ouvido falar muitas coisas ruins de acampar. “Perrengue, Chuva, Frio, Calor, Comer Mal, Mosquitos e etc.”. Tudo besteira! Questões relativas à natureza se solucionam com INFORMAÇÃO. Já sobre as oportunidades, só come miojo quem quer, só toma banho frio no meio do mato e só “dorme no chão” se quiser. Os mitos apenas distanciam as pessoas de uma das mais prazerosas formas de hospedagem e práticas de lazer. Não se deixe ser enganado.

Apesar do Brasil ter um potencial incrível para a modalidade, nosso país continental com milhares de quilômetros de litorais belíssimos, fantásticas maravilhas naturais e construídas pelo homem, chapadas, parques e reservas ecológicas, o campismo e caravanismo ainda sofrem com alguns mitos que são veiculados pela mídia ou pela cultura popular.

VIAJAR BARATO: Acampar PODE ser mais barato, mas também pode ser até mais caro do que ir para uma pousada. O que vale é o prazer de estar junto à natureza levando sua própria “casa” e gozando da liberdade de turismo e espaços no camping.

SÓ COMER MIOJO: Não é preciso recorrer a comidas instantâneas para se alimentar bem, embora elas sejam igualmente práticas tanto no camping como em casa. Até mesmo para uma alimentação saudável há diversas receitas e ingredientes que dispensam o uso de industrializados ou enlatados.

BANHO GELADO: A grande maioria dos campings possuem chuveiros quentes em banheiros com sanitários e lavatórios, com apoios de lava-pratos e tanques. Banho gelado é só para quem busca (com muito gosto) o camping selvagem. O mesmo vale para as necessidades fisiológicas. “Fazer cocô no mato” não faz parte da realidade do campismo

DORMIR NO CHÃO: Para os amantes do campismo este é um quesito extremamente positivo. Mesmo assim existem equipamentos que transformam o colchão ou colchonete em verdadeiras camas, como macas desmontáveis ou colchoes infláveis com altura dupla.

CHUVAS E PERRENGUE: Chuvas acontecem em qualquer lugar, viagem ou modalidade de hospedagem. Bem preparado um campista se protege das intempéries com maestria e ainda conta com a diversão de estar junto com seus amigos e familiares sem estarem presos em um quarto.

MUITA TRALHA PARA LEVAR: Depois que de “pega” o jeito e o gosto pelo campismo, a tralha se torna algo automático e prazeroso na preparação da viagem. Os outros pertences, como roupas e itens de higiene pessoal são iguais aos demais tipos de hospedagem.

FRIO / CALOR: Mesmo nos locais mais frios, uma barraca pode acolher e manter quentinho o ambiente interno além de ser uma vivência sensacional. Lembrando que ventiladores e aquecedores fazem parte deste mundo.

ZOEIRA/BAGUNÇA/BARULHO: Acontece como em diversos locais e sempre é bom pesquisar e escolher os muitos campings cujas regras resguardam a paz e tranquilidade dos seus hóspedes.

INSETOS: Os insetos são parte da natureza e é ela que buscamos neste estilo de vida. Nossas barracas possuem telas mosquiteiras vedadas com zíper e os repelentes são itens indispensáveis. Aliás, os insetos estão em toda parte!!

 

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”

  • antonio souza

    eu so posso dizer uma coisa tenho 15 anos consecutivos de acampamento com a família, agora digo acampe primeiro e veja se pode reclamar, o maior prazer de quem acampa é fazer acontecer. comecei com uma barraca hoje tenho um trailer feito por mim, aonde me falta só o banheiro