Seu Raimundo é um aposentado motivado a criar um motor home para ia do Ceará ao Rio Grande do Norte. Lá está a família que não vê há cinco anos. Em meio as modernas placas solares e o desejado Video Cassete, o motor home do Seu Raimundo possui várias realizações. Sem desmerecer suas conquistas, é sempre bom alertar os sonhadores de alguns elementos que nunca devem fazer parte desta realidade, como a caixa de água suspensa (deve estar sempre na altura dos eixos).

1
Raimundo Henrique de Araújo, de 67 anos, quer ir até Mossoró com casa adaptada em ônibus (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)

A saída está prevista para junho e a chegada só no final deste ano. Um ponto interessante de seus anseios é mesmo conhecer a culinária e a cultura de cada Estado que passar. Ele e a esposa não tem pressa. O itinerário não será em linha reta. Ele passará pelo Mato Grosso do Sul para ver seu irmão e convidá-lo a acompanhar no passeio. Para isto está trabalhando em um novo beliche no ônibus que lhe custou R$ 32.000,00. Das adaptações nem faz contas, disse.

“Não tenho ainda noção de quanto vou gastar. Estou pegando algumas notas para apresentar ao Detran por conta das mudanças que estou fazendo. Mas muito material estou trocando por serviços que realizo e não tem como avaliar o preço. A placa solar eu já tinha, só comprei uma peça para adequar ao carro.”

Aposentado usou duas placas de captação solar para garantir energia dentro do ônibus (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)

(texto G1.com) A viagem será a dois. O idoso diz ter 21 filhos, mas apenas dois com a sua atual mulher, Luzia Marim, de 39 anos. Um deles já morreu e a outra está casada. Para ela, esse é o momento de conhecer estados novos e de relaxar. “Minha expectativa é de que faremos uma boa viagem. Já fui com ele de avião, mas desta vez será diferente, pois vamos conhecendo os lugares por onde passarmos”, completa. E pressa é uma coisa que Araújo não tem. De acordo com ele, não há ainda uma rota definida de quantas cidades deve conhecer, mas uma coisa é certa: cada uma será apreciada lentamente, sem correria. “Minha casa será dentro desse carro, aqui tenho tudo o que vou precisar. Quando estiver viajando, não terei pressa. Vou parar nas comunidades rurais e comer comidas típicas de cada região”, garante. E enquanto o dia da grande viagem não chega, o casal faz alguns testes e simula como seria percorrer as rodovias brasileiras contando apenas com a casa sobre as duas rodas. Nos fins de semana, eles pegam o motorhome e se instalam em alguma comunidade rural. “Atualmente já resido dentro do carro. Nos finais de semana, pego minha mulher e vou para alguma comunidade rural para ir me acostumando à rotina de viajante. Tenho vivido muitas coisas boas e respirando ar puro”, finaliza. Confira o video no link do G1.

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”

  • José Adauto de Souza

    Nesta matéria seria importante frisar que este tipo de montagem de motorcasa não é legal. Hoje só empresas podem fazer esta montagem e para um cidadão fazer isto vai ter que obedecer várias obrigações, entre elas projeto de elétrica, projeto de hidráulica, planta-base, laudo de segurança inmetro, assinados por engenheiros, … ou seja, praticamente é como se abrir uma empresa… para fazer só um motorcasa
    sds campistas Adauto

    • MaCamp

      Muito bem comentado, Adauto. obrigado por sua participação.

    • Ricardo Fabar

      osé, bom saber, você sabe dizer se o mesmo vale pra traillers? Não posso pegar um trailler fechado já liberado pelo inmetro….e adapta-lo internamente?

  • Ricardo Fabar

    José, bom saber, você sabe dizer se o mesmo vale pra traillers? Não posso pegar um trailler fechado já liberado pelo inmetro….e adapta-lo internamente?

  • José Adauto de Souza

    Ricardo
    Atrasado… não saberia dizer sobre a questão trailer com inmetro. Teria que ver que tipo de liberação é esta: se a liberação incluir o projeto de elétrica/hidráulica/gás não haveria problemas. A questão básica em transformar um veículo num motorcasa reside no quesito segurança, uma vez que o veículo por si só já tem os itens de segurança aprovados. Elétrica, hidráulica e gás inserem modificações que implicam em segurança. Há +- 1 ano atrás um motorcasa homologado (com CAT) pegou fogo, e o foco do incêndio foi na elétrica…. então a liberação inmetro teria que incluir este itens de segurança…

  • Paulo Mascarenhas

    Muita gente tem copmprado carretinhas fechadas ou adquirido nota fiscal na internet e legalizado seus trailers como “reboque fechado” os detrans tem emplacado, e os guardas tem tolerADO,há até fabricantes comerciais que entregam como reboque fechado, mas o correto é “carroceria especial trailer”, se tá como reboque fechado não pode botar gas butano pra o fogão, e se o guarda quiser pode apreender.. Se serve para alojamento de pessoas a lei diz que é tralier, um colchão, fogão, pia lavatório de louças tudo caracteriza alojamento. Reboue fechado segundo a lei é somente para cargas

    • MaCamp

      Exato Paulo. Apesar dos Detrans estarem liberando, o cerco está cada vez mais fechado. Questões de documentação serão cada vez mais cobradas inclusive pelos policiais nas estradas. Não basta ter documento de reboque, pois as instalações de alojamento configurarão “trailer” e desta forma poderão enquadrá-los como “modificação indevida”. Até mesmo questões de CAT e homologações de equipamentos e elementos mecânicos estão sendo cada vez mais especificados em Normas.