Muitos são os locais turísticos próximos às Capitais e que não são amplamente divulgados e conhecidos. No tocante ao Parque Estadual da Serra do Mar em São Paulo não só é conhecido como é atravessado por diversas estradas que ligam a metrópole ao litoral. O que poucos sabem é que a Serra do mar pode reservar diferentes tipos de ecossistemas e que são vários os núcleos de visitação.

Muito pouco conhecido e divulgado o Núcleo de Cunha fica no extremo leste da porção do parque como um todo e possui uma rica floresta de mata atlântica de altitude. Conhecida como “matas nebulares”, aquelas presentes a mais de 1.000 metros de altitude reservam dentre outras conhecidas árvores de grande porte as ARAUCÁRIAS.

Também conhecidas como “Pinheiro do Paraná” foi ameaçada de extinção devido à exploração descontrolada nos séculos passados e por isso foi amparada por leis ambientais rígidas que a protegem. Conífera produtora do famoso PINHÃO além de ter o corte proibido, possui até mesmo um prazo de impedimento de coleta dessas sementes durante alguns dias da temporada para garantir sua disseminação e alimento aos animais selvagens.

Com acesso por estrada de 20km de terra, difícil para carros de passeio em dias chuvosos, o Núcleo do parque reserva um equipado centro de visitantes dotado de alojamentos para funcionários e pesquisadores, salão de exposições, auditório e ótimos banheiros. Ali o visitante poderá ser informado sobre a trilha de nível fácil beirando o Rio Paraibuna que pode ser feita desacompanhado ou contatar os guias profissionais obrigatórios e gratuitos que acompanham nas outras duas trilhas de maior dificuldade e horários marcados.

No passeio é possível admirar a imensa floresta repleta de Araucárias, Cedros, Jatobás, Perobas, Maçarandubas, ipês e Canelas, além de ver de perto a imensa presença de musgos, bromélias e orquídeas que se esbaldam na intensa umidade da floresta. Diversas formações de liquens podem ser apreciadas inclusive em associação a musgos.

Esta reserva de floresta se faz imprescindível para a manutenção dos mananciais. Ali os dois principais rios que dão origem ao famoso RIO PARAÍBA alimentam antes a represa de Paraibuna. Sua continuação abastecerá os dois mais importantes Estados Brasileiros: São Paulo e Rio de Janeiro.

Na estrada de acesso ao Parque que liga com o topo da Serra de Cunha-Paraty existem diversos pontos de visitação, como lojas de artesanatos, restaurantes, pesqueiros, restaurantes e associações de produtores rurais, inclusive que representam os produtores de Pinhão. Cunha-SP é um dos municípios que mais movimentam este mercado. É possível ainda visitar uma fazenda produtora de shitake.

Nas trilhas dos Rios Bonito e Paraibuna podem ser vistos ou ouvidos muitos animais em risco de extinção, como sagui-da-serra-escuro, mono carvoeiro e o sauá, além de diversas aves. A fiscalização ambiental é muito presente na preservação das espécies, principalmente por haver uma significativa presença do Palmito Jussara. Por este motivo também existe um grande trabalho de educação ambiental com cursos e eventos.

Para chegar no Parque siga o mapa abaixo onde mostra o trecho entre a rodovia asfaltada e a sede do parque.


 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”