Assar coisas no camping sempre fez falta. Apesar do Aramis não se tratar oficialmente de um forno (ainda), fizemos os testes como se fosse e o resultado foi bem bacana. Com este trabalho pudemos dar um feed-back importante para a Nautika que recebeu com muito carinho. Eles fizeram questão de enviar seu modelo para review.

Foram dois modelos que passaram pelas nossas mãos. O primeiro era apenas o protótipo que a Nautika nos enviou para os primeiros testes. Chegado para o mercado logo foi substituído pelo intitulado “Aramis” que de acordo com a própria Nautika foi definido como “Fogareiro 3×1” com as funções de fogão, grelha e bafo.

  

O que mais nos chamou a atenção no novo produto foi mesmo seu potencial para “forno”. Como todos sabem, nós do MaCamp acampamos em duas modalidades, tanto de barraca quanto de trailer, mas mesmo no nosso veículo de recreação não contamos com um forno, já que o tamanho dele é bastante reduzido. Mesmo que a função propriamente dita “forno” não esteja sendo usada comercialmente, fizemos nossos testes baseados nesta ideia, além é claro de experimentar o modo “fogão” e “bafo”.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: O produto é grande, não dá pra negar. Tem uma base muito parecida com a do Fogareiro Magus, só que maior. A grade é muito interessante, já que é de metal (duralumínio) bem resistente. Retirável, revela o queimador bem parecido com os de forno residencial, onde o tubo vai e vem dando uma volta. O acendimento é automático e a pilha. Este diferencial faz com que a faísca não seja única, mas sim fique piscando até que o fogo realmente acenda. Ele funciona apenas com cartucho de gás, o que dificulta não só na economia, mas também por um forno precisar de mais gás do que fogareiros comuns. Esta é uma dica de melhoria que já deverá ser incluída na próxima leva pela Nautika. A cobertura que forma a câmara do forno é retirável e feita de aço. Pintado de preto dentro e fora e em inox escovado na parte frontal, possui um sistema de abertura bem legal que abre cobrindo a traseira. Também possui um termômetro para se ter uma ideia da temperatura.

O forno possui 4 pezinhos plásticos que sustentam o aparelho sobre uma superfície plana e também oferece 4 pés dobráveis que deixam o forno mais alto em relação à mesa para que não queime.

PRIMEIRO TESTE: Nossa primeira missão foi assar um pão caseiro. Aproveitando nosso costume de fazer pães em casa com farinhas orgânicas e fermentação natural não foi difícil preparar uma massa na medida para caber na assadeira pequena proporcional ao forno. O resultado foi ótimo, assando o pão em um tempo normal. Mas como a altura em relação ao “fogo” é pouca, o pão não conseguiu chegar a ficar dourado e já tivemos que retirar para não queimar o fundo. Apesar de “pálido”, ficou delicioso. Este teste foi feito no protótipo e utilizou mais ou menos 80% do cartucho de gás levando uns 45 minutos entre pré-aquecimento e assando.

CHURRASQUEIRA DE BAFO: Em nossa opinião esta é a exata função do equipamento, já que possui a grelha toda vazada. Caso tivesse uma chapa igual do Fogareiro Magus ficaria mais próximo de um forno, além de oferecer mais uma opção no equipamento. Este foi outro feed-back que enviamos à Nautika. Como churrasqueira de bafo ele se saiu muito bem. A caloria guardada na câmara acaba deixando a carne bem assada e suculenta. Como o equipamento não possui o protetor de chama retirável, optamos por colocar a carne dentro de uma assadeira, para que não pingasse para baixo. Mas o 3×1 possui a bandeja inferior que serve para resguardar os pingos e que pode abrigar água para não grudar. O “mal passado” da carne foi por gosto próprio mesmo.

COMO FOGÃO: Apesar de ser uma das 3 opções declaradas do Aramis, este realmente não é seu forte. O fato do protetor da chama não ser retirável, não deixa que o fogo bata diretamente no fundo da panela. Isto faz com que a função “fogareiro” seja extremamente insuficiente. Fizemos o teste com uma cafeteira fina e com uma panela grande. Pudemos concluir que quanto maior o refratário melhor o efeito, mas mesmo assim muito lento.

Proteção da chama não sai como no Magus. | Foto: Marcos Pivari – MaCamp

ASSANDO PAES DE QUEIJO: Feitos desde a massa até serem assados por inteiro ficaram simplesmente deliciosos. Tentamos utilizar a mini grelha que serve para ficar na parte de cima da câmara (aquecimento) para afastar a assadeira da grelha principal e assim evitar queimar o fundo. Deu certo, tostando bem menos que o normal. Apesar de fechado, o forno ainda perde bastante caloria pro lado externo. No caso nosso termômetro nunca passou dos 150ºC.

ASSANDO SALGADOS: Na verdade aquecendo salgados pré prontos também se saiu bem. Testamos esfihas e mini pizzas com massa já pré assada e recheio preparado na hora. Estes ficaram prontos super rápido não gastando tanto gás como nas outras modalidades.

CARNE COM LEGUMES: Também assamos umas linguiças com legumes. Neste caso deixamos propositadamente a assadeira grudada na grelha para que tostasse a comida levemente. Dá pra ver que fomos obrigados a comer muito bem neste review.

Dica: O equipamento é bastante grande, mas pode ser otimizado no porta-malas, separando a tampa e prendendo todo o resto do corpo + acessórios com auxílio de uma aranha elástica. Desta forma é fácil acomodar o volume menor encaixando na bagagem e a tampa poderá ser utilizada para acomodar materiais moles, como sleeping, roupas e outras coisas. No nosso caso, prendemos o corpo com acessórios envoltos em panos para que não fizesse barulho na viagem.

       

CARACTERÍSTICAS: Material: Estrutura em aço e acabamento em inox; Medidas: 62,5cm x 34,5cm; Peso: 9kg; Tipo de gás: Cartucho campás

PREÇO: Na data deste review o equipamento custava R$ 932,00 no site oficial da Nautika, mas era encontrado em lojas virtuais pela internet por R$ 744,85.

REVIEW – PRODUTO e Local: Este equipamento foi enviado pela NAUTIKA que confiou no know-how do MaCamp para testar seus produtos na seção de Reviews. Os testes foram feitos em campings e em casa.

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."