O gazebo é sem dúvida um item cada vez mais presente no campismo familiar. Alternativa às velhas lonas, as tendas que dispensam a presença de árvores para esticar a cobertura vêm ganhando cada vez mais elementos que visam a praticidade e o conforto do acampamento. Ali pode-se abrigar a cozinha, a sala e o próprio campista das chuvas, ventos, frio ou de mosquitos indesejados. É o caso do gazebo Quechua 3×3 enviado pela Decathlon ao MaCamp para a nossa análise profissional.

O gazebo modelo 3M X 3M conta com um velho sonho de consumo dos campistas mais antigos: Os quatro fechamentos laterais que garantem o isolamento hermético do exterior que protege o campista da chuva e dos insetos.

Quesito também sonhado antigamente, o gazebo Quechua possui todo o seu sobreteto e fechamentos de nylon, mesmo utilizado nas barracas garantindo leveza e maciez dos seus panos, além de ser mais compacto na hora da guarda. Possui as quatro hastes de sustentação em metal resistente assim como os quatro inter-travamentos horizontais superiores. A abóbada central é garantida pelo arqueamento de duas varetas tradicionais de barracas iglu que são encaixadas na estrutura do gazebo e posicionadas  no sobreteto por 4 pequenos velcros. Sua cor clara garante menos absorção do calor do sol. As hastes verticais são envolvidas pelo mesmo pano da cobertura garantindo um desenho envolvente e abrigando os zíperes que fixam os fechamentos. Os quatro podem ser independentemente opcionais e facilmente acoplados ao equipamento.

Dois dos fechamentos possuem mosquiteiros amplos com possibilidade de fechamento interno em dias de chuva. Não é preciso sair do gazebo para fechá-los. Os outros dois são totalmente fechados e estas duas configurações em pares podem ser posicionadas da maneira que o campista desejar. Alguns mimos estão presentes no equipamento, como gancho central para pendurar uma lâmpada e outros laterais para auxiliar no acampamento

Montagem: Primeiramente separam-se as quatro hastes verticais que são facilmente identificadas pelos pezinhos emborrachados cinza que possuem o ancoramento do metal e os furos para os espeques. Em seguida separam-se as hastes horizontais. Duas delas possuem as forquilhas de encontro de três pontas. Algumas marcações coloridas nas pontas das hastes e forquilhas auxiliam na montagem correta da estrutura. Uma todas as hastes de metal mais grosso sem medo. Inicialmente um cairá ou a outra tombará e até mesmo o conjunto poderá ficar torto, mas no final tudo ficará corretamente ereto. Não finque os espeques ainda. Após o posicionamento inicial da estrutura é hora de colocar as varetas leves da cobertura encaixando suas pontas ocas nos “espetos” já presos nas forquilhas. Elas ficarão arqueadas para baixo mesmo. Aí é a hora de jogar a cobertura sobre o gazebo posicionando os cantos reforçados nas forquilhas e esticando a alça elástica das pontas inferiores nos ganchos ancorados nos pés da estrutura. É hora de montar os quatro fechamentos laterais caso estes ainda não estejam fixados. São eles que definirão a correta fixação e distanciamento dos pés do gazebo para, aí sim, firmá-los no chão com os espeques inclusos. Feito isso, é hora de subir as varetas da cobertura e fixa-las nos quatro velcros da mesma. Aí sim retire os fechamentos que desejar.

Sacola de transporte. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Saco da estrutura em material resistente e almofadado para não rasgar os panos e outros equipamentos da tralha. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Tudo acomodado no saco da estrutura. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Hastes verticais da estrutura. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Pezinho da estrutura. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Hastes rígidas horizontais da estrutura. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Hastes flexíveis da abóbada do teto. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Pode-se escolher quais fechamentos serão utilizados. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

Os quatro espeques que sobraram não estão alí a toa. Igualmente as quatro cordinhas com esticadores. Eles devem ser usados sempre para a amarração do gazebo a partir das quatro extremidades superiores, fincando as amarras no chão em uma inclinação de 45 graus da cordinha. Isto dará a sustentação necessária para golpes de vento, ventanias e até mesmo para a total estanqueidade do sobreteto durante as chuvas. Igualmente nas barracas, as cordinhas de amarração não devem ser ignoradas por mais que o equipamento pareça suficientemente autoportante.

Detalhes dos encontros: Solo, Sobreteto, Estrutura. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

A bolsa de transporte surpreendeu na qualidade. Além das alças, duas fivelas de fechamento garantem uma pressão auxiliar na força do zíper resultando em uma firmeza do conjunto. Sim, o equipamento é pesado, mas se tratando de algo específico para o acampamento familiar que geralmente é servido por veículo próprio, não parece problema. O estojo da estrutura é reforçado e recheado de espuma garantindo que não rasgue ou machuque os tecidos trazendo um conforto extra no uso do campista. Possui um fechamento do tipo “envelope” muito bacana. Os espeques também contam com um saco de nylon e o manual de instruções é o tradicional da Quechua, em material que não rasga e nem molha preso na costura da bolsa evitando a perda.

Gazebo Quechua. Proteção total no acamps. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Detalhe da fixação da janela quando aberta. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Detalhe da amarração do sobreteto à estrutura. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Detalhe do ziper do fechamento. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

Como sugestão de nossa equipe de análise, o equipamento se tornaria ideal se contasse com dois esquemas, um em cada dos dois fechamentos sem mosquiteiros. O primeiro poderia receber um segundo zíper em arco partindo das pontas e perfazendo a meia altura do mesmo a fim de receber uma barraca iglu ou 2 seconds emborcada no gazebo (o que a maioria dos campistas já faz) garantindo o isolamento do restante que sobra aberto. No outro fechamento, poderia ser feita uma porta de acesso também com zíper para que não fosse necessária a abertura tão grande do fechamento para entrar ou sair.

Esticador da cordinha. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Espeque da cordinha (amarra) importantíssima para ventos. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Ancoramento da haste ao solo com pé de borracha e suporte para o espeque. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

Como de costume as instruções muito simples são dispostas em um tecido e presas à bolsa de transporte. Não estraga se molhar e não se perde. | Fotos: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

Algumas especificações:

297cm entre traves baixo; 169 altura arco entrada; 223 altura interna (cocuruto); 215 entre traves cima (forquilha).

Peso: 15kg; Sacola com 87cm x 20cm x 20cm

* Produto cedido pela Decathlon para avaliações e análises MaCamp.


 
 
 

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."
  • Braulino de Souza Santos

    Bom dia Marcos.
    Excelente artigo, bem recheado de detalhes inclusive fotográficos. Apenas venho sentindo saudade do tempo em que vc colocava os preços praticados pelo fabricante e/ou sugeridos aos revendedores. A supressão será motivada pelos tempos “bicudos” eu estamos atravessando? Vamos torcer para a estabilização de nossa moeda e ver se é possível prever preços fixos, não?

    • MaCamp

      Grande Braulino. Na verdade a gente colocava o preço na chamada do artigo no painel de notícias, mas agora ela mesma é chamada la. Não curtimos muito colocar o preço no review, pois depois de um tempo pode acabar ficando muito desatualizado. Mas já que tocou no assunto, porque não utilizarmos este espaço dos comments para isso, nao é? O preço na ocasião em que a decathlon nos enviou o produto e até hoje, a data da publicação do artigo, é de R$ 999,99 . obrigado pelo seu comentário. abração!

      • Cris Martins

        Hoje o preço ainda se mantém.. um pouco salgado para um gazebo pois é o preço de uma barraca rs.. dos que eu já vi é o que mais gosto mas, como prefiro investir um pouco mais na barraca, este ítem será bem mais simples. Porém, vi alguns gazebos com a opção de comprar as paredes separadas e sai bem mais em conta. Parabéns pelo artigo.

    • É possível sim. Inclusive usado muito pra montar as cozinhas. Sempre é necessário proteger as paredes do fogo, assim como aquelas chamas altas de fogões descontrolados, já que o material Nylon é altamente inflamável.

  • Danilo Martins de Castro

    Olá Marcos excelente artigo! Por favor é possível cozinha em baixo do gazebo? Estou começando a acampar com a minha esposa e tenho essa dúvida. Grato.