São José dos Ausentes - Cenário de Novela
 

Uma das maiores belezas naturais do Brasil está na região dos Cânions do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Uma grande responsável pela disseminação de suas imagens foram as novelas e minisséries da TV. Agora além dos conhecidos desfiladeiros de Cambará do Sul, despontam os demais cânions de uma cadeia fenomenal da região: Cânion Montenegro em São José dos Ausentes.

Um antigo sonho dos idealizadores do MaCamp era conhecer a recôndita e harmoniosa São José dos Ausentes. A cidade leva o título de “a mais fria do Brasil” (Que Urupema, que nada!). Possui difícil acesso por terra mas também por suas belezas naturais que dão continuidade à cadeia de desfiladeiros de rocha com os campos de cima da Serra que partem lá da conhecida Cambará do Sul e se estende até a Serra Catarinense.

Assim como os cânions dos Aparados da Serra e da Serra Geral ficaram famosos nos cenários de minisséries globais como “A Muralha” e “A Casa das Sete Mulheres”, agora é a vez da pacata São José dos Ausentes que figura as lindas paisagens da atual novela “das seis” intitulada “Além do Tempo”. A beleza sem igual da região faz com que muitos espectadores até mesmo duvidem que tais paragens sejam brasileiras. Os cânions abertos à baixada litorânea de Santa Catarina, que tem protagonizado o atual horário nobre, são desconhecidos por muitos turistas que já visitaram Cambará do Sul. Considerados por muitos ainda mais belo do que os já famosos cartões postais cambaraenses, o Cânion Montenegro é o mais visitado da cidade vizinha que fora o maior latifúndio do Rio Grande do Sul.

Cena da Novela “Além do Tempo” (Globo) – Atores Rafael Cardoso e Paolla Oliveira | Foto: Frame da novela

SOBRE AUSENTES:

São José dos Ausentes já pertenceu a Bom Jesus-RS quando emancipou-se em 1992. Os primeiros posseiros das terras que podem ser consideradas como o maior latifúndio riograndense, não deixaram herdeiros, sendo mais tarde leiloadas em “juízo de ausentes” para o Capitão Antônio da Costa Ribeiro, que por sua vez também faleceu sem descendentes. A então Fazenda São Gonzalo novamente iria à praça para se denominar a Fazenda Santo Antônio dos Ausentes. O clima da região era tão severo que até mesmo as poucas pessoas que lá residiam por tempos também ficavam “ausentes”. O padroeiro local, São José, denominaria então o atual município de São José dos Ausentes.

Amanhecer nos campos. Caminho de Cambará do Sul até Ausentes | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Divisa dos municípios | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Rios característicos dos Campos de Cima da Serra | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Paisagens espetaculares | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Acesso para o Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

A cidade é pequena. Possui um ótimo receptivo logo no portal da estrada. Lá é possível ter informações dos caminhos aos pontos turísticos que são sempre distantes. Destaque para Cânion Montenegro, Desnível dos Rios, Cachoeirão dos Rodrigues e a famosa Serra da Rocinha. No centro do município é possível de hospedar em pousadas, fazer refeições e compras.

Centro da Cidade | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

No tocante às produções televisivas dentro de nossa expedição intitulada “Farroupilha”, é importante salientar que embora tenham servido de pano de fundo para lindas cenas de batalhas, os Campos de Cima da Serra desta região não foram palco da legítima revolução. As batalhas farroupilha aconteceram nos Pampas gaúchos principalmente nas regiões em torno da Lagoa dos Patos onde havia muito interesse pelas terras e localidades estrategicamente situadas.

Ave símbolo da região- Corucaca / Termômetro símbolo da cidade mais fria do país. | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

LOCALIZAÇÃO:

Podemos considerar que São José dos Ausentes fica isolada das rotas turísticas da região. O único acesso por asfalto se dá por Bom Jesus-RS e tem como ponto de Rodovia mais conhecida em Vacaria pela BR-116 a uma distância de mais de 100km. Caminho este que não se faz plausível a quem deseja conhecer as regiões vizinhas e tão procuradas. Ausentes possui acessos por terra destas duas localidades turísticas – Cambará do Sul e Urubici/Serra do Rio do Rastro, além da Serra da Rocinha, também em terra e precária que sobe do litoral de Santa Catarina, região de Araranguá. Para prejudicar ainda mais o potencial turístico da região, dissemina-se a lenda de que é necessário ter um veículo 4×4 para passear pela região. Lorota! As estradas são reforçadas com pedras e bem firmes o que deixa o risco de atolamento a cargo da eventualidade. O passeio vale a pena.

Caminho de Cambará do Sul até Ausentes | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

O CÂNION DO PICO DO MONTENEGRO:

É difícil para o turista lidar com os superlativos ludambulistas. Muitas vezes não por improcedência, mas sim pela especificidade. O Montenegro ganha o título de ponto mais alto do Rio Grande do Sul – 1.403m. O acesso se dá pelo “atalho” que liga Ausentes até Bom Jardim da Serra/Serra do Rio do Rastro, saindo em certo ponto dela por uma estrada com destino ao abismo. Passa-se dentro de uma fazenda e no caminho tem um camping. É preciso apear do carro, moto ou cavalo para abrir e fechar porteiras. Estaciona-se há 200m do suprassumo. Daí é possível caminhar ao redor da imensidão do campo sentindo a real sensação de como somos pequenos diante de tal natureza exuberante e surpreendente. Nossa equipe não deu tanta sorte. Aquele céu limpo e sol escaldante não fez parte de nosso panorama, mas fomos presenteados pela súbita abertura de névoa naquele dia cinza e chuvoso. Abriu-se só para nossa passagem. Fechou novamente na hora da volta.

Local de estacionamento a 200m do cânion | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

Para quem curte comparações, podemos dizer que o Montenegro é uma configuração intermediária entre a do Cânion Itaimbezinho (fechada em si mesmo) e do Fortaleza (aberto direto ao litoral). Apesar de ser aberto para a baixada litorânea e inclusive fazendo a divisa dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, possui uma longa extensão entre encostas a perder de vista. Do mais, reportagens e relatos só servem para fomentar a visita. Nenhuma foto fará jus à paisagem que não cabe sequer no campo da visão periférica. Pode-se passar horas passeando com os olhos sem qualquer tédio. Parafraseando a pequena compositora Marina Teixeira, o Montenegro pode ser um legítimo vergel encantado. Romantizando o momento, pode-se contemplar aquele “imenso jardim que sai do chão. No vento que faz balançar o ar. Na festa verde da paisagem, onde silencio ali construiu seu ninho.

É possível se hospedar pertinho do cânion e também acessá-lo a cavalo em um passeio magnífico.

Imagens no Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp
Imagens no Cânion Montenegro | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

CAMPINGS:

Há poucas e simples opções de campings em Ausentes. Muito próximo do cânion Montenegro está a Pousada Fazenda Aparados da Serra. Um local extremamente simples cujo quintal pode ser usado para montar a barraca ou usar o trailer ligando água e luz. O banheiro externo da casa é compartilhado com o campista. Há também uma pousada muito conhecida na região como “hotel dos famosos”, já que é lá que se hospedam os artistas. Não há área de camping e extra oficialmente já abrigaram alguns trailers, motor homes e campers em seus domínios. Como não há banheiros coletivos não há possibilidade de acampar em barraca.

Pousada Aparados da Serra com apoio de de área para Camping | Foto: Paula/Marcos Pivari – MaCamp

Entre os destinos de Cambará do Sul e RIo do Rastro/Urubici/São Joaquim não deixe de conhecer São José dos Ausentes.



 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."