O clima de altitude atrai o turismo pelo clima ameno e ecossistema diferenciado. Os verões úmidos com dias quentes e noites frescas são palco perfeito para os banhos de cachoeiras de águas cristalinas. Amantes do trekking contam com trilhas, escaladas ou descidas das mais espetaculares com direito à vistas de tirar o fôlego. Os invernos podem oferecer climas jamais vistos em locais tropicais e propiciar vivências que buscam aconchego, abrigo e culturas muito diferenciadas. Acampar não só é a forma mais íntima para se vivenciar esta realidade como também uma atividade muito procurada por famílias e aventureiros em busca de emoção e descanso.

A Mantiqueira é uma Serra que se estende por São Paulo, Rio de Janeiro e também Minas Gerais. A origem do nome está no tupi guarani – AMANTIKIR – que significa “Serras que Choram”.

O campismo tem duas origens principais. Uma nas expedições militares onde os soldados levavam seu próprio abrigo para pernoite. Outra está no escotismo (ou escoteirismo) que possui atividade fundamentalmente educacional. Estas duas origens estão muito ligadas às duas modalidades de campismo como turismo hoje em dia. Temos as modalidades de campismo de aventura (onde o indivíduo utiliza o campismo como base de pernoite em suas aventuras) e o campismo familiar, que possui o maior potencial em termos populares, haja visto o “boom” da atividade nos anos 1970-1980. Quando não haviam tantas pousadas, agências de viagem e popularização de passagens aéreas as famílias se reuniam em praias, serras e campos para “turistar”. Hoje com a necessidade das atividades ao ar livre o campismo familiar se torna uma das mais potenciais formas de crescimento em modalidade turística de hospedagem, principalmente quando falamos de locais naturais ou de preservação da natureza.

A infância no camping é uma das formas mais saudáveis de se ensinar cidadania e preservação da natureza. A criança aprende a respeitar o espaço do próximo sem a necessidade de barreiras físicas, cercas ou muros. Aprende a dividir os espaços coletivos deixando sempre prontos para o uso do próximo. Pode conviver em todos os momentos do dia junto aos vizinhos e principalmente familiares. Não há lugar melhor do que a própria natureza para o indivíduo conhecer e dar valor à natureza do que conhecendo e se inserindo nela própria. A curiosidade pelos equipamentos nas lojas pode ser o melhor convite para o ingresso na atividade.

A Mantiqueira possui bons espaços para as práticas de camping e caravanismo. Ela guarda muito mais que um clima de altitude. Guarda história da ocupação do homem ligado ao campo e muitas das culturas que são exclusivas de países europeus e  vizinhos da América do Sul. Hoje podemos ver inclusive a produção e cultivo de oliveiras, frutas vermelhas e o lúpulo da Mantiqueira. O campismo também tem desenvolvimento nas duas áreas. A base para aventureiros está tanto no âmbito selvagem junto às escaladas e no pernoite dos que buscam as trilhas e atividades ao ar livre. Também na modalidade familiar onde se buscam destinos turísticos renomados como Campos do Jordão,  Gonçalves, São Francisco Xavier, Itatiaia e Visconde de Mauá. De barraca ou veículo de recreação, muitos são os destinos procurados por turistas que buscam cultura, passeios e gastronomia.

A Mantiqueira nos traz dois cenários diferentes para os amantes do camping.  O frio é o protagonista na busca por algo diferente, já que o verão chuvoso pode ser um empecilho para a atividade, principalmente na modalidade familiar. Mas em qualquer estação, o ar puro da altitude e a temperatura mais baixa é a curtição de quem se prepara par o aconchego do lar itinerante. A receita é se agasalhar, ter um bom saco de dormir e isolante térmico. Ao contrário do que se pensa a barraca pode “segurar” bem o calor do corpo e o frio acaba sendo o propósito da aventura.

A região montanhosa é muito procurada pelos praticantes de treking. Na modalidade do campismo de aventura o principal segredo é o equipamento leve e compacto. Como tudo vai na mochila, o peso é um fator preponderante assim como o volume já que terá que ser carregado em todo o percurso. Além destes predicados, os equipamentos terão de ser efetivos, como por exemplo na proteção contra o frio, a chuva e no preparo dos alimentos.  Assim como no caso dos equipamentos de escalada, nos calçados e etc., os apetrechos de camping também demandam qualidade e por consequência têm seu preço.

E para quem nunca acampou? Não ter medo dos “Mitos” e pesquisar bastante é a melhor preparação. Assim como qualquer outra atividade é importante estudar e pesquisar técnicas e equipamentos. Outra questão é que o camping carrega muitos mitos que são apenas frutos da experiências erradas ou mal pesquisadas ou de pura ignorância de quem nunca praticou. Perrengues somente são frutos da falta de interesse em aprender. “Comer Miojo”, “dormir no chão”, “Banho frio”, “insetos e bagunça” são apenas para quem procura ou não escolhe bem seu destino. Os campings são equipados com energia elétrica e banho quente e cada um possui diferentes sistemas e regras. Na modalidade selvagem o que pode parecer “precário” é exatamente o diferencial que aproxima o indivíduo da natureza e transforma o que poderia ser complicado em pura curtição.

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”