Arquitetura para o Turismo >> (do CTP aos pontos turísticos e da interligação dos mesmos)

O transporte das Rotas será o último fator do processo de independência do Turista Popular e também de solução dos problemas causados pelo trânsito e estacionamento irregular dos ônibus de turismo na cidade. O transporte traçará rotas de distribuição de pontos turísticos em sistema rotativo com intervalos de tempos de 30 minutos entre a passagem de um e outro. O turista desembarcará no ponto desejado (podendo pular algum). Dali 30 minutos outro passará e seguirá o trajeto, permitindo que o turista estabeleça o tempo de permanência em cada ponto. Este fator é fundamental para que o turista possa oferecer uma maior renda ao turismo da cidade, já que possui liberdade e possibilidade de estender sua permanência em um único ponto, para a compra de produtos ou ainda para se alimentar. A organização do conjunto de veículos se dará por orientação de horários pré-definidos e por comunicação via rádio em freqüências UHF e VHF. O turista cadastrado e com número e carteira de identificação terá direito aos transportes das rotas válidos para o dia por um preço único (acessível) que cubra os preços operacionais do conjunto.   Finalmente, os veículos se configurarão bi ou tri-articulados, sendo o veículo trator feito em chassi de caminhão com cabine do motorista e bancos para passageiros e semi-reboques e reboques com bancos ou bi-articulados, com dois reboques tracionados por um jipe. Todo o conjunto será aberto (arejado) assim como se configuram vários veículos hoje na cidade que são utilizados para esse fim. No primeiro caso o conjunto poderá levar de 90 a 140 pessoas e no segundo, poderá levar até 100 pessoas a cada viagem. O número de conjuntos de transportes e intervalos de tempo inferiores a 30 minutos, dependerão da necessidade da demanda num dado dia. Demais turistas poderão fazer uso do transporte mediante pagamento de tarifa fixa.
As seguintes rotas serão definidas para a distribuição dos principais pontos turísticos de Campos do Jordão:
Rota Norte – fará o roteiro cultural e de aventura e passará pelos pontos: Gruta dos Crioulos, Alto da Boa Vista, Auditório Claudio Santoro / Museu Felícia Leirner, Palácio Boa Vista, Cervejaria Baden Baden e Mercado Municipal / Memorial Emílio Ribas. O trajeto terá 17 km de extensão e até 5 pontos de parada, tendo um tempo mínimo de 3 horas de duração.

Rota Norte de distribuição dos pontos turísticos

Rota Sul – fará o roteiro comercial e das montanhas e passará pelos pontos: Pico do Itapeva, Ducha de prata, Vila Inglesa (Hotéis e Construções), Alto do Capivari e Centro da cidade (que dará início a um outro roteiro feito todo a pé). O trajeto terá 25 km de extensão e até 3 pontos de parada, tendo um tempo mínimo de 2,5 horas de duração.

Rota Sul de distribuição dos pontos turísticos

Rota Parque – fará o roteiro do Parque Estadual, com destino ao Horto Florestal, passando por toda a estrada arborizada e visitando o Horto Florestal com sua floresta preservada de Araucárias e muitos pontos de visitação. O trajeto terá 26 km de extensão e um ponto de parada, tendo um tempo mínimo de 1,5 horas de duração. Esse tipo de transporte poderá ser colocado em funcionamento somente em dias de grande número de visitantes na cidade. Nas demais datas, o sistema de transporte municipal (ônibus) existente poderá tranquilamente suprir a necessidade.

Rota Parque de distribuição dos pontos turísticos

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."