Resfriar 728×90

Responder a: Patagonia 2016: Expedição MaCamp de Trailer.

#89853
Capt.A330
Capt.A330
Participante

Buenas;obrigado Junior, Marquitos, e continuamos com o relato!

Domingo 17/01/2016

A ideia era sempre que possível, sair cedo, para render o dia de viagem, e também para aproveitar as horas mais agradáveis de temperatura do dia, especialmente porque a noite foi quente.
Na estrada de novo, Ruta 14, e lá vamos nós pela Provincia de Corrientes, para fazer uma rápida parada em Paso de los Libres, na frente de Uruguaiana-RS, para abastecer, já que lá aceitavam que pagássemos em Reais, como geralmente acontece nessas cidades de fronteira.
Chegando lá, em Paso de los Libres, na frente de Uruguaiana-RS, desviamos um pouco para a entrada na cidade, até chegar num posto da Shell, que aceita abastecer em Reais, conforme tinha antevisto no meu planejamento; o problema foi que estava em falta o Diesel Nitro, equivalente ao nosso S10, e que é o combustível indicado para as nossas Frontier. Somente Thomas pode abastecer, já que até o ano da fabricação da Amarok dele, podia abastecer com S500 (a partir daquele ano, todas as Amarok tem indicação de abastecer só com S10), e as nossas Frontier, de Polini e minha, que coincidentemente são do mesmo ano de fabricação, só é recomendado abastecer com S10, como já mencionei, o que nos levou à abastecer mais adiante. E pouco após pasar a divisa entre as Provincias de Corrientes e Entre Rios, perto de Chajari, chegamos no que seria nosso único problema e desgosto com a policia em toda a viagem: a famigerada policia de Entre Rios!
Aqui vale lembrar, que o proprio pessoal da Argentina, fala muito mal desta policia em particular, e logo nós verificaríamos o porquê; o primeiro que pediram, junto com a CNH, foi a Carta Verde da camioneta, e a Carta Verde do Trailer! Até o ano de 2014, o Trailer nunca precisou de Carta Verde, más agora, eles descobriram que podem pedir, sim, e foram direto nesse ponto…claro, nenhum de nós tinha a tal, e já quiseram elaborar multas e tal…bem, considerando que falo bem o idioma castellano, argumentei de todas formas possíveis e com todo tipo de argumentos cabíveis, até que horas depois (sim, horas!), conseguimos ser liberados…foi muito desgastante, e aviso aos Rodantes: evite problemas e demoras: faça sua Carta Verde do Trailer na sua seguradora ou na fronteira, para evitar aborrecimentos!
Justiça seja feita: em todos os outros lugares que nos pararam, fomos muito bem tratados, tanto pela policia, quanto pela Gendarmería Nacional.
Assim que conseguí, avisei Odair para que fisese a carta antes de pasar por esses aborrecimentos, e de fato, ele fez, e quando chegou na policia de Entre Rios, o primeiro que fizeram, foi pedir a tal de carta, conforme ele relata neste Fórum da Expedição Baumeister.
Como já comentei, isto nos demorou muito, e fez que eu tivesse que reavaliar o local de pernoite, já que só chegaríamos de noite no local previsto, na região de Zárate, na Prov. de Buenos Aires.
Enquanto rodávamos a estrada com algumas pequenas ondulações por setores, embora tudo dupla, ia pensando na vastidão daqueles lugares, e como Polini e Thomas reagiriam a isto, aostumados as florestas do Paraná (onde ainda tem), pois era difícil ver árvores, excepto alguns eucaliptos plantados pelo homem e alguns poucos árvores baixos, já que naquela região, os pastiçais e banhados são imensos, a perder de vista, sem elevações, plainos, embora com bastante vida, especialmente pássaros que vivem em grande quantidade naquelas planicies.
Calculando com calma e avaliando possibilidades, vi que conseguiríamos chegar antes da noite em Gualeguychú, onde pernoitei algumas vezes, e assim fizemos, onde fomos autorizados (regalias da minha carteira de Comandante) a ficar, montando nosso Acampamento e culminando já quase no escuro…demorei para dormir, pensando nesta mudança de pontos de pernoite em função do aborrecimento passado com a policia de Chajarí e que tanto tempo nos fez perder, e minha preocupação era que, como responsável da Expedição, tinha que ver o melhor para todo o grupo, como por exemplo, os lugares de parada tinham que comportar lugar suficiente para o comboio completo, e ter água para todos (água é um bem precioso em regiões desérticas, como verificaríamos mais para frente), e se possível luz, e também, recursos para emergencias de saúde, e também segurança, e também um bom acesso, e também pouco barulho, e também…é, se pensa que é fácil, experimenta rodar quase 8.000 km cuidando destas e mais coisas que uma caravana ocasiona…
Também tinha que considerar que como Thomas e Polini nunca tinham rodado por essas latitudes, o fato de se perder ao desgarrar acidentalmente do grupo, era uma coisa que me preocupava muito…por isso, em toda cidade que passávamos e que era de maior porte, eu ficava tenso e muito preocupado com os semáforos na cidade, pois se eu passava, e os outros ficavam presos nos mesmos, tinha que perceber rápido, para achar um lugar no medio do transito onde pudesse parar (com 14 mts de comprimento, as vagas de estacionamento não são muitas…), e esperar os que ficaram para trás…sabia que Polini e Thomas eram espertos e não me perderiam de vista, mas não adiantava me dizer isso, a preocupação se fazia presente de qualquer jeito em toda cidade que tínhamos que atravesar!
Bom, após ficar chateado comigo mesmo, que deveria estar descansando para no dia seguinte estar bem acordado para a viagem e não virando na cama, conseguí diagramar um plano de contingencia para implementar no dia seguinte…ou melhor, nesse dia, que já era de madrugada…mesmo sem gostar muito, vou precisar de bastante café hoje!

Fotos:
Lembrando: para ver a foto ampliada, ou no seu tamanho normal, é só “clicar” com o botão direito do “mouse”, e “Abrir imagem numa nova guia”, para ver os detalhes da foto.

Esta foto foi tirada por mim, que já comecei a ter tempo para isso, e mostra nosso amanhecer.

Ainda com orvalho no Acampamento.

Parte do Acampamento.

Outra vista do Acampamento. Foto de Isa.

O comboio parado no posto em Paso de los Libres. Foto de Isa.

A famigerada polícia de Entre Rios.

Familia tomando café da manhã. Foto de Isa.

Parada para check de equipamento e bio-break. Foto de Isa.

Estamos indo…Foto de Isa.

Os banhados de lado da estrada. Foto de Isa.

“Embora gente, que o sol está sumindo…” Foto de Isa.

Chegando com o (no) entardecer…Foto de Isa.

At night…Foto de Isa.

Bela foto do Bagualito noturno, e no canto direito da foto, um pedacinho do entardecer…Foto de Isa.

Acampamento noturno. Foto de Isa.

Continua…

Rody Trailer 728×90

CLASSIFICADOS: