Responder a: Patagonia 2016: Expedição MaCamp de Trailer.

#89964 Resposta
Capt.A330
Capt.A330
Participante

Continuando com o relato…

Segunda-feira, 18/01/2016, segunda parte:

Após o almoço, como anteriormente comentava, estávamos nos deslocando em direção a Trenque Lauquen, ainda na Prov. de B. Aires, onde abasteceríamos os rebocadores, quando vimos uma cena curiosa; três Sacerdotes, Franciscanos ao que parecia, caminhando com mochilas nas costas, indo para acampar quem sabe onde, e se veiam bem animados…bem, na Argentina, o Campismo é bem mais difundido do que no resto da América Latina, incluindo nosso País, e é bom ver que mantem em alta esta saudável pratica, que é comum para nós Campistas, más não para uma enorme faixa da nossa população.
Provavelmente por isso, é que existem tantos Camping espalhados por toda a Argentina, e não só em regiões turísticas conhecidas…por vezes, numa cidadezinha de menos de 3.000 hab., você encontra um Camping…pode ser pequeno (de fato, a maioria é), sem nenhum luxo, más existem, e isso, para nós Caravanistas e Campistas em geral, faz muita diferença.
Bem, eis que chegamos no posto YPF na rotatória das Rutas 5 e 33, e vamos lá abastecer num lugar que já conhecia, e tive a surpresa de que a bomba de S10 (ou Euro diesel, como chamam lá), tinha mudado…ao perguntar a razão, disseram que deixaram a bomba de S500 num local amplo, próprio para camiões abastecer, e as de Euro, de lado da loja de conveniências, já que somente camionetas e carros (sim, lá tem carros de passeio diesel como na Europa) normalmente usa o S10 (Euro)…más eles não pensaram que teriam que abastecer os rebocadores atrelados ao Papa-leguas e o Guanaquito…quê falta de imaginação e planejamento, quê falta de absurdo…vou enviar uma carta de protesto ao Presidente Macri!
Então, Thomas se deu bem (a Maroca é igual ao dono, bebe qualquer coisa! KKKKK…brincadeirinha, Thomas!), enquanto Polini e eu nos esprememos para abastecer…Putz, passei com o Guanaquito a três dedos dum telhado, e a roda esquerda traseira, a duas micras da base de cimento da bomba…ainda bem que Beti e Neiva me ajudaram muito sinalizando e conferindo as distancias para não machucar meu amado filho…
Realmente, como a Rep. Argentina é bem menos povoada do que o Brasil, os postos, obviamente, seguem esta tendencia de ser mais enxutos, por ter menos movimento, o que por vezes, causa pequenos problemas de espaço nos mesmos, especialmente para nossos comboios, e se hum rebocador e Trailer ocupa muito espaço nestes postos pequenos, imagina três…por isso, a minha preocupação constante de onde iríamos parar para abastecer, em função de nosso tamanho somado, pois não raro, quando o primeiro conjunto parava de lado da bomba de abastecimento, o último conjunto corria perigo de ficar com a rabeira do Trailer na estrada ou rua…normalmente era o Papa-léguas que ficava em posição desconfortável, más rapidinho Polini elaborou um plano de sair logo da zona de perigo, e não tivemos maiores dificuldades dali em diante. (Lembrei quando da ida para o 1ro. Encontro MaCamp em Campos do Jordão, quando Odair, Jairo e eu entramos num postinho em Sampa, com um Imperial, um Vila Rica e um Diamante, os três maiores Trailers da Turiscar juntos…fechamos o posto…não tinha lugar para entrar nem de bicicleta!)
Em compensação, nosso posto em Trenque Lauquen tinha um pátio grande na parte traseira do mesmo, com boa grama e sombra, e que de fato, era um ponto de reunião, por estar situado no cruzamento das Rutas 33 e 5, coisa que aproveitamos, claro, para descansar por alguns instantes e tirar mais fotos.
Então, quando conversamos sobre a viagem em geral até então , Polini teve a ideia de, como estava relativamente cedo, não muito longe de nosso ponto de pernoite, ou seja, 160 km para Santa Rosa, e a 260 km para G. Acha, poderíamos voltar à nossa programação original, e continuar direto até o Camping de Acha, para pernoitar lá.
Thomas achou a ideia razoável, e eu concluí que, embora teríamos que acelerar nosso ritmo de marcha, o fato de voltar à nossa programação original era interessante, e assim o fizemos; o único porém para mim, é que teríamos que aumentar nossa velocidade de cruzeiro, que pelo fato de eu ir na frente, mantinha os 80/85 km/h, velocidade que sempre utilizo quando viajo sozinho, em função de me manter dentro da velocidade máxima estipulada em lei e assim evitar aborrecimentos com os guardas, além de ser uma velocidade econômica para meu conjunto rebocador e rebocado, e também porque considero esta velocidade de cruzeiro mais segura, especialmente para frear de emergência…afinal, quando voava jatos a 900 km/h, já tive e curti a sensação de ser rápido que chega… e como diz o decalque do MaCamp que tenho grudado no Guanaquito, “Não tenho pressa, estou em casa…”,..e ainda, uma coisa que considero muito importante também, é que a 80/85 km/h, eu posso curtir a paisagem sem ficar comprometida minha atenção ao dirigir, quanto ao tempo de resposta em caso duma freada de emergência ou qualquer outra eventualidade que demande uma ação imediata …passei uma vida inteira como Piloto agindo assim, e isso me conservou vivo, o que não é pouca coisa.
Bem, como considerei que o custo-beneficio compensava, embora perderia muito da paisagem pela concentração e cuidado extra que a situação exigia, e o consenso era geral, lá vamos nós, “cruzeirando” a 100 km/h, e até 110 km/h de GPS (118 km/h de velocímetro) as vezes para ultrapassar alguns motoristas locais que viam meu decalque enorme de “80 km/h” fixado na traseira do Guanaquito…confesso que ficava um pouco envergonhado com a surpresa do pessoal ao ser ultrapassados por um comboio que deveria estar a 80 km/h…imagino o pessoal nos vendo ultra-pasarlos e dizendo entre eles… “Che, mirem ese Brasileño corriendo enloquecido con una Casa Rodante grandota…no, mirá, no es uno, son tres !!!” …podem acreditar que não o fiz mais, mea culpa.
O fato é que chegamos, conforme planejado, em General Acha antes do anoitecer, por causa do entardecer ser apos as 21 hr, já que cada vez mais estamos indo para o Oeste, seguindo o sol, e ainda bem, pois coisa que detesto é chegar num Camping, especialmente quando não conheço o mesmo, e ter que instalar acampamento no escuro, e precisar ligar luz, água, cuidar para não perder ferramentas, etc. de maneira precária, comum quando a visibilidade é diminuída.
Quando chegamos no Camping, do qual tinha me informado meses antes com a Família Silva, que no ano anterior, se mal não lembro, tinha passado por lá, e que me deu dicas muito importantes e úteis, pelo que sou muito grato, para poder ingressar no mesmo; a entrada era um pouco estreita, e pior, com uma curva acentuada após, o que permitia o Papa-léguas entrar bem, más que embora possível, não me deixava comodo com a manobra a ser realizada com o Guanaquito.
Eis que entrando a pé, falando com o pessoal que já estava acampado lá, me disseram que tinha outra entrada que era um pouco maior, e que daria mais folga aos Turiscar, especialmente pela altura, já que eu não queria machucar a placa solar instalada no teto do Guanaquito; então, assim o fizemos Thomas e eu, e após umas manobras com cuidado de não machucar os Trailers, pudemos finalmente, nos ajeitar no local.
O Camping de General Acha, inicialmente parece feiinho, sem grama, só com terra, más o fato de ter água, luz, e principalmente, segurança, compensavam os defeitos iniciais…além do mais, como é Municipal, não nos onerou nem um centavo sequer o pernoite,e os vizinhos, alguns rapazes que estavam festejando um aniversário com um churrasco, claro, foram muito educados, pois não fizeram barulho e muito menos bagunça, e ainda carregaram para pertinho de nós, uma pesada mesa de madeira com bancos do Camping, onde jantaríamos…
Os vizinhos, muito educados, foram embora perto de media noite, sem que a gente ouvisse qualquer algazarra, e dormimos bem, após um dia cansativo, onde percorremos por volta de 850 km, bem acima da nossa proposta de aprox. 650 km por dia, más, no final das contas, compensou o atraso causado pela famigerada policia de Entre Rios.
Amanhã cedo, entraremos de fato no deserto patagônico…esperando ansioso!

Local do posto de Trenque Lauquen: https://goo.gl/maps/bNrsCiDh4EL2

Vista com Street View: https://goo.gl/maps/zvS8jn8w99K2

Entrada lateral, por onde Polini ingressou no Camping Municipal de General Acha: https://goo.gl/maps/m395mMkMxK82

Entrada que Thomas e eu utilizamos: https://goo.gl/maps/r9rX5naJbbS2

Fotos:

Um par de fotos do dia que lotamos o posto, como relatei anteriormente neste tópico, indo para Campos do Jordão para o Primeiro Encontro MaCamp…saudades…

Os Três Mosqueteiros Grandalhões tomando o posto de assalto…

O dono do posto deu Graças a Deus quando fomos embora…

Voltando à viagem do relato:

Foto de Isa, mostrando os campos de girassóis na Prov. de B. Aires.

É, na Argentina o Campismo é bem mais aceito…até os Padres saem acampar de mochilão…Foto de Isa.

Mais uma foto de Isa…imagino que deve ser um Camping Abençoado…

O posto em Trenque Lauquen.

Foto de Isa. “Olha eu aqui!” Não, Thomas não estava bebendo e dirigindo, não…isso que tem na mão não é um copo, é um dosador de aditivo para o diesel…acho…

Me espremendo atrás do Papa-leguas…passou perto!

É, não sobrou muito espaço mesmo na curva…

Bom, o Papa-léguas entendeu que era o ponto de reunião mesmo… Foto de Isa.

Bela sombra para o comboio.

A turma toda…bem, faltou Thomas, más ele diz que “Guasca bom, não se mistura…” KKKKK

Foto de Isa, mostrando o descanso do comboio.

“Todos a bordo!” Continuando a viagem…

Na estrada de novo. Foto de Isa.

Entardecer perto de General Acha, Prov. de La Pampa.

Foto de Isa; na medida que nos afastamos da Provincia de B. Aires, a vegetação começa a mudar.

“Acelera Guanaquito, que o sol não espera…”

Foto de Isa, mostrando a chegada em G. Acha.

A entrada do Camping Municipal de G. Acha; bem que a Familia Silva falou que era estreita e em curva…

O Papa-leguas foi e passou bem…

Bagualito e Guanaquito, na foto de Isa, fomos por outra entrada mais larga (pero no mucho!), que descobri com o pessoal do lugar.

A lua, na foto de Isa, no céu do entardecer de G. Acha.

Bem mais de perto, na foto de Isa.

Continua…

CLASSIFICADOS: