Responder a: Restaurando Turiscar Rubi 77 do zero.

HOME Fóruns Caravanismo Trailers Restaurando Turiscar Rubi 77 do zero. Responder a: Restaurando Turiscar Rubi 77 do zero.

#98387
AlexJoinville
AlexJoinville
Participante

Então vamos lá.
Férias de julho 2017.
Hoje quero compartilhar com todos a experiência que tive com a primeira viagem de longa distância com o trailer, com cerca de 2000 km, quero detalhar também alguns problemas mecânicos que tive no percurso, quase todos por falta de experiência, e acredito que isso pode ajudar outras pessoas que estão iniciando nesse mundo de trailers e motorhomes.
Saímos de Joinville no dia 09/07/17 as 17hrs, era um domingo e decidimos sair mesmo sendo no final do dia pois dormiríamos na beira da BR 101 em algum posto de combustíveis. Nosso primeiro destino era Gramado, na serra gaucha.
Paramos na cidade de Imbituba no Posto Rosso para pernoitar, estacionamos nos fundos, tomamos nosso banho, no trailer é claro, com 200 litros de água disponíveis não havia necessidade de ir tomar banho no posto, jantamos e fomos dormir por volta das 23hrs. As 5 da madruga acordamos, não por vontade própria mas sim por conta de um cachorro que começou latir as 5 e só parou as 7… Conseguimos voltar a dormir pois estávamos muito cansados e levantamos por volta das 9. Nossa primeira noite nessa viagem foi muito ruim.

20170710_092329.md.jpg
20170710_092216.md.jpg
20170710_092240.md.jpg

Seguimos nossa viagem rumo ao sul e tocamos direto até Gramado, paramos em alguns pontos para fotos e lanches é claro, e chegamos ao Camping Gramado as 17:30.

20170710_125510.md.jpg
20170710_125633.md.jpg
20170710_151838.md.jpg
20170710_152051.md.jpg
20170710_152114.md.jpg

Tivemos uma noite ótima, o local é muito sossegado, a temperatura estava em torno dos 8 a 10 graus durante a noite, percebi que suava muito nos metais e paredes internas do trailer e consultei o pessoal do forum Macamp, o Marcos Pivari me respondeu que é normal então fiquei tranquilo.

20170713_091255.jpg

Ficamos em Gramado de segunda até quinta, já conhecíamos a cidade e fomos apresentá-la a nossa filha de 14 anos.
Ainda na quinta por volta das 16hrs partimos rumo ao litoral, os freios aqueceram um pouco na descida da serra mas estavam tudo ok, paramos no Posto Shell em Três Coqueiros, um pouco antes de Sta Rosa do Sul logo na entrada do estado de SC, o próximo destino seria a cidade de Nova Veneza no sul do estado, na sequência iríamos para Laguna, cerca de 120 km em direção ao norte de SC.
Dormimos muito bem e seguimos para Nova Veneza, no caminho passamos pela cervejaria que fabrica as cervejas Saint Bier, Coruja e Duff, estacionei para fazer uma visita.

20170714_115500.jpg

Quando desci do carro já vi fumaça saindo de uma roda do trailer, o freio estava travando sozinho, desativei o freio do trailer e segui em frente, mais devagar é claro, já estava bem perto do destino e não tinha mais descidas pela frente. Chegamos no centro da cidade por volta de das 13hrs, estacionei na praça do Palazzo Dele Aque, almoçamos, desengatei o trailer da Ranger e fomos explorar a cidade.

palazzodeleaquenovaveneza.md.jpg
20170714_134746.md.jpg
DSC02514.md.jpg

Nova Veneza é uma cidade pequena, colonizada por italianos vindo da região de Vêneto, e como sou descendente de italianos quis conhecer a cidade. Lá tem uma Gôndola Veneziana legítima, trazida pa Itália e exposta em uma praça charmoza no centro da cidade. conhecemos também as casas de pedra da familia Bratti, construídas em 1891 por Luigi Bratti.
Fomos também conhecer a Vinícula e Cantina Borgo, uma construção de pedra em forma de castelo com 3 pisos, lá é produzido um vinho com as uvas Goethe, exclusivos da região. Compramos nossos vinhos, tiramos muitas fotos e voltamos ao centro da cidade, desta vez para comprar um cilindro de freio de fusca para reparar o problema com o trailer.

DSC02597.md.jpg
DSC02550.md.jpg
DSC02551.md.jpg
DSC02554.md.jpg
DSC02555.md.jpg
DSC02574.md.jpg
DSC02580.md.jpg
DSC02586.md.jpg

Quando disse que os problemas que tive foram por falta de experiência é porque no processo de montagem tive muita orientação teórica mas nenhuma prática. Apesar de já ter tido um Fusca e conhecer bem a parte dos freios de lona, que dão muita manutenção, li em algum lugar que nos trailers o freio não deve ficar muito justo, então deixei as lonas mais folgadas. Acontece devo ter deixado muito folgado e durante a descida um dos cilindros de freio da roda estourou. Na verdade não estourou, como deixei uma folga muito grande, o curso do cilindro chegou ao fim e o pistão saiu do cilindro, se atravessando e deixando a lona freada o tempo todo, gerando atrito e aquecendo. Apesar de ter rodado cerca de 1800km do jeito que tava acho que durante esse teste as lonas gastaram um pouco e foi o suficiente para chegar ao fim do seu curso.

freiodotrailer1.jpg

Fiz a troca do cilindro inteiro, sangrei os freios e deu tudo certo, agora tenho a experiência prática que faltava sobre esse assunto, e graças a Deus as rodas trancaram quando eu estava em lugar seguro.
Seguimos para laguna, onde temos um ponto de ancoragem, uma casa da família.

20170715_155412.md.jpg
20170710_102836.md.jpg

Lá ficamos sábado e no domingo dia 16/07/17 ouvimos que a previsão era de neve nas serras catarinense e gaúcha, decidimos então, sem nenhuma programação prévia, subir a serra catarinense até São Joaquim. Ouvimos a notícia era umas 15hrs, as 16:30 já estávamos na estrada, toquei direto até Uribici, subi a serra a noite mesmo e estacionamos no pátio de uma pousada em Urubici onde fomos muito bem recebidos e o proprietário nos permitiu pernoitar ali, as 7 da manhã acordamos com 10 graus, tomamos café e seguimos em frente.
Chegamos em São Joaquim as 9hrs da manhã, e ao entrar na cidade avistei um portal, com um boneco de neve (uma estátua) onde as pessoas tiravam fotos, resolvi encostar para fazer o mesmo, ao virar o volante para a direta escutei um barulho estranho de algo arrastando, olhei pelo retrovisor e vi a roda dianteira esquerda do trailer se entortando, caindo… parei imediatamente, o trailer já estava no acostamento.
Desci e fui verificar, os 5 parafusos da roda haviam se soltado, ficando apenas um pela ponta da rosca ainda na roda, o que manteve ela presa ao cubo.
Olhei na pista e encontrei todos os parafusos, ali pertinho de onde parei, parece que eles foram se soltando e quando virei a tensão lateral fez eles saírem de vez.
Mais uma vez a falta de experiência, pois eu não sabia que no frio intenso os parafusos precisam de reaperto, ou talvez pela torção excessiva nas curvas da serra, de qualquer forma foi um aprendizado e tanto. Mais uma vez tivemos sorte pois poderia ter acontecido na descida onde não tem como estacionar, ou na noite anterior, o que seria ainda pior. Apesar de tudo estou com sorte.
Os parafusos ficaram parcialmente danificados, então para poder seguir em frente retirei um parafuso de cada roda e coloquei na roda que caiu, os parafusos ruins pude colocar com arruelas nas rodas boas, eles ainda tinham um pouco de rosca na ponta.

20170717_095527.md.jpg
rodacaidadotrailer1.md.jpg
rodacaidadotrailer2.md.jpg
rodacaidadotrailer3.md.jpg
rodacaidadotrailer4.md.jpg
rodacaidadotrailer5.md.jpg
rodacaidadotrailer6.md.jpg
rodacaidadotrailer7.md.jpg

Entrando na cidade parei no primeiro posto, para pedir informação sobre camping, mas ninguém sabia onde tinha um, de repente avistei um funcionário da Defesa Civil, lhe perguntei sobre algum camping e expliquei que estava chegando na cidade sem ter destino certo. Ele me disse para ficar no Parque da Maçã, ali pertinho, foi muito atencioso e ainda me escoltou até o local, onde haviam outros motorhomes e Kombihomes.
Aqui cabe um comentário sobre o povo serrano de SC, todas as pessoas que conversei foram muito simpáticas, atenciosas e gentis, sempre tentando ajudar de alguma forma, me senti muito bem recebido nas cidades de Urubici e São Joaquim.
Nesse mesmo dia, as 16:45 começou a nevar, minha filha ficou super entusiasmada e tiramos muitas fotos, não foi a nevasca forte que anunciaram, mas para eu e minha família estava de bom tamanho, deu pra ter uma ideia do que é viver no frio, mesmo que somente por uns dias, fizemos até boneco de neve, ficou bem pequenininho, mas usamos nossa criatividade e em perspectiva conseguimos tirar umas fotos com ele bem maior.
Depois de estacionar no parque, conversei com um Sr que ali estava, ele tinha um MH e fui perguntar sobre o sistema de água, se ela congelava nas nos reservatórios. Ele me afirmou que já havia pego dois graus negativos em Lages SC e não congelou, então decidi não esvaziar as caixas, decisão errada, a água das caixas não sei se congelou de fato, mas nos canos… congelou tudo, e a entrada do vaso sanitário se rompeu, não devido ao congelamento ali pois não estava congelado dentro do trailer, mas sim pela alta pressão que esse congelamento nos canos da parte externa do trailer causaram. Isolei essa parte do encanamento e lá pelas 15hrs o sistema voltou a funcionar.

20170718_082643.md.jpg
20170718_082655.md.jpg
20170719_073421.md.jpg
20170719_073442.md.jpg
20170719_073547.md.jpg
saojoaquim1.md.jpg
saojoaquim2.md.jpg
20170718_081649.md.jpg
20170718_081803.md.jpg
20170718_081837.md.jpg
20170718_081858.md.jpg
DSC02680.md.jpg
DSC02684.md.jpg
DSC02666.md.jpg
DSC02670.md.jpg

No dia seguinte fomos ao centro da cidade, procurar os parafusos que estragaram no caminho. Encontrei um ferro velho bem pertinho do parque onde estávamos, e lá consegui comprar 3 parafusos, estava voltando com eles mas minha esposa insistiu que eu procurasse por mais 2 pelo menos, pra ter os 5 inteiros de volta.
Andei mais um pouco em direção ao centro da cidade e avistei uma oficina mecânica com vários carros antigos, resolvi parar para perguntar se tinham os ditos parafusos, como não tinha vaga na rua parei a Ranger na entrada de outra oficina mecânica, ao lado. Deixei o carro ligado, minha esposa ficou esperando dentro, desci e fui ao lado perguntar, estava conversando com um funcionário quando houvi minha esposa chamando, meio desesperada, fui até lá e ela me mostrou um liquido rosado escorrendo embaixo da Ranger, era óleo diesel, jorrando por baixo do carro. Desliguei e entrei nessa mecânica que estacionei em frente, pois ao chegar mais perto da outra percebi que a mesma não estava devidamente preparada para uma manutenção de qualidade.
O dono da mecânica me recebeu, verificou o problema e disse que possivelmente era um vazamento no retorno para o tanque, e que precisava retirar o tanque de combustível para saber exatamente o que deu problema. Empurramos ela pra dentro da oficina, em cinco homens e passando trabalho. O mecânico me disse que isso não era normal, ela estava muito pesada.
Deixamos a Ranger lá e fomos caminhando até o trailer, cerca de 2 ou 3 km de distância, era perto do meio dia e o conserto ficaria pronto somente lá pelas 16hrs. No caminho tivemos tempo de conversar sobre tudo o que havia acontecido até então, e a sorte que tivemos apesar de tudo. Esse defeito ter apresentado exatamente na frente da oficina, poderia ser na descida da serra, onde não tem nem como estacionar.
Enquanto esperava pelo conserto da Ranger, fui colocar os parafusos que encontrei, em certo momento fui abrir a porta do trailer e pra minha surpresa a porta caiu, a dobradiça de baixo quebrou e a porta ficou pendurada. Chamei minha esposa e mostrei a porta pendurada, ela caiu na gargalhada e disse pra eu me benzer.
Mais uma vez, por sorte eu tinha uma fechadura nova guardada, e quem tem uma dessas reserva afinal?
Acontece que na montagem do trailer eu precisei arrumar a porta, ela não tinha os frisos da parte de baixo, já que era bipartida. Resolvi então fazer uma porta inteira e colocar três dobradiças, mas nunca coloquei e a nova ficou guardada. Em 30 minutos resolvi o problema.
Conhecemos dois casais que estavam com suas Kombihomes, o Marco e a Katia e também o Luiz e a Solange, que tem um canal sobre o projeto deles de sair pelo mundo a bordo da Aurora
Perto das 16hrs o Marco e a Katia estavam saindo para seguir até Urubici e explorar a cidade. Peguei uma carona até a oficina para buscar a Ranger.
Quando cheguei eles estavam finalizando a o conserto do vazamento, era uma mangueira de retorno de combustível para o tanque, que em determinado momento estragou e fizeram uma gambiarra daquelas, e coincidentemente deu problema agora. O mecânico arrancou a gambiarra e colocou peças novas, resolvendo o problema. Como ela estava pesada pra empurrar fomo ver o que estava errado, as rodas estavam girando facilmente, então não era problema no freio, não estava trancando. Colocaram a Ranger na rampa de alinhamento, segundo o mecânico ela deveria estar desalinhada para estar tão pesada.
A roda dianteira direita estava com a cambagem e a convergência fora. Depois de alinhada o próprio dono da oficina empurrou ela pra dentro com apenas uma das mãos.
Quero ressaltar aqui a honestidade e presteza com que o proprietário me atendeu, pra quem precisar de mecânico na cidade de São Joaquim recomendo a Mecânica Sasso, bem na entrada da cidade na avenida principal, uns 300mts do posto.
Pernoitamos ainda em São Joaquim, já estava tarde pra pegar a estrada.
Com tudo resolvido partimos para Urubici afim de visitar a Pedra Furada e o Morro da Igreja, mas como precisa de autorização do Ibama para fazer a visita e o número máximo de visitantes já havia sido atingido, nós poderíamos ir somente no outro dia. Existem outros pontos turísticos na cidade, muitas cachoeiras, mas resolvemos partir rumo ao litoral novamente, fomos pra Laguna, o tempo estava limpo e sem vento, ideal para pescar.
Tudo tranquilo no percurso, chegamos em Laguna eram umas 22hrs.
Algumas fotos do trajeto.

20170719_150433.md.jpg
20170719_100756.md.jpg
20170719_123343.md.jpg
20170719_142804.md.jpg
20170719_144150.md.jpg
20170719_150227.md.jpg
trajetodescendo1.md.jpg
trajetodescendo2.md.jpg

Ficamos por lá descansando, fomos pescar e curtir os bares e restaurantes, mais algumas fotos, até o sábado dia 22/07/17.

IMG-20170722-WA0012.md.jpg
20170721_134541.md.jpg
20170722_175650.md.jpg
20170722_121624.md.jpg
20170721_141342.md.jpg
20170721_181250.md.jpg
20170721_180430.md.jpg
20170721_181038.md.jpg
20170721_150003.md.jpg
20170721_143959.md.jpg

No final do dia partimos para Joinville. Passando por Florianópolis senti que o carro estava dando uns solavancos diferentes do normal, perguntei a minha esposa se ela também sentiu algo diferente e ela confirmou, como estava passando por uma área muito movimentada resolvi tocar mais um pouco e paramos na PR de Biguaçú.
Verifiquei as rodas, tudo ok, dei uma olhada geral e tudo estava certo, ao verificar o engate do trailer atrás da Ranger percebi que estava faltando um dos dois parafusos que seguram a munhequeira na lança do trailer e dessa forma ela subia e descia conforme o relevo da estrada. Achei estranho pois o parafuso não poderia ter se soltado já que a porca é autotravante, aquelas que você não consegue soltar com a mão, somente com chave, ela tem um anel de plástico no fim da rosca para não afrouxar sozinha, deduzi então que o parafuso quebrou.

20170726_202203.md.jpg
20170726_202151.md.jpg

Carrego comigo uma mini oficina na caçamba da Ranger, com ferramentas e parafusos a vontade, coloquei um que consegui adaptar ali e continuei a viagem, os solavancos terminaram e cheguei em Joinville era meia noite em ponto.
Apesar de todas os imprevistos achei que foi uma viagem tranquila, que tive bastante sorte apesar de tudo, os problemas foram resolvidos facilmente e serviu de experiência pra vida toda, não sei quantos de vocês passaram por situações como estas mas acredito que tenham vivenciado algo semelhante, não existe curso especializado em viagens tranquilas, estávamos a procura de aventuras e encontramos, rendeu uma boa história, é vivendo que se aprende.

Decar Trailer 728×90