Responder a: Pelas Serras e Cidades Históricas de Minas Gerais -Out/Nov 2015

#64072 Resposta

Roger Formiga
Participante

Então aqui vai o primeiro relato detalhado do tour, trecho de São Francisco Xavier a Marmelópolis. Saímos de S. Lourenço da Serra no domingo dia 30 de agosto com destino a São Francisco Xavier. Optei por um caminho monótono mas mais rápido, Rodoanel, Airton Senna, Carvalho Pinto até São José dos Campos, onde pegamos a SP-50 para Monteiro Lobato. Essa estrada é muito bonita, a subida da serra, as curvas, paisagens para ir devagar curtindo. Fomos direto para o Camping Canto dos Pássaros que tinha boas referências aqui no guia.

Já fiz anteriormente os comentários sobre o camping, que está aqui: http://www.portal.macamp.com.br/forum/showthread.php?tid=5971


São Francisco Xavier é um distrito de São José dos Campos, mas parece uma típica cidade do interior, pacata, limpa, tranquila. Vale a pena conhecer e passear por lá.

Dentre os atrativos existentes resolvemos conhecer o Pouso do Rochedo que é uma propriedade particular onde tem várias trilhas, um pico com trilha bem demarcada onde se chega a 1.500 m de altitude, algumas cachoeiras e outros atrativos como campo de futebol, piscina, parque para crianças, etc. Tem também chalés para hospedagem e restaurante. Cobram R$ 20,00 por pessoa e pode passar o dia por lá. Fizemos a subida do pico e a trilha das cachoeiras. Trilhas fáceis, mas a subida é bem puxada.


No dia 1 de setembro deixamos S. Francisco e fomos para São Bento do Sapucaí, que já tinhamos dado uma passada uns anos atrás e interessava conhecer um pouco mais. E São Bento procuramos camping mas não encontramos nada perto da cidade, então a melhor opção foi uma hospedaria que alugava uma casinha de fundos, boa para fazer a janta e passar a noite.

São Bento do Sapucaí é uma cidade bonita, bem cuidada, tudo limpo, muito tranquila, pessoas simpáticas.

Dia seguinte demos mais uma volta por São Bento, subimos a serra que liga com Campos do Jordão onde tem várias cachoeiras, sendo a maior a do Toldi, uma baita queda bem alta. Essa estrada é bem íngreme, muitas curvas, visual bonito, tem-se a vista o tempo todo da Pedra do Baú, atração mais famosa de São Bento do Sapucaí. Minha intenção inicial era subir essa estradinha e pegar a BR-383 para Piranguçu, mas essa estrada é em terra e como tinha tido um probleminha no X-12 e não tinha certeza que estava resolvido não quis arriscar e dei uma volta maior, mas somente asfalto, passando por Paraisópolis, Brasópolis, Piranguinho, Itajubá. [Curiosidade: Pelo interior do BR determinadas cidades são cidades de tal ou qual especialidade. Piranguinho é a cidade do “Pé de moleque”. Em todo lugar tem venda de pé de moleque. Em Brasópolis existe um observatório astronômico num pico com pouco mais de 1.500m, mas não é aberto a visitação. ] Esse caminho até Itajubá é tranquilo, estradas boas, visual bonito, pouco trânsito. Já de Itajubá para Delfim Moreira, a estrada é boa, mas tem muito, muito, trânsito de caminhão. É região de serra, muitas subidas, caminhão a 15 km/h na subida, quase sem pontos de ultrapassagem, perde-se muito tempo. Saindo de Delfim Moreira, pegamos a MG-350 para Marmelópolis. É uma estradinha muito legal, no meio da serra, com muitas curvas, subidas bem íngremes, curvas bem fechadas, visual muito bonito o tempo todo. Estrada em bom estado de conservação com um bom trecho de asfalto novinho. Em alguns pontos chega-se a 1.700 m de altitude. É mais um caminho para ser feito durante o dia, com calma, curtindo a paisagem. Em Marmelópolis, basta seguir as placas (tem muitas) para a Pousada e Camping Maeda, que foi onde ficamos e vou falar no próximo post. Aqui os prints das rotas comentadas acima.

CLASSIFICADOS: