Publicidade:
 

GUIA DE INICIAÇÃO AO CAMPISMO

O Maior Portal de Campismo do Brasil preparou para você um guia completo para iniciar na pratica do campismo. Acampar é mais que uma forma de hospedagem. Além de uma paixão é um estilo de vida. Um hobby que a pessoa se apaixona. Pronto para entrar neste mundo natural? Então confira cada seção que preparamos abaixo.

Introdução

Agora que você já conheceu todo um resumo sobre o primeiro acampamento, é chegada a hora de conhecer passo a passo as etapas para se tornar um campista e partir para o primeiro acampamento.

A aquisição dos equipamentos básicos, lista de coisas mínimas para se levar e para onde ir nesta primeira viagem. São escolhas que poderão definir uma vida toda de campista, já que invariavelmente esta “carreira” depende do sucesso das primeiras vezes.

Nesta seção tentaremos abordar as questões para este acampamento de forma básica, ou seja, nada de super acessórios ou altos investimentos. É importante saber que equipamentos bons e caros serão consequência de seu progresso pessoal na prática.

Basicamente as primeiras providências para se tornar um campista será:

– O entendimento sobre o campismo como estilo de vida/turismo e não como forma barata de se viajar.
– Aquisição de equipamentos básicos.
– Entender como funcionam na prática
– Quais itens são precisos para levar.
– Escolher um camping.
– Planejar a viagem
– Pegar a Estrada.
– Dicas de acampamento e acessórios

É com este guia em questão que você terá apoio para tudo isso. Pronto? Então utilize o menu vertical a esquerda e aprenda tudo passo a passo.

Lembre-se de que para sua primeira acampada, seria ideal fazê-la na companhia de campistas já experientes que poderão auxiliá-lo em muitas oportunidades e aprendizados. Caso não seja possível, aventure-se assim mesmo.

Campismo: Estilo de Vida

Uma das principais lições para se tornar um CAMPISTA DE ALMA é mesmo entender que a prática significa um estilo de vida e não uma forma barata e rudimentar de se viajar.

Este conceito não é essencial apenas para o aspirante campista, mas de uma forma geral do brasileiro. Existe um preconceito enorme por parte de muitas pessoas que não conhecem o campismo a fundo.

Acampar não significa viajar barato. Até na maioria das vezes sim porque no camping o estabelecimento não necessita oferecer estrutura, roupas de cama, banho e demais insumos. A manutenção e limpeza dos banheiros coletivos se tornam mais econômicos propiciando um custo de diária mais barato. Porém esta não é uma regra. Há campings, principalmente em feriados e temporadas que custam mais do que pousadas simples. A escolha do turista pelo camping não se dá pelo amor por se viajar com sua própria “casa”, tendo seus próprios pertences como roupa de cama, toalha e travesseiro, além de poder fixar seu abrigo em locais que nenhuma casa ou pousada pode chegar.

Acampar é ter vizinhos prontos a lhe ajudar, sem muros e trancas onde cada um aprende a respeitar o espaço do outro. O quintal é a natureza e do abrigo pode-se sentir os pingos da chuva no teto como também ouvir o canto dos pássaros como se estivessem lá dentro. No camping você pode preparar sua própria comida ou ainda compartilhá-la com seus amigos. Pode combinar aventuras em turmas sem limite de número ou espaço. Na maioria das vezes não necessita de tanta antecedência no planejamento e sequer fazer reservas antecipadas.

Em termos sustentáveis, o campismo pode oferecer muito mais espaço com menos desmatamento e construção. Pode chegar a lugares que sequer se pode construir ou ainda preservar matéria prima e dinheiro em manutenções de grandes estruturas como as de hotéis. Em termos sociais, garante uma educação mais sadia para as crianças que aprendem a respeitar o espaço de outros sem a necessidade de barreiras físicas e o indivíduo possui maior contato com seu semelhante resultando em cooperação e cidadania. Em termos econômicos o camping torna-se um equipamento turístico de mais baixo custo de implantação, dando oportunidade do empreendedor testar melhor seus potenciais e investir gradativamente em seu negócio até mesmo quando criar unidades de hospedagem como chalés ou suítes.

A ideia da explanação acima é apenas para formalizar à sociedade de que o campismo é realmente uma paixão e não uma alternativa. É claro que também há procura por este quesito, mas é apenas uma consequência da busca pela economia, similar à qualquer área de atividade. Talvez melhor do que se discriminar o campismo feito por aquele indivíduo que busca preço mínimo para algum evento ou oportunidade seria pensar que tal acontecimento resultará na descoberta, experiência e chance do mesmo adentrar a um importante setor do turismo no qual o Brasil possui enorme potencial.

As Primeiras Aquisições

Sem dúvida a primeira aquisição de equipamento para se ingressar no campismo é mesmo a BARRACA. São muitos os tipos, modelos e marcas. É exatamente aí que será muito importante o processo de escolha.

Assim como todo tipo de equipamento de hobby/lazer, barraca boa não custa baratinho. Portanto seriam duas as possibilidades de não se gastar muito para experimentar a sensação de acampar:

1- Pegar uma barraca bacana emprestada com alguém.

Dê preferência para um modelo pequeno, de boa qualidade e aproveite as dicas de quem está emprestando. Procure acampar com pessoas já experientes e cuide muito bem do equipamento. No futuro você verá que a barraca é um verdadeiro “xodó” do campista.

2- Compre um modelo baratinho em um mercado.

IMPORTANTE: Saiba que esta escolha servirá apenas para um experimento e que em caso de chuvas, ventos ou aperto interno a experiência ruim se dará unicamente devido à baixa qualidade da barraca e não à realidade do campismo.

Caso já deseje adquirir a barraca definitiva fazendo o devido investimento, atente para a nossa seção de TIPOS DE BARRACAS e pesquise tanto na internet quanto em lojas físicas. Lembre-se de que caso seu tipo de acampamento ideal venha a ser de aventura, procure uma barraca compacta e leve e caso seja mais voltado para o lazer procure uma barraca que além da capacidade (lugares) das pessoas que irão habitar, sobre espaço para bagagens e outros pertences. Caso visite lojas físicas, prefira as que possuam um “show room” dos equipamentos montados para que você possa entrar, deitar e simular seu acampamento.

Depois da barraca resolvida, há alguns equipamentos básicos para correr atrás. O primeiro deles é o “colchão”. Este está entre aspas porque não é necessário especificamente um colchão, mas sim sobre o que você irá dormir. Este item depende principalmente na relação conforto X praticidade que seu tipo de acampamento irá resultar. As opções são desde o conhecido SACO DE DORMIR, que dispensa o uso de roupa de cama até o COLCHÃO INFLÁVEL. Neste quesito ainda tempos outros equipamentos que também serão abordados abaixo:

– SACO DE DORMIR: O saco de dormir poderá ser utilizado juntamente com os itens abaixo, mas também é usado sozinho. Este se faz muito prático, pois dispensa o uso de roupa de cama e as vezes até qualquer colchão.

– COLCHONETE: Os colchonetes são sem dúvida o mais caricato e charmoso item deste quesito, que é guardado enrolado e oferece certo conforto ao dormir. Ele pode servir de base para o saco de dormir ou usado com ou sem roupa de cama. A grande desvantagem dele é o volume que ocupa no transporte, tanto a pé quanto veicular. O colchonete é a opção mais barata para quem deseja começar.

– ISOLANTE TÉRMICO: Algumas pessoas utilizam o isolante térmico como base para o saco de dormir, principalmente alguns modelos infláveis que possuem um conforto a mais, porém ainda são itens menos macios e de igual desvantagem no quesito “volume” no transporte. Cuidado. Algumas marcas propagam que seus isolantes infláveis se tratam de colchões, mas não se engane. não se trata da mesma coisa.

– COLCHÃO INFLÁVEL: Item mais luxuoso e compacto da tralha, também se configura o mais caro. Modelos baratinhos comprados em supermercados serão ótimos itens de teste, mas em sua maioria não possuem uma grande durabilidade. Há modelos de solteiro, viúva ou de casal e até queen-size. Alguns de solteiro possuem botões para união. Há modelos com inflador incorporado, manual e até elétrico. OBS: Não conte com encher o colchão na boca…. caso opte por este item, garanta também um inflador mesmo que bem simples.

– LANTERNA: Hoje em dia há lanternas dos mais diferentes tipos e preços. As mais acessíveis e modernas são as de iluminação de LED. Lembre-se que aquelas muito baratas e com opção de recarregamento na tomada costumam ter uma bateria interna que dura pouco. Caso vá viajar para locais sem energia elétrica, prefira as que utilizam pilhas.

– LAMPIÃO: Cada vez menos usados ainda são a opção mais romântica de iluminar um acampamento. Tirando este quesito, o lampião ainda é o equipamento mais econômico quando falamos de uma iluminação mais forte e ampla. Hoje em dia, por utilizar cartucho de gás e ser mais volumoso na bagagem ele foi trocado pelas lanternas – algumas que inclusive imitam os velhos lampiões com iluminação menos focada e mais espalhada.

– FOGAREIRO: Este item poderá ser dispensado do primeiro acampamento caso haja opções de alimentação no local. De qualquer forma, o equipamento é um dos mais tradicionais do campismo dispostos em vários tipos. O mais portátil é mesmo o mini fogareiro que é rosqueado em um cartucho de gás butano bastante leve. Há modelos que inclusive dispensam o uso de fósforos.

– LONAS/TENDAS: As lonas e tendas já são equipamentos que farão parte de seus primeiros progressos no campismo e a necessidade deles dependerá das suas próprias adequações no campismo e dos espaços que você pessoalmente preferirá proteger. Para a primeira acampada aconselhamos a levar um pedaço de lona para construção (aquelas bem finas e baratinhas). Depois com calma você irá adquirir uma lona melhor. Há várias cores e a mais barata é a preta. Procure escolher uma azul, amarela ou mesmo transparente. Tendo geralmente 4m de largura no rolo, adquira ao menos 3 metros. Ela servirá para alguma URGÊNCIA como fortes chuvas, por exemplo.

Bem estes são os principais equipamentos a serem pensados e adquiridos para seu primeiro acampamento.

Testando Alguns Equipamentos

Antes da viagem propriamente dita é hora de fazer testes, apreciações e verificações em seus novos equipamentos. Já pensou chegar no seu primeiro acampamento e se dar conta que não vieram as varetas da barraca e que ela sequer ficará de pé? Ou então seu colchão inflável está furado?

A primeira coisa a fazer é testar sua barraca. Seja nova ou emprestada, arrume um lugar em casa para montá-la. Arraste os móveis da sala ou tire o carro da garagem. É claro que você não poderá esticar os panos dela, mas poderá montar a estrutura (varetas) e posicionar os sobrepanos para verificar todo o funcionamento, tirar suas dúvidas antes de pegar a estrada e principalmente checar se todos os itens estão presentes. São eles:

– Varetas (ferragens) – Estrutura
– Piso + Dormitórios (Panos internos geralmente de tecido).
– Sobreteto (geralmente de nylon ou lona)
– Espeques (fundamental)
– Cordas e amarras para esticar a barraca.

Depois disso cheque seus outros equipamentos:

– SACO DE DORMIR: Teste. Entre dentro dele. Experimente a temperatura e o conforto interno. Não esqueça de guardá-lo no saquinho próprio feito de nylon, que escorrega bem e auxilia na guarda compacta.

– COLCHONETE: Abra e cheque se está em boas condições. Não tente dormir nele uma noite… Existe uma diferença bruta em dormir em um colchonete na rotina em casa e na vibe de um acampamento.

– ISOLANTE TÉRMICO: Se for antigo, verifique se não está quebradiço. Se estiver curvado, inverta-o por algum tempo e depois enrole-o com a parte de cima para fora de forma que seu peso no uso force-o a ficar esticado.

– COLCHÃO INFLÁVEL: Importantíssimo inflá-lo e checar se não há vazamentos. Poeira e mofo são grandes inimigos deles. Para desinflar em casa, utilize um aspirador de pó para retirar todo o as interno. Desta forma você aprenderá como é a mágica da fábrica para conseguir colocar o colchão naquela caixinha. No camping não vai ter aspirador… mas no mercado há infladores com a função reversa exatamente para este fim.

– LANTERNA: Cheque as baterias e o funcionamento das lâmpadas ou LEDs.

– LAMPIÃO: Aproveite para aprender a instalar a “camisa” e acendê-lo.

– FOGAREIRO: Cheque o funcionamento e o gás. Aproveite e experimente qual a melhor panela ou canecão para levar na viagem.

Agora olhe para toda a sua tralha e se imagine acampando…. e pense em quais objetos e pertences levar e quais precisam ser checados. Faça sempre o uso de uma lista (de papel ou no smartphone) em seus planejamentos.

Check List Básico

Bem… De posse dos equipamentos anteriormente abordados é hora de pensar em um check-list para sua viagem.

É óbvio que para cada pessoa será um rol diferente de coisas a serem levadas para a primeira viagem, mas este texto procura trazer a tona pertences úteis e comuns para auxiliar o novo campista a construir a sua lista de necessidades. Alimente sua lista ao longo dos tempos e sempre faça uso dela.

Primeiramente verifique quais roupas levará dependendo do tipo de clima. Se for calor, leve uma blusa e calça para frio. Se frio, leve algo caso esquente. Não esqueça roupa íntima, meias e roupa para dormir. Não esqueça de toalha para banho, chapéu e seus calçados e chinelos. Roupa de banho mesmo no caso de ser interior. Um pano para limpeza poderá ser muito útil não só para secar suas coisas ou seu tênis em caso de chuva, mas para secar os equipamentos na hora de guardar. Pano para secar os utensílios de cozinha também.

Produtos de sua higiene pessoal são imprescindíveis. Escova de dentes, pasta, sabonete (líquido é muito útil no camping), xampu, pente/escova, cotonetes e até alguns itens curativos. Capriche na “necessaire” e escolha produtos que não destampem (e derramem) com facilidade. Mulheres não esqueçam de sua higiene íntima e os homens da barba. Repelente de insetos se faz necessário para muitas pessoas. Filtro solar é importantíssimo. ATENÇÃO: Nunca esqueça papel higiênico. Conta-se nos dedos os campings que oferecem este item no banheiro.

Para a parte de cozinha e aventuras, não esqueça um canivete, talheres, sal, açúcar, copo, cantil, pratos, panela, isqueiro. Apesar de termos latas de alimentos fáceis de abrir, não deixe de levar um abridor. Um canivete suíço possui abridores de latas, garrafas e até para um bom vinho. Leve detergente e buchinha para lavar seus utensílios. Não esqueça um mini cadeado para trancar o ziper da barraca.

Nunca esqueça a sua parte perante aos resíduos. Leve sempre seu lixo embora e para isso leve saquinhos. Acompanhando um mini kit para necessidades especiais entram barbantes, pequenas ferramentas, fita silver tape e etc.

Se você é ligado em tecnologia, não esqueça sua máquina fotográfica, pilhas e carregadores, GPS, Celular e aquelas outras coisas que você não vive sem. Apesar disso tudo, nunca deixe de levar um bloquinho e caneta… eles não falham na falta de energia.

Escolhendo um Camping

Primeiramente será necessário você escolher um camping para o seu primeiro acampamento. Mas antes de tudo é preciso entender bem a filosofia da prática.

Agora chegou a hora de encarar o fator “custo” para o acampamento, já que todos os campings particulares cobram taxas de hospedagem que podem ser “diárias” ou “Pernoites”. Nos últimos anos os preços dos campings cresceram relativamente e é muito comum a comparação entre o preço do camping e de pousadas simples. O verdadeiro campista de alma tem o campismo como ESTILO DE VIDA e não como forma barata de turismo. Uma pessoa que adora acampar paga até mais do que o valor de uma pousada para aproveitar as maravilhas que o campismo oferece. Não será nossa meta aqui a discussão deste assunto, mas sim a exposição desta filosofia.

Para escolher um camping você consultará o nosso GUIA DE CAMPINGS, mas antes…

Primeiramente você deverá escolher se o destino será o interior ou litoral. Estude as características das épocas do ano para cada região brasileira. Por exemplo, sabemos que o litoral na região Sul é procurado praticamente na temporada de verão, dado o inverno rigoroso. Já no sudeste, o verão é muito atingido pelas chuvas repentinas no litoral e mesmo no inverno a praia é bastante procurada. Leve também em consideração o feriado e suas frequências e para o primeiro acampamento procure escolher um camping que não fique lotado, que não sofra com chuvas tempestuosas ou até mesmo evite campings vazios. Com o tempo e experiência você estará pronto para curtir uma acampada enfrentando todas as adversidades.

Um camping bem estruturado, com segurança e opções de lazer vão muito bem nos locais de interior. Os campings do litoral já possuem características diferentes, tendo a proximidade da praia como fator preponderante. Escolha um camping bem recomendado que atenda suas necessidades e desejos. Fique atento ao acesso do tipo de transporte que você utilizará. Caso algum camping lhe agrade muito, mas você não possui veículo próprio e o ônibus não chega tão perto, não deixe de perguntar por telefone se algum responsável não poderia ceder uma carona de translado do ponto mais próximo ao camping. Isto não é incomum.

Atente para o nível de sossego que você buscará e ao tipo de data que realizará este acampamento. Consulte as avaliações e comentários em nosso guia para se certificar de que coisas desagradáveis não façam parte de sua primeira aventura. Seja zeloso com ruídos. No camping há de se dar preferência ao som da natureza e o respeito aos demais campistas.

SEMPRE certifique-se do funcionamento do camping entrando em contato antes.

Agora sim você poderá escolher seu camping em nosso GUIA DE CAMPINGS.

Planejamento da Viagem

Escolhido o camping e comprada a tralha é hora de você planejar sua viagem. Com o período disponível, ilustre um calendário dia a dia para planejar necessidades, passeios e etc.

PLANEJANDO DESPESAS:

Primeiramente coloque na ponta do lápis as principais despesas da viagem que são:

– Custo das diárias do camping
– Custos de combustível e pedágio (Se for de veículo próprio)
– Custos com Passagens (Caso vá de transporte público)

Depois jogue as despesas (estimadas) de alimentação e mercado:

– Refeições em restaurantes
– Compras de mantimentos (para consumir e preparar no camping)

Depois Planeje alguns passeios e programas:

– Passeios fechados (ex.: barco, trem, tur)
– Combustível/passagens para deslocamento
– Entradas e Ingressos

Por último, lance as despesas que se iniciam na sua própria cidade:

– Compras de mercado
– reservas

Para completar, planeje gastos extras de acordo com o seu estilo de viagem e pessoal:

– Despesas extras
– Compra de lembranças e presentes

PLANEJANDO O ACAMPAMENTO:

Para quem deseja curtir a rotina do acampamento, a dica é aproveitar o período de espera pela tão aguardada viagem devaneando e imaginando como serão os dias no camping. Imagine desde a chegada, a montagem dos equipamentos até algumas situações que você sonha em realizar. Aproveite estes pensamentos para fixar seu checklist, como e em que ordem irá acomodar sua bagagem e quais os mantimentos que terá que adquirir para isto.

Pesquise a fundo o camping escolhido para saber se existem apoios que dispensem você de levar algum equipamento e se existem atrativos que você poderá se preparar para aproveitá-los.

PLANEJANDO PASSEIOS:

Consulte nos guias e sites da localidade passeios para serem feitos. Pratique esta maneira insubstituível de adquirir conhecimento com novas culturas. Tente buscar a culinária local, as formas de artesanato e os atrativos naturais.

Acampando…

Chegou a hora! Ajuste cedo do despertador ou contar as horas para o final do expediente. Esta é a vida de um campista. Não importa se é o primeiro ou o milésimo acampamento…. o próximo é sempre uma tremenda expectativa. Não se sinta mal por parecer uma criança pequena. Esta é apenas a sensação de quem ama uma prática tão adorável.

Cuidado na estrada e olho na bagagem. Ao chegar no camping verifique se todo o prometido e anunciado existe conforme pesquisado. Se houver disposição, peça para checar se o camping agrada antes de fazer a ficha. Pergunte se há regulamento escrito. A maioria dos campings cobram todas as diárias adiantadas e neste caso, por segurança, aconselhamos pagar com cheque ou acertar apenas uma diária dizendo que irá embora no dia seguinte. Se tudo estiver bem diga que resolveu ficar mais. Depois dê um giro a pé por todas as áreas acampáveis para escolher a melhor. Evite muita proximidade com banheiros e equipamentos de apoio, como lava-pratos, piscinas e cozinhas comunitárias. Apesar de parecer prático, o movimento e barulho ao redor de sua barraca será grande.

Busque suas sombras de acordo com a rota do sol. Avalie se quer mais sombra de manhã ou de tarde. A barraca esquenta e esfria rápido. Sol na barraca de manhã é para os que curtem acordar cedo. Monte sua barraca esticando bem o piso e depois todas as amarras com espeques e cordinhas. Isto é fundamental para um bom desempenho do equipamento. Por mais que pareça que as cordinhas são dispensáveis, instale-as. Mantenha o máximo possível as telas fechadas desde a montagem até o término. Os mosquitos adoram se instalar neste “corpo” novo no pedaço.

Depois da barraca montada é hora de entrar com os pertences. Acomode tudo com calma e organização. Enfie nos cantinhos o que não será usado, como bolsa da barraca, do colchão ou a mala…. Acomode suas roupas de modo que fiquem sempre organizadas e a mão igualmente um guarda-roupas. Guarde também os demais pertences e equipamentos deixando uma área livre na frente da porta.

Uma dica importante: Nunca use a barraca como varal. É comum depois do banho não ter onde estender a toalha e jogá-la por cima da barraca, mas são três coisas que causarão arrependimento: 1- Chuva ou simples orvalho encharcarão sua toalha; 2- Qualquer ventinho ou o próprio movimento dentro da barraca fará a toalha escorregar e ir ao chão; 3- A toalha “limpará” toda a poeira e terra da barraca.

Em caso de chuva, certifique-se de que o pano de dentro (dormitório) da barraca não esteja encostando no pano de fora (cobertura). A capilaridade poderá fazer com que a água entre. Tome cuidado para objetos não fazerem este contato…. é comum por exemplo com travesseiros e eles acabam encharcando.

Durante a acampada, quando se ausentar, passe um cadeado no ziper da barraca. É uma segurança simbólica que traz bastante confiança. Em locais com muitos animais, principalmente saguis, deixe sempre frutas e alimentos guardados dentro da barraca ou bem protegidos. Lembre-se também que a barraca fechada sob o sol ficará muito quente.

Fogo sempre longe da barraca. Da sua e de outrem. Uma pequena fagulha devasta o nylon em um piscar de olhos. Isto serve tanto para fogueiras quanto para fogareiros e churrasco.

No momento da desmontagem, comece tirando o sobreteto. depois retire as amarras e espeques e por último as varetas. Acomode tudo bem dobradinho sobre a barraca esticada no piso. depois dobre a barraca em apenas um sentido para que fique comprida, na largura dos gomos das varetas. Por último utilize o saco com as varetas de base para enrolar a barraca, expulsando o ar pelo lado oposto. Aproveite para ir passando o pano para limpar a medida que enrola. Com paciência e cuidado a barraca voltará para a mesma sacola que veio da loja. A PAIXÃO por acampar está também no manuseio e cuidado com o equipamento. Curta toda a experiência, pois a vontade de acampar de novo começará na hora de pegar a estrada de volta e não se sabe quando será a próxima vez.

Agora que está totalmente iniciado na prática, consulte nossa SEÇÃO DE CAMPISMO com muito mais informações aprofundadas sobre o tema.

Boas acampadas.

Marcos Pivari

 

 

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here