Em meio a tantos eventos e festivais que ocorrem ao longo do ano na cidade histórica, a FLIP – Festa Literária de Paraty – é sem dúvida a maior e mais conhecida da cidade e também considerada como um dos principais festivais literários do Brasil + América do Sul. Durante cinco dias acontecem palestras, oficinas literárias e discussões que vão desde a grande mesa literária com artistas e escritores famosos que ocorre no auditório da Praça da Matriz com transmissão em video para a área externa até conversas mais intimistas com aquele escritor que poderá estar com você cara a cara nos diversos pontos paralelos pela cidade.

A FLIP é organizada pela Associação Casa Azul desde 2003 e neste 2019 acontecerá no mês de julho, do dia 10 a 14. Este ano o autor homenageado será Euclides da Cunha. Nos anos anteriores, foram protagonistas: 2003 – Vinicius de Moraes; 2004 – Guimarães Rosa; 2005 – Clarice Lispector; 2006 – Jorge Amado; 2007 – Nelson Rodrigues; 2008 – Machado de Assis; 2009 – Manuel Bandeira; 2010 – Gilberto Freyre; 2011 – Oswald de Andrade; 2012 – Carlos Drummond de Andrade; 2013 – Graciliano Ramos; 2014 – Millôr Fernandes; 2015 – Mário de Andrade; 2016 – Ana Cristina Cesar; 2017 – Lima Barreto e 2018 – Hilda Hilst | Veja algumas informações como Ingressos e agenda completa.

“Relembrando uma ideia do escritor argentino Ricardo Piglia, que só não veio a Paraty por conta de um imprevisto, a literatura é a arte de construir uma memória própria a partir de lembranças alheias. A formação de um leitor e de sua perspectiva crítica, capaz de modificar tudo ao seu redor, passa pela memória dos outros, cujas memórias foram formadas por outras, num processo de infinitas possibilidades. Essa é uma das forças invisíveis mais belas da literatura.

A arquitetura, como todas as humanidades, também opera com a dimensão do acúmulo de experiências e linguagens. Somente assim, pela experiência de habitar espaços públicos ativados pela arte, a concepção arquitetônica da Flip pode catalisar intervenções urbanas à altura do legado histórico da cidade.

Ano após ano, esses espaços públicos vão ganhando camadas de memória afetiva de moradores e visitantes, contribuindo para a criação da identidade da Flip. A memória de cada um ajuda a redimensionar as estruturas, até mesmo as efêmeras, da Festa, como os auditórios e a Livraria da Flip, que ganham um caráter de permanência num processo de habitar que completa agora dezessete anos.

A homenagem a Euclides da Cunha (1866-1909) ajuda a trazer à tona um pouco do método de intersecção entre artes e linguagens, fundamental para a criação de cada Flip. Para escrever com a sensibilidade necessária sobre a paisagem que nos leva ao povoado de Canudos, seus homens e suas mulheres, o escritor precisou valer-se de muitas linguagens – jornalismo, arquitetura, sociologia, história, geografia e várias expressões da literatura, como a épica e a dramática.

Em um primeiro momento, levou as lembranças e as memórias do sertão aos leitores de São Paulo. Depois, aos de todo o Brasil. E agora, durante cinco dias, ao público de Paraty, que uma vez mais se encontra nas ruas e praças de uma cidade em festa.”

ACAMPANDO:

Paraty possui muitos campings. No GUIA MaCamp ou no APP para celular, você encontra todas as opções. Dividimos a cidade em algumas localidades separadas, pois a distância e o foco de cada lugar são bem específicos e diferentes. Trindade, Praia do Sono e Paraty mirim são mais distantes para quem deseja visitar o centro histórico todos os dias. Já especificamente em PARATY temos campings que diferem pelo tipo, pela aceitação ou não de veículos de recreação e também da proximidade com o centro urbano ou com a natureza. Há dois campings mais conhecidos bem próximos ao Centro hostórico que aceitam barracas, trailers e motor homes. São o camping Portal e também o CCB (que possui área reduzida e preços diferentes para sócios e não sócios). Há também outros em distância razoável a pé para o centro, como do Hostel recanto Caiçara e Camping Marymar no Jabaquara e outros na parte mais central. É bom ressaltar que a FLIP é um evento que deixa a cidade muito cheia e por isso motor homes e trailers não contem com lugares “free” de parada.

ALÉM DA FLIP:

Paraty é uma cidade riquíssima em turismo. No mar, na montanha e no centro histórico, o MaCamp preparou ha tempos um artigo especial sobre a cidade e opções de turismo em Paraty. Outra cidade vizinha imperdível é CUNHA, com acesso pela nova Serra que vale um passeio.

 

baixe a Progrmação Educativa em PDF

 

Avatar
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here