Global One Expedition Off-Road Trailer

Visualizando 10 posts - 11 até 20 (de 214 do total)
  • Autor
    Posts
  • #47720
    Nilton J
    Participante
    Ronald Ataulo wrote:
    Nilton, você arrasou!!! Eu também sou um apaixonado pelo off-road e desde que me envolvi/encantei pelo campismo venho pesquisando as melhores alternativas de conciliar o off-road com o camping, você matou a pau!! Gostei de ver estas fotos que você publicou… veja se consegui colocar mais fotos… Os detalhes de botijão de gás, pia, etc… foram colocados por você ou montados pela empresa que fez a carretinha? Parabéns, Ronald Ataulo Site: http://www.mundooffroad.com.br

    Tudo montado pelo fabricante da carreta que fica aqui na região de Campinas, a empresa Paes Engates & Free Hobby Carretas. O projeto, as idéias, os pitacos e as personalizações foram todas minhas. http://www.paesengates.com.br [hr]

    Dr. Green wrote:
    Nilton mostra fotos do seu painel fotovoltáico solar, acho um dos itens mais TOP que vc tem!

    Continuando a sequência de fotos e dos assunto da Global One, vamos falar sobre a energia da carreta. Global One: Uma fonte geradora de sua própria energia Em um único dia nosso planeta recebe do Sol uma quantidade de energia suficiente para suprir as necessidades energéticas da humanidade durante centenas de anos. Imaginem capturar uma parte desta energia da luz solar e transformá-la em eletricidade. Isto já é possível com as células fotovoltáicas, que produzem energia elétrica a partir da luz solar. Acredito em disco voador e acredito que estas máquinas se utilizam da energia proveniente dos sóis das galáxias para se locomoverem; um dia chegaremos lá ! Mas por ora, deixando o Universo e os ETs de lado e apenas fincando o pé no chão terráqueo desta nossa pátria sofrida e amada chamada de BRASIL, ficaria satisfeito em ver o governo brasileiro com vontade política para baratear e massificar o uso desta tecnologia para seus contribuintes. Em comparação com a Europa, que é o continente que atualmente mais emprega o uso de energia solar fotovoltáica e o principal país de lá é a Alemanha, o Brasil e a América Latina são muito privilegiados para este tipo de exploração energética; além da taxa de radiação ser muito maior que a taxa do velho continente, ainda temos um imenso território a ser utilizado. Abaixo uma figura ilustrando a taxa de radiação solar na América Latina e Brasil. [hr] Global One: Uma fonte geradora de sua própria energia – Parte 2 Um sistema fotovoltáico é composto por uma ou mais placas fotovoltáicas e equipamentos acessórios. Estas placas produzem energia na forma de corrente e tensão contínua e baterias são usadas para armazenar toda esta energia elétrica contínua sendo gerada em tempo real, cujo carregamento das mesmas é feito via um controlador de carga, que é um dispositivo eletrônico que regula a carga na bateria e também otimiza a produção de energia do painel fotovoltáico. O tempo mínimo garantido de produção de energia de um painel fotovoltáico é de 25 anos, assim o retorno do investimento nesta tecnologia também é garantido. Os painéis podem ser construídos em silício monocristalino ou policristalino; os do tipo monocristalinos são mais caros, mas são mais eficientes que os policristalinos, gerando mais energia elétrica por centímetro quadrado de área na qual incide o raio solar. Abaixo um diagrama ilustrando este sistema: [hr] Global One: Uma fonte geradora de sua própria energia – Parte 3 A aplicação do sistema de energia fotovoltáica na Global One teve como propósito básico a geração e armazenamento da própria energia a ser consumida em modo acampamento com o conjunto veículo / carreta parados, geração esta alternativa à corrente elétrica vinda do isolador de bateria conectado ao alternador do veículo quando este está em movimento. O painel utilizado foi importado da Austrália, o qual é dobrável e vai dentro de uma prática bolsa. O mesmo todo aberto tem capacidade para geração de 120 watts de potência em nível de tensão ao redor dos 12 Vdc, Optei em adquirir o modelo mais caro que é mais eficiente em aproveitar os raios solares, construído com silício monocristalino, o qual veio já completo com cabos para ligação aos polos positivo e negativo da bateria e já também com um controlador eletrônico embutido no mesmo. É do tipo “plug & play” ! A seguir, fotos do painel aberto e em operação, transformando em tempo real luz solar em energia elétrica: [hr] Global One: Uma fonte geradora de sua própria energia – Parte 4 O conjunto do sistema solar fotovoltáico completa-se com um bom e confiável acumulador de energia. As duas baterias utilizadas na Global One são do tipo estacionárias de chumbo ácido com eletrólito líquido, as quais conectadas em paralelo, garantem capacidade de armazenamento de até 140 Ah, carga suficiente para tocar as necessidades elétricas da carreta em 12 Vdc e/ou com inversor 300 w 110Vac senóide pura. As baterias usadas foram da Delco Freedom, as quais podem perder até 80% de sua carga total sem se danificarem e não são tão caras como as da linha Optima (são 4 x mais em conta), podendo durar anos a fio pois garantem 2.500 ciclos de carga à uma taxa de descarga de 10%. A meu ver, a opção mais racional, pois os tempos de garantia destas duas marcas de baterias são similares. O segredo para durar uma bateria de chumbo ácido com eletrólito líquido: Se descarregar pouco vai durar muito; se descarregar muito vai durar pouco! Por isso a razão de duas em paralelo, descarregam menos e duram mais !!! Abaixo uma curva típica de descarga para uma corrente de 5 ampéres em um acumulador de 100 Ah:

    #47721
    Nilton J
    Participante

    Global One – Central elétrica A caixa da central elétrica foi colocada à frente do baú principal da carreta visando fundamentalmente: 1. facilidade de acesso em caso de manutenção preventiva ou corretiva; 2. fazer peso no cambão para ajudar a “amarrar” a carreta no chão. E esta estratégia funcionou ! Considerando o peso das baterias, carregador de bateria, inversor, a própria caixa metálica com tampa desta central elétrica, além dos 2 galões de 20 litros, e contando ainda nas laterais frontais da carreta o botijão P5 e os galões de 5 litros, tudo isso dá uns 100 kilos que ajuda a manter a carreta no chão. Com a tampa fechada, notem na foto abaixo que existem duas tomadas azul/vermelho na parte de cima da caixa; a tomada azul é para ligar diretamente o cabo do painel solar; já a tomada vermelha é para conectar o carregador de bateria à uma fonte externa 110 / 220 volts alternados. Tomada azul, que lembra a cor do céu, recebe a energia do sol! Tomada vermelha, que lembra alta-voltagem, recebe a energia que vem da rede elétrica! [hr] Global One – Central elétrica – Parte 2 A Central Elétrica da Global One Expedition Trailer é composta de: 2 baterias estacionárias Delco Freedom DF-1000 70 Ah cada; 1 carregador de bateria Powerbras CHFB-12-15; 1 inversor 300 watts de 12 Vdc para 110 Vac senóide pura Sure-Sine 300 adquirido da loja virtual minhacasasolar; 3 chaves elétricas comutadoras marca Arieltek, categoria naval, para ligações e conexões dos acessórios e cargas diversas. Já as cargas / acessórios empregadas na carreta são: Cargas contínuas em 12 Vdc: geladeira; ducha/chuveiro eletrico; rádio amador; acoplador da antena de radio amador. Cargas alternadas em 110 Vac: iluminação via fita de leds com fonte ac/dc; refletor led 10 watts; tv lcd 16; carregadores ac/dc diversos para celular/PC/tablet; Modos de carga: 1. “carreta parada” se alimenta do sol ! 2. “carreta andando” se alimenta do alternador do veículo ! 3. E ainda foi previsto uma terceira fonte de energia, via carregador de bateria , também em modo “carreta parada”, a qual pode se plugar a qualquer tomada de energia alternada, num camping, num posto de gasolina, ou até mesmo em casa antes de partir para uma viagem. Central elétrica:[hr] Global One – Central Elétrica – Parte 3 Preparações feitas no veículo: Seguem as preparações feitas em meu Troller T4 2011 3.0, demonstrados por meio de algumas fotos e um esquema elétrico de ligação do dispositivo “isolador de bateria”. A primeira foto é o dispositivo “dual battery kit”, o isolador de bateria propriamente dito, que não é um simples diodo polarizador de corrente em um circuito discreto, mas sim uma central inteligente com eletrônica embarcada, fabricada pela empresa National Luna da África do Sul, integrado à monitor de baterias e cabos/conectores elétricos diversos. Notem que logo abaixo do dispositivo coloquei um disjuntor bipolar para desligar / ligar a corrente dos cabos + e – que vão para as baterias da carreta, para fins de segurança. [hr] Continuando sobre as preparações feitas no veículo: O dispositivo acima cabe ao lado da bandeja da bateria do Troller, espaço entre esta bandeja até o farol, e já vem pronto com suporte para ser fixado na carcaça do veículo. O diagrama de ligação é muito simples e não precisa sequer cortar nenhum cabo original proveniente do alternador, conforme ilustrado abaixo: [hr] Já o monitor de baterias, em duas colunas distintas e coloridas de leds, monitora a carga da bateria principal do veículo e a carga das baterias da carreta, o qual é montado no parabrisa lado do motorista, conforme foto abaixo, muito conveniente e prático, basta uma “olhadela” para saber o nível da carga das baterias, e ainda mostra o alternador funcionando e carregando as mesmas: [hr] Finalizando este assunto sobre “eletricidade”, vide na foto abaixo os cabos preto / vermelho ou – negativo / + positivo que vão para as baterias da carreta saem do isolador de bateria, logo após os contatos de saída dos disjuntores, passando de maneira protegida por debaixo do Troller e indo parar nos bornes específicos de ligação, que irão receber os seus respectivos plugs macho – e + que vem de dentro do cambão da carreta e que estão ligados nas baterias da central elétrica da carreta. Notem o plug vermelho + e o plug azul – no parachoque, além do plug preto abaixo da placa que tem os fios para a sinalização da carreta (freios, setas, lanternas e luz da placa da carreta). Usei plugs específicos para a conexão das baterias pois empreguei cabos de bateria com bitola de 25 mm2, para garantir extensão de até 8 metros do isolador de bateria que está lá na frente do veículo sem ter perda e queda na “voltagem dos 12Vdc”.

    #47724
    Nilton J
    Participante

    Porte da carreta Global One: A GO não é uma carretinha do tipo fazendinha ou baúzinho de camping. A bicha pesa com tudo carregado, acessórios, água, roupas e comes&bebes, uns 450 kgs. Imaginem uma carretinha trilho único para moto com uma HD Fat Boy em cima: é o peso da GO ! Porém, a Fat fica na garagem e a carretinha dela pode ser guardada de pé, de lado, encostada em qq parede. Já a GO sempre terá o peso de uma Fat em cima dela, mesmo emagrecendo quando “hangarada” uns 120 kilos, sem água, roupas e mantimentos. A GO é uma carreta para quem tem espaço para guardar um carro, pois a mesma ocupa quase o mesmo espaço de um mini-cooper. A meu ver, o melhor jeito de visualizar o porte da carreta é comparando a mesma lado a lado com veículos diversos, assim, segue comparativos com os carros lá de casa: 1. O excelente e comportado City de meu filho ficou intimidado ao lado da GO: 2. O arisco e valente Stepway de minha filha bem que tentou encarar, mas não deu: 3. A bela e novíssima Ecosport da patrôa tremeu posando ao lado deste “baúzão off-roader” e acabou fugindo para o mais próximo estacionamento de shopping: 4. Já a minha espaçosa e confortabilíssima CRV 4×2 ao lado da GO quase deu empate técnico: [hr] Global One Preview – Porte da carreta – Parte 2 Brincadeiras a parte, todos os veículos citados acima rebocam tranquilamente esta carreta, mas o problema reside apenas num simples fato: para os locais onde a Global One quer realmente ir e se aventurar, nenhum deles é recomendado ir em modo “solo”, imaginem então com um rabo atrás… Já meu Troller 2011 4×4 3.0 turbodiesel encarou a GO, um “Perfect Match”! E colocou a GO em seu devido lugar, na rabeira dele, onde vai meu Troller a Global One vai atrás. Abaixo mais uma foto do Troller rebocando a GO, desta vez vista da traseira da própria carreta. Vejam q do rabo dela dá p ver a traseirona alta do Troller encarando o cambão frontal do baúzão off-road sem medo e sem receio algum. Notem também o perfeito alinhamento e paralelismo entre carreta-cambão-veículo.

    #47725
    Nilton J
    Participante

    Global One – Plano de adesivagem A carenagem da GO é de chapa metálica galvanizada com pintura branca do tipo eletrostática a pó. Minha intenção original era envelopá-la em forma de zebra, conforme ilustrado no veículo abaixo. Mas também queria personalizar alguns adesivos, o que iria prejudicar o contraste e causar poluição visual, assim abandonei a idéia do envelopamento zebrado. O plano de adesivagem da GO é constituído de 5 tipos de adesivos distintos: 1. Logotipo da carreta; 2. Uma ilustração com apelo off-road na tampa da central elétrica; 3. Brasão da LABRE / SP e meus indicativos de radioamador da ANATEL; 4. Mensagem solidária aos PETs necessitados e abandonados; 5. Mapa dos continentes com pontinhos vermelhos indicando de onde vieram as peças, componentes e acessórios da carreta. [hr] segue o adesivo do continentes, citado acima:

    #47726
    leandrovaranda
    Participante

    Muito legal essa carreta, fiquei fã da parte elétrica dela, não vai “roubar” carga da bateria do carro, te deixando numa situação difícil, mas o contrário também é isolado? Quando você liga o painel solar carrega a bateria do carro também? Se sim, há algum problema ao ligar o painel com o alternador funcionando?

    #47728
    Nilton J
    Participante
    leandrovaranda wrote:
    Muito legal essa carreta, fiquei fã da parte elétrica dela, não vai “roubar” carga da bateria do carro, te deixando numa situação difícil, mas o contrário também é isolado? Quando você liga o painel solar carrega a bateria do carro também? Se sim, há algum problema ao ligar o painel com o alternador funcionando?

    Leandro, o “dual battery kit” instalado no cofre do motor do Troller é um isolador completo de baterias, gerenciando a corrente do alternador para a bateria principal da viatura e para as duas baterias em paralelo da carreta. O melhor é que é muito fácil de ligar, sem precisar cortar qualquer cabo ou chicote elétrico que vem do alternador. Importei por 230 GWs da http://www.equipt1.com, vide o vídeo deste dispositivo: [video=youtube]http://www.youtube.com/watch?v=EoWuVp23k6I[/video] GW = George Washington = 1 dollar = nesta nota aparece a figura dele, primeiro presidente americano, jeito carinhoso dos gringos chamarem a moeda deles. Já o painel solar apenas carrega as baterias da carreta, note que tem chaves comutadoras dentro da central elétrica, faz esta função de comutação, além de ligar iluminação, inversor e tomadas elétricas. Assim, simplesmente não há como conflitar correntes elétricas entre painel solar e alternador do veículo. Note também na foto abaixo que além do “dual battery kit”, instalei duas chaves tipo disjuntor para desligar os dois cabos por completo lá dos plugs traseiros fixados no para-lama traseiro do veículo, quando o veículo não está rodando com a carreta, evitando que “qualquer ação alheia” venha a dar um curto proposital nestes plugs. Aguarde mais fotos!!!

    #47729
    leandrovaranda
    Participante

    Depois que postei lembrei que seu painel solar não fica ligado o tempo todo, só quando está parado, e quando está parado está desconectado do veículo, realmente não tem risco no seu caso. A entrada preta é a mesma que usava na minha carretinha, coloquei um desses (fêmea) na carretinha e outro (fêmea) na caminhonete , assim eu podia tirar o cabo (2 lados macho) quando não estava usando. (Vendi a carretinha sem tirar fotos disso :desconfiado:). O bom desse conector é que é muito mais resistente e aguenta bem o tranco até quando se põe na mão de funcionários (o outro arrebentava toda semana). Como o conector macho é maior e tem lugar certo para pegar e puxar acaba forçando menos o cabo e evita ficar puxando os cabos que vem das lanternas da carretinha (o que acabava causando mau contato nas mesmas. Depois que mudei para esse sistema não tive mais problema de cabo. Esse azul e vermelho também é de vários cabinhos internos ou é um único cabo grosso cada um?

    #47730
    Nilton J
    Participante
    leandrovaranda wrote:
    Depois que postei lembrei que seu painel solar não fica ligado o tempo todo, só quando está parado, e quando está parado está desconectado do veículo, realmente não tem risco no seu caso. A entrada preta é a mesma que usava na minha carretinha, coloquei um desses (fêmea) na carretinha e outro (fêmea) na caminhonete , assim eu podia tirar o cabo (2 lados macho) quando não estava usando. (Vendi a carretinha sem tirar fotos disso :desconfiado:). O bom desse conector é que é muito mais resistente e aguenta bem o tranco até quando se põe na mão de funcionários (o outro arrebentava toda semana). Como o conector macho é maior e tem lugar certo para pegar e puxar acaba forçando menos o cabo e evita ficar puxando os cabos que vem das lanternas da carretinha (o que acabava causando mau contato nas mesmas. Depois que mudei para esse sistema não tive mais problema de cabo. Esse azul e vermelho também é de vários cabinhos internos ou é um único cabo grosso cada um?

    O plugue azul (negativo) recebe um cabo preto lá da frente do isolador de bateria do Troller, de 16 mm2 de bitola; já o plugue vermelho (positivo) recebe um cabo vermelho com a mesma bitola. Com esta bitola, posso ter comprimento destes cabos até 10 metros do isolador de bateria que vai montado no cofre do motor, sem perdas significativas no nível de tensão nominal de 12 a 14 Vdc. Estes plugues coloridos são usados para ligações industriais trifásicas, tendo cada um 3 pinos dentro da carcaça plástica. Assim, os cabos grossos preto e vermelho tiveram seus filetes de cobre divididos em 3 grupos e soldados internamente nos pinos. O plugue preto, que é para ser usado em alimentar a sinalização padrão e obrigatório da carreta, para lanternas, freios, piscas e luz da placa, usei um plugue tipo “caminhão”, conforme foto abaixo. Quis deixar tudo robusto!

    #47736
    Nilton J
    Participante

    Global One – Comparativo de preços Global One x Horizon AT Trailer Minha carreta espelhou-se fortemente no design da carreta-barraca gringa marca Adventure Trailers modelo Horizon, uma das mais vendidas e mais famosas do mundo off-road na América do Norte e Austrália. Apresento abaixo o link do fabricante Adventure Trailer, com a tabela em PDF contendo a lista de preços da carreta Horizon e respectivos acessórios. Notem q a coisa toda somada, passa de 20 K GWs valor FOB! Se aplicarmos taxas de importação, frete internacional, conversão GW p Real (GW = George Washington = 1 dólar), a calculadora explode…dá p comprar uma picape diesel de entrada. Já a minha GO, me custou cerca de 18 mil reais, licenciada, emplacada e com todos os acessórios q serão mostrados nos próximos posts. Compensa nacionalizar, fabricar e produzir no Brasil. Se a carga tributária q assola as empresas e o consumidor fossem menores, compensaria muito mais, enfrentaríamos os chineses ! segue o link: http://www.adventuretrailers.com/pdf/horizonprice08.pdf%5Bhr%5D Global One – Baú vazio x baú cheio obs: a geladeira é fixa via trilho mas pode ser removível do berço, na verdade uso ela no dia a dia na sala de meu escritório. Muito prático ! [hr] Global One – Ficha Técnica Abaixo apresento a ficha técnica da carreta-barraca Global One. Quem tiver interesse em construir algo similar, é só seguir esta receita e arregaçar a manga num “DIY” (Do It Yourself) ou encomendar com qq fabricante de carretas / reboques, a exemplo de que fiz. Excelente dimensionamento para uso no off-road, 100% casado a alinhado com as medidas de um Troller T4, balanceamento e distribuição de peso a toda prova. Confesso q me surpreendi positivamente, pois após alguns “test drives” em rodovias asfaltadas, ruas com paralelepípedos e mesmo em algumas trilhas, em nenhum momento senti estar puchando um “cabrito pulando” na traseira. 25 PSI nos pneus da carreta, 30 psi nos pneus da viatura e a coisa vai que vai num estável e confortável ritmo sem pulos e sem vibração (em caso de trilha diminuir 4 psi em todos os pneus) Fato notável que garante tamanha estabilidade, bom balanceamento e ótimo “offroadability” é q a GO nunca está vazia; seu cambão, carregando um “power house” de respeito (2 baterias estacionárias 140A/h, inversor,carregador) + 2 galões de 20 L, além de nas laterais frontais ainda contar com o botijão P5 e os 2 galões 5L, garante “lastro” suficiente para sempre manter, segurar e amarrar a carreta no chão. O leve e compacto conjunto “voa” na estrada, mas sempre grudado no chão ! O conjunto dá as cartas e os feixes de molas + braços amortecedores fielmente obedecem em total sintonia e sincronia com os desníveis e imperfeições do solo.

    #47741
    Nilton J
    Participante

    Carreta off-road do século 21 Minha carreta, emplacada mês passado, é do século 21! Porém, vou abrir aqui um espaço e mostrar o que foi lançado no último RV Show na Califórnia, uma espécie de carreta de sobrevivência. Vamos falar de uma carreta americana tipo tear-drop, formato de lágrima, e vamos falar bem dos americanos, pois estamos em tempos de “espionagem cibernética”, pois é um povo meio que fanático por segurança. Ao longo dos séculos, passaram por muitas guerras e conquistas, muito sangue correu na conquista do oeste, mais ainda na independência e expulsão do domínio inglês e muito mas ainda na guerra civil. Isto sem contar as tantas guerras fora de seus domínios. E fora também os desastres naturais que assolam o país, como tornados, furações, vulcões lá pelo lado oeste do país. Eles realmente tem o que contar, diferente de nós, cujo grito da “independência ou morte” ninguém morreu e todos saíram das margens do Ipiranga para bebericarem uma ou outra cerveja quente no primeiro boteco próximo deste rio… E lá no país do tipo “Home of The Braves” quem é esperto ganha dinheiro ! Lançaram lá no último RV Show que ocorreu na Califórnia uma carreta tipo tear-drop de nome BOSS, um reboque para sobrevivência, com visual dark a lá as máquinas do filme Mad Max, que vem até com kit de comida em conservas para 90 dias. Mas não vi geladeira elétrica. Pessoalmente, não gosto do conceito tear-drop, pois quase toda a tralha a ser guardada vai dentro e em baixo do piso do baú em forma de gota, imaginem guardar toda a tralha molhada e suja de lama onde você irá dormir…levantar e abaixar o colchão….que saco que deve ser. Preço de venda do brinquedo: 25 Mil GWs FOB, ainda prefiro a minha GO, vou sobreviver do mesmo jeito se der tempo de escapar da poeira atômica.

Visualizando 10 posts - 11 até 20 (de 214 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

CLASSIFICADOS: