Parece que foi ontem, só que não. Foi lá pros idos de 1844 quando Johann Bernhard Knöbel abriu uma espécie de serralheria construindo carruagens mascates para serem puxadas por cavalos. Apenas 7 anos depois já construiu a pedido de um cliente especial o primeiro “CAMPING BOX” – Kit que transformaria uma pequena Van VW em um motor home dotado de quarto, sala de estar e escritório de trabalho.

Em 1962 produziu seu primeiro motor home propriamente dito. Sobre um VW foram fabricados móveis em plástico para ser leve. Ganhou o mundo e seu próximo passo seria uma de suas marcas registradas mais conhecidas: O teto alto retrátil, chamado “pop up”. Móveis dobráveis, metamórficos, questões de isolamento termo acústico, hidráulica e componentes que buscassem os elementos do LAR foram sendo aprimorados. A palavra LIBERDADE nunca foi tão real. Não é a toa que até hoje a WESTFALIA é um nome forte no meio dos APAIXONADOS POR KOMBIS.

O ano de 1977 foi marcado pelo primeiro motor home dotado de chuveiro quente, além de ter popularizado o uso do motor home como carro do dia a dia. Com esta função, a realidade de se adquirir um desses passa a ser acessível. Foram mais de 70.000 unidades em uma só década.

No final da década de 1980 novas marcas se juntam ao ícone dos veículos de recreação. A Ford ofereceria o Nugget documentado como carro graças ao fogão movido a álcool. A produção da VW-Califórnia, Mercedes-Benz Vito Marco Polo, Vito F, BMW Multi Trailer e a construção da caravana Columbus 2 começaram nos anos 90.

Antes dos anos 2000 a empresa se dividiria em três distintas áreas de atuação, onde a principal de “Van Conversion” recebeu um aporte da conhecida Daimler-Chrysler. A A Westfalia Automotive fabricaria engates e a Westfalia Trailer Group produziria reboques para automóveis. Começaram as disputas internas entre seus proprietários bem no momento das difíceis condições econômicas. Desencadeia ali a queda nos gráficos da empresa, o que de maneira nenhuma desmereceria sua história nos anos seguintes.

  • Em 2001, rolou 500.000. Veículo de lazer fora da linha de montagem na Westfalia. A Van Conversion se torna uma subsidiária integral da DaimlerChrysler. No entanto, a política comercial básica da Westfalia permanece. A Opel também é o quarto parceiro na expansão da Westfalia Van Conversion.
  • Em 2003, a linha Marco Polo baseada no Mercedes Viano foi ampliada. A VW produz a própria Califórnia na nova fábrica em Hannover.
  • Em 2004, a Westfalia entregou o primeiro James Cook aos EUA em um Dodge Sprinter Westfalia. O renomado fabricante Airstream é conquistado como parceiro de vendas.
  • Em 2006, o primeiro James Cook no novo Sprinter deixou a fábrica de Rheda-Wiedenbrück. A Westfalia apresenta o protótipo Big Nugget com longa distância entre eixos na Ford no Caravan Salon.
  • Em 2007, a Aurelius AG assumiu a Westfalia. Além disso, é produzida uma nova edição do Sven Hedin, baseada no novo VW Crafter.
  • Em 2008, a Westfalia introduziu o primeiro veículo semi-integrado após mais de 50 anos. A West Van comemora sua estreia mundial na feira CMT em Stuttgart.
  • Em 2009 , o lendário Sven Hedin mudou para o Mercedes-Benz Sprinter. Introduzido o Opel Vivaro L2, oferece mais espaço. Westfalia está expandindo veículos Fiat: o Michelangelo no Scudo.
  • Em 2010, a Westfalia expandiu sua gama de modelos para incluir o multimóvel no Fiat Scudo.
  • Em 2011, o grupo francês Rapido assumiu a Westfalia. Modelos como Amundsen, Columbus, Jules Verne e Kepler seguem. O Club Joker e o Club Joker City no VW T5 continuam a história de sucesso das conversões VW.
  • Em 2017, a Westfalia colocou o site de Gotha em operação. A marca apresenta o Sven Hedin no VW Crafter.
  • Em 2019 , a Westfalia apresenta pela primeira vez a série James Cook com três variantes de teto no Caravan Salon: como Classic com teto alto original, como James Cook AD com teto pop-up e como James Cook HD com teto alto GRP.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here