Publicidade:
 

A tecnologia nos últimos 20 anos avançou radicalmente no que diz respeito aos equipamentos para acampar. Dentre muitos, as lanternas continuam sendo equipamento obrigatório para quem ainda acampa em locais onde não se usa energia elétrica para abastecer a barraca. Mesmo hoje contando com lanterna no celular e mesmo aos avanços do LED na iluminação portátil, uma boa lanterna se faz fundamental para a chamada “tralha” do camping. A Nautika nos enviou três modelos que usaremos para abordar o tema.

Acampando a noite, temos algumas necessidades básicas com a iluminação e são três as principais necessidades. Caminhando até o banheiro ou numa trilha, a lanterna de foco é fundamental, iluminando não só o caminho, mas também as coisas distantes enquanto proporciona aos espaços periféricos alguma claridade. Na barraca, uma luz mais distribuída é necessária não só com a lanterna na mão como também apoiada ou pendurada em algum lugar. Esta é a função da lanterna tipo “lampião”. Por fim, em alguns casos de manuseios mais específicos, ou mesmo numa caminhada, a lanterna de cabeça pode focar a iluminação sem que seja necessário uso das mãos, mas ainda sem dispensar a escolha do direcionamento. Este é o caso particular das três lanternas que a Nautika nos mandou.

FIJI (Cabeça): A pequena Fiji é bem simples e prática. Faz parte das que usam pilhas comuns (2x AAA). Tem um LED bem forte de 70 lúmens que pode ser regulado em 3 intensidades diferentes acionando o único botão da lanterna. No quarto toque ela se desliga. O modelo também promete resistência a água.

Ela também possui uma função “sinalizadora” através dos dois LEDS vermelhos que ficam ao lado do LED principal. Para acionar ou intercalar as duas funções da lanterna, basta manter apertado o botão. São três estágios do sinalizador também. Dois deles com intervalos de intermitência no modo piscante ou mesmo totalmente acesos. Além da função de sinalizar, o LED vermelho aceso também serve para iluminar alguma coisa a noite sem que ofusque ou acorde o companheiro ao lado. Esta função também economiza muito a bateria caso esteja acabando e no meio de uma emergência.

Além da fita de elástico de ótima qualidade com regulagem que atende desde uma cabeça pequena de criança até grande de adulto, a base da lanterna também possui regulagem de inclinação para melhor focar o alvo. Além da praticidade da lanterna até mesmo para alguns trabalhos manuais, as crianças são as que mais se divertem com este tipo de lanterna.

TEAM (Lampião): O modelo possui duas funções fundamentais. A primeira é de lampião para ser carregado, pendurado ou apoiado para uma iluminação distribuída e abrangente. São quatro faces em LED que podem ser acendidas todas ou apenas duas delas. Esta função toda é alimentada por 3 pilhas grandes (D), inclusive os painéis que fazem parte das duas lanternas anexas independente de estarem com pilhas ou não.

É, o Team possui duas lanternas que ficam incorporadas no lampião e que podem ser destacadas. Cada uma delas possui duas funções de iluminação: Direcional e distribuída. Quando estão encaixadas no Team, as 3 pilhas grandes principais é que alimentam tudo. Assim que destacada, as lanternas anexas funcionam independentes com 3 pilhas palito (AAA) cada. Sim, o conjunto utiliza muitas pilhas, porém garantindo uma autonomia bem grande e podendo funcionar como lampião apenas com as pilhas da base.

            

Truque: Na falta das pilhas grandes, é possível contar com uma iluminação distribuída das duas lanternas anexas com apenas 3 pilhas palito. Para isto, basta acionar a função em uma delas e conectar ambas à lanterna principal, fazendo com que a outra sem pilhas se alimente da lanterna acesa.

MONSTER (Multifunção): O modelo possui as duas funções principais de uma lanterna no camping: Focal (canhão de luz) e Distribuído (lampião). Cada lado tem uma das funções que são de acionamento e funcionamento totalmente independentes e (se quiser) concomitante. Do lado focal, o único “superLED” de 10W e 1500 lúmens pode ser regulado em duas intensidades com um toque no botão. O terceiro estágio é um “piscar” intermitente para sinalização de emergência. Um verdadeiro “strobo”. Do lado da luz distribuída, são 35 LED’S SMD que podem ser regulados em 3 estágios de intensidade. Além da iluminação, existe neste mesmo setor um modo “balada” com luzes vermelha e azul que se piscam em forma ritmada

A bateria deste modelo é recarregável interna. Um cabo USB/Mini HDMI mais usado pelos celulares já acompanha a lanterna. Na hora de carregar, um mostrador ao lado em 4 LEDs azuis mostra o progresso do carregamento. Este mesmo painel aponta o estado da bateria enquanto ligada.

Além de possuir formato que permite ser apoiada em diversas posições, também conta com uma alça para carregar que pode ser pendurada e ainda uma base de rosca de tripé (padrão câmera) que ainda permite um uso mais profissional ou específico.

Uma função que adoramos e que não consta na embalagem e nem no descritivo da Nautika, foi a função “Power Bank”. Além do plug (padrão de celular) para a recarga da lanterna, logo abaixo está uma porta USB. Pois ao plugarmos nosso celular (com o mesmo cabo que acompanha a lanterna ou outro específico) podemos carregá-lo através da bateria interna da lanterna. Não sabemos se a capacidade da bateria da lanterna é suficiente para vários tipos de dispositivos e se por esta razão esta função não é garantida pela marca. Mas recentemente levamos a lanterna na mochila mais pensando na função de carga extra para o celular. Além disso, com dois cabos é possível carregar um dispositivo e a lanterna mesmo tendo uma só porta USB disponível.

PILHAS: O que pode parecer um tanto defasado, frente às lanternas recarregáveis, pode significar mais eficiência e maior durabilidade do equipamento. É que baterias recarregáveis não só podem significar menor duração e autonomia, como também maior cuidado constante com um produto que pode muito bem passar muitos meses parado, estragar. Bateria precisa estar sempre carregada, não pode ser guardada por tanto tempo sem uso e ainda possui uma “vida útil”. O resultado de quando não temos um uso e cuidado constante com uma lanterna de bateria recarregável é o dissabor de não conseguir usá-la por poucos minutos na hora que mais se precisa. Aí não dá pra substituí-la na hora e o custo disso pode ser maior que o de uma lanterna nova. Portanto, mesmo pilhas custando caro, podem ser a forma mais econômica e efetiva para uso em lanternas, dependendo do caso. Além disso, existem pilhas recarregáveis que poderão ser usadas em outros aparelhos enquanto a acampada não sai.

Baterias internas – Cuidados: Baterias podem ser de diversas tecnologias, sendo algumas mais duráveis e de vida útil maior. Porém todas devem ser mantidas carregadas e respeitando o seu “número de ciclos de vida”.

PREÇOS/ONDE COMPRAR: Na ocasião deste artigo os modelos custavam na LOJA OFICIAL NAUTIKA: FIJI (Cabeça): R$ 61,12 + frete (de 39,04 a 53,91 pela internet); TEAM (Lampião): R$ 153,72 + frete (de 130,41 a 174,90 pela internet); MONSTER (Multifunção): R$ 275,97 + frete (de 219,51 a 274,38 pela internet).

COMPRE COM DESCONTO:

use o cupom MACAMPNTK para ter 12% (tempo limitado)

REVIEW – PRODUTO: Este equipamento foi enviado pela NAUTIKA LAZER que confiou no know-how do MaCamp para testar seus produtos na seção de Reviews. Testes foram feitos nas cidade de Paraty-RJ e Serrinha do Alambari/Resende-RJ.

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here