Expedição Baumeister Patagonia 2016 – MaCamp

Visualizando 10 posts - 61 até 70 (de 89 do total)
  • Autor
    Posts
  • #79420 Responder
    THOMASTHOMAS
    Participante

    Respondendo a postagem acima do Odair sobre o MaCamp: Sem o site todos nós não nos conheceríamos e consequentemente não teríamos a ideia ou a oportunidade que foi esta viagem à Patagônia!

    OBRIGADO MACAMP!!!

    Turiscar Rubi '89 Bagualito Mandaguari-PR


    Nós viajamos não pra fugir da vida, mas para a vida não fugir de nós.

    #79714 Responder
    Capt.A330Capt.A330
    Participante

    Thomas, que fotos lindas!
    Acho que são as únicas do Guanaquito rodando, tiradas desde outro veiculo…muito obrigado!
    Então, para retribuir, algumas fotos do Bagualito rodando enlouquecido pelos desertos Patagônicos:



    Esta foto é da familia Teixeira, na prainha do Brazo Huemul, lugar do encontro dos Trailers:

    Abraços.

    Dardo.

    #79758 Responder
    Hedwig TeixeiraHedwig Teixeira
    Participante

    Lembro dessa foto amigo Dardo e, como poderia esquecer. Almoçamos rapidinho no Baumeister e depois todo o grupo foi caminhar e curtir este lindo lugar. Já havia ficado maravilhada com tudo que havia visto durante todo o nosso percurso, porém, este ponto marcou a união do grupo. Dali em diante, a natureza iria nos presentear com paisagens cada vez mais espetaculares.

    #79846 Responder
    Capt.A330Capt.A330
    Participante

    Cara Wig, realmente o local combinado para o encontro com tanta antecedencia, é maravilhoso, e por isso o escolhi, para que vocês tivessem uma previa do que ainda iriam conhecer, e não foi merito meu não, pois qualquer lugar por aquelas latitudes é lindo; acontece que sabendo dos desertos que tinham voces recentemente percorrido, sabia que esta mudança ia ser considerável, em especial pelo lago Nahuel Huapi…quê bom que vocês gostaram!
    Mais umas fotos do local do encontro:
    Baumeister em todo seu esplendor:

    Beti tirou uma belíssima foto de voces duas:

    Bela familia:

    Bem, aguardo a continuação do relato!
    Abraços!

    Dardo.

    #80051 Responder
    Hedwig TeixeiraHedwig Teixeira
    Participante

    Amigo Dardo e Beti, grata pelas fotos. Como disse um amigo do Odair, não tem como uma foto ficar feia se tirada na Região da Patagônia. Se fotofrafar de cabeça pra baixo e de olhos fechados, ainda assim, ficarão lindas.

    #81091 Responder
    Odair TeixeiraOdair Teixeira
    Participante

    Bom, testando a continuidade do relato via Tapatalk. Parece estar funcionando normal novamente. Só a funcionalidade de postar imagens direto do smartphone é que eu não vi. O feed ainda não entendi, parece estar diferente.

    Enviado de meu E6603 usando Tapatalk

    #81100 Responder
    Odair TeixeiraOdair Teixeira
    Participante

    Previously on Lost….. Lombada Andina não se passa por cima, se escala

    Nos encontramos num lugar paradisíaco, com o esplendido lago Nahuel Huapi à nossa frente. Almoçamos rapidamente, descemos e tiramos umas fotos lindas ( fotos acima) e voltamos para a estrada, onde o comboio se reuniu em direção a Villa La Angostura.

    O trajeto foi tranquilo, com o Dardo liderando o comboio e os quatro trailers puxando uma fila de argentinos injuriados que se perguntavam por que raios 4 casilas rodantes com patente do Brasil estavam ali puxando aquela fila.

    Adentramos a Villa, que nos impressionou pela beleza e pela arquitetura que lembra construções suíças, como as que eu vi no Tirol, na Austria.

    A Ruta 40 leva ao centrinho de Villa La Angostura, que parece o centrinho do Capivari em Campos do Jordão, só que bem melhor. Pensando bem, Campos do Jordao não tem Cordilheira dos Andes, nem Lago Nahuel Huapi, nem postinho ACA. Então, Villa La Angostura não se parece em nada com Campos do Jordao.

    Alem da arquitetura de madeira (tudo é feito em estruturas de madeira, lindo), as montanhas e o lago Nahuel Huapi compõem um visual único. A única coisa que lembra Campos do Jordão é o preço das coisas. E só.

    No cruzamento da Ruta 40 com a avenida havia um posto ACA, que apontava uma fila para abastecer. Aprenderíamos que a galera deixa para abastecer sempre nos mesmos horários e os postos não tem tantos frentistas como aqui. Aí sempre gera uma fila. As vezes falta combustível também.

    Bom, tomamos o acesso a direita e seguimos em direção ao camping Cullunche (Universidade de Uncuyo). O trajeto sugerido pelo GPS era de seguir um pouco mais a frente e adentrar lateralmente, mas como nosso Der Kommandant pegou “às dereita” e lá fomos nós, em uma estrada de terra batida, com uma poeira vulcânica (fina que parecia cimento Portland), por poucos quilômetros. Já estávamos há menos de 1 km do camping Uncuyo quando nosso Der Kommandant passou com o Guanaco em uma elevação e na hora me gelou a espinha. Estava na dúvida se aquilo era uma lombada ou se era uma extensão de uma montanha.
    O Thomas passou e o Bagualito raspou as patas traseiras.
    Se era uma lombada, provavelmente o Alcaide enterrou a família e aproveitou para fazer uma cova coletiva, imaginei. Deve ter duas gerações enterradas ali.
    Parei a Hilux, olhei pelo retrovisor e vi o Polini parado esperando. Coloquei em marcha e segui lentamente, lembrando da cena do Titanic qdo raspa no Iceberg .
    Por causa da longa distancia entre o engate de bola e os eixos , aquele “Cerro Jr” ia ser aplainado pelo chassis do Baumeister e provavelmente as caixas seriam atingidas.

    Toquei em frente e senti a vibração transmitida pelo engate e o ruído de algo raspando na terra. Quando terminei de passar e olhei pelo retrovisor, vi o Polini pedindo para parar, com um vazamento de agua que saía da caixa de agua servida. A raspada no Cerro Uncuyo entortou os parafusos que suportavam a caixa de agua servida, além de arrancar o cotovelo e a mangueira de descarga de agua servida. Raspou também a rodinha da bequilha, a caixa de agua potável e a parte de tras até as sapatas.. Mas dentre todos os prejuízos, somente quebrou o cotovelo da saída da caixa. Dava pra reparar fácil.
    Os parafusos eu susbstituiria quando chegasse ao Brasil.

    A entrada do camping se dava por uma alameda bonita, com arvores altas, porém um pouco estreita e com muita poeira.

    Estacionamos na área destinada aos trailers e mal saímos para avaliar as opções, já ouvi a voz da Neiva reclamando da poeira e que o camping era “Uncuyo”, que o tênis estava sujo de poeira cinza e que iniciaria um motim para voltar pros Baqueanos.
    Acho que o cansaço fez alguns integrantes perderem a paciência, mas logo tudo se acalmou.

    Estacionamos dois trailers de cada lado e a gang brasileira dominou o fundo do camping.

    Lago no fundo do Camping

    Torcedores do Corinthians

    #81249 Responder
    Capt.A330Capt.A330
    Participante

    Buenas!
    Pela ordem, suas Excelencias! Vou arquitetar minha defesa, Meritíssimo! (Está de moda mesmo…)
    Sobre a entrada para o Camping Cullumche, da Universidad Nacional de Cuyo (Uncuyo), acontece que como eu nunca tinha ido nele, busquei, com antecipação, uma rota no Google Maps, e a rota proposta foi esta, escolhida por ter maior distancia pelo asfalto, e menor quantidade de curvas a 90º:
    https://goo.gl/maps/WFuHVmaircC2
    Alem do que, você vê esta placa confirmando a estrada:
    https://goo.gl/maps/nkfV4ujuS432
    Então, a escolha obvia era seguir a placa, confirmada pelo trazado do Maps…e realmente, Odair estava certo, a lombada que tinha, era para não pasar vergonha num outro pais sudamericano, que não lembro bem o nome, mas que tem as “Lombadas mais grande do Mundo”…
    Bom, o Guanaquito passou incólume, mas tinha um “Hotel ambulante” que foi menos feliz…e olha que o Diamante, na sua altura, já vem “rebaixado” de fabrica…
    Emfim, o percurso melhor era mesmo este:
    https://goo.gl/maps/BQQr4YtZaa22

    E quanto à poeira da cinza vulcânica, é verdade, pois a época de verão por aquelas latitudes é essencialmente a época mais seca, e a fina areia vulcânica deposita pela ultima erupção vulcânica que teve bem próximo do lugar, em 2011/2012, deixou toda a região coberta com uma camada de poeira de estas cinzas, que até hoje é presente em toda à região…e à diferença do Brasil, em especial na região Sul/Sudeste, o indice de chuva é bem baixo, fazendo que a grama, como nós conhecemos, seja escassa nos Campings da região, e só se consegue ter um gramado bonito à força de muita irrigação…bem, como dizem os habitantes do lugar, o vento, o frio e a poeria, fazem parte do entorno selvagem da região…é a Patagonia!
    Algumas fotos para acompanhar o relato de Odair:

    Pensei que era um frigobar onde o Meigo carregava as cervejas…

    Uma olhada mais apurada revelou se tratar da “Itaipú portátil” do Meigo:

    Detalhes da grama seca pela cinza vulcánica:

    Os vizinhos…

    Grande abraço!

    Dardo.

    #81264 Responder
    Capt.A330Capt.A330
    Participante

    Esqueci dos endereços eletrônicos da UNcuyo:

    http://www.uncuyo.edu.ar/

    http://deportes.uncuyo.edu.ar/turismo

    http://deportes.uncuyo.edu.ar/camping-y-albergue-cullumche

    http://deportes.uncuyo.edu.ar/verano-2016-en-villa-la-angostura

    http://deportes.uncuyo.edu.ar/villa-la-angostura

    Esse gramado bonito que você vê, é mantido à força de muita irrigação, e fica só na frente do refeitório, que também dispõe de wifi para o pessoal alojado lá ou no Camping, e só pega pertinho do refeitório
    http://deportes.uncuyo.edu.ar/mejoras-y-mas-servicios-en-villa-la-angostura

    Bem, se você for para lá acampar, não reclame comigo depois que tinha poeira…se quiser um Camping sem poeira, eventualmente seria uma boa acampar no Central Park em NY…

    Dardo.

    #81289 Responder
    Hedwig TeixeiraHedwig Teixeira
    Participante

    A Neiva reclamava da poeira e liderava o motim para levantarmos o acampamento como uma Comandante que deseja o melhor para sua tribulação e eu, como recém chegada e boa ouvinte, disse que se achassem mais adequado, levantaria acampamento. ” Sim comandante ; Pois não comandante” kkkkk. Me desculpe minha querida amiga Neiva, adoro você, mas ainda bem que houve rebelião e não mudamos de camping. A poeira era ruim, mas tinha internet e assim, consegui ter notícias do meu “Mundiça”, o Aiko. Outros ganhos vieram em termos ficado, como por exemplo, a fácil mobilidade que aquele Camping nos proporcionava. Era de fácil acesso a mercados, panifícios, feirinha típica da região com doces e artesanatos,lojinhas e muitas lojinhas (ehhhhhh, quanta lojinha e lugares para comer coisas gostosas.)…Inclusive, Eu e a Bárbara fizemos a pé o caminho do camping até o centrinho comercial da cidade. Sem falar que amei Villa La Angostura e se tudo contribuir a favor, vamos voltar lá.

PARTICIPE DO FORUM PELO FORMULÁRIO ABAIXO.
Visualizando 10 posts - 61 até 70 (de 89 do total)
Responder a: Expedição Baumeister Patagonia 2016 – MaCamp

You can use BBCodes to format your content.
Your account can't use Advanced BBCodes, they will be stripped before saving.

Sua informação:




ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

CLASSIFICADOS: