A novela do Camping do Parque do Rio Vermelho ganha mais um capítulo. Um dos melhores campings do Brasil está fechado desde o ano passado por conta da troca de gestão do Parque do Rio Vermelho que, desde que saiu da CIDASC e passou para o FATMA (hoje IMA) sofre fechamentos e reaberturas nas terceirizações da administração do Camping. Em julho de 2019 foi lançado oficialmente o edital de chamamento público dirigida às OSC’s (Organização da Sociedade Civil) que estejam dispostas a operar a gestão do Camping do Parque. Dia 2 de agosto é a data limite para envio.

Conforme relatamos em fevereiro, o Camping que já havia sido fechado em dezembro de 2018 pela finalização da gestão anterior, vinha sofrendo com o abandono e depredações. Na ocasião o Ministério Público Estadual entrava em cena questionando a então licitação. Agora o IMA (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina) relança o edital para ser cumprido até início de agosto. O chamado “Acordo de Cooperação” inclui algumas atividades como: Gerenciar o camping; Atendimento aos usuários; Limpeza; Destinação de resíduos, Corte de grama e vegetação, oferecer atividades educacionais ambientais e gerir estacionamento. O Documento possui 103 páginas que incluem diretrizes, modelo da ficha de proposta e a minuta contratual.

O Camping do Rio Vermelho existe há décadas, tendo sido nos anos 1970 gerenciado pelo Camping Clube do Brasil. Até final dos anos 2000 era administrado dela CIDASC e extremamente bem frequentado por famílias campistas de diversos lugares do Brasil. Nos últimos anos, após ter passado o poder do Parque Estadual à FATMA (hoje IMA) passou por diversos fechamentos e tendo como destaque a administração da CEPAGRO que não só gerenciou o camping passando a funcionar o ano todo, como também desenvolvendo programas de sustentabilidade e educação ambiental para estudantes, comunidade e até mesmo aos campistas.

A área com acesso privado à praia por uma trilha em meio à mata contava com restaurante, bons banheiros, áreas de lava-pratos e roupas, quiosques de apoio, campo de futebol, área para barracas e RV’s, cozinha coletiva, churrasqueiras e chegou até mesmo a possuir lounge wifi, viveiro de mudas, reciclagem de lixo e horta orgânica comunitária. Aos campistas de alma resta a torcida para que o velho camping do Rio Vermelho volte à ativa.

Confira o edital na íntegra abaixo:

 Baixe EDITAL (via site oficial) na íntegra em PDF

 

Avatar
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here