Publicidade:
 

Camping lotado nos feriados ou aquela energia elétrica precária nos pontos de apoio mais rústicos pode significar voltagem baixa e energia elétrica insuficiente para tocar seus aparelhos. Principalmente geladeiras e ar condicionados, muitos outros equipamentos também podem queimar com tamanha oscilação de energia ou simplesmente não ligar. Para resolver este problema em definitivo, recebemos os dois modelos de ESTABILIZADOR KEBO da KIOOPS. Automático, potente, sem chaves seletoras e o melhor de tudo: Toca todo tipo de aparelho incluindo motores e compressores de refrigeração. Bora testar?

REALIDADE ELÉTRICA NOS CAMPINGS DO BRASIL: Cada dia mais os campings dispõem de tomadas para a ligação de aparelhos e iluminação nas barracas e também para plugar os veículos de recreação. Trailers e motor homes já possuem de forma nativa um sistema elétrico que toca luzes, geladeira, TVs, eletrodomésticos e os carregadores de baterias. Ocorre que as instalações elétricas de muitos campings costumam ser subdimensionadas, com fiação fina, longa e com muitas tomadas na ponta. Em grandes feriados acabam sendo ligados muitos equipamentos ao mesmo tempo. Soma-se isso ao consumo também maior do que o usual das instalações do estabelecimento que incluem os chuveiros elétricos dos banheiros. Isto sem falar na própria rede elétrica da localidade que igualmente sofre com o alto consumo do destino turístico em locais geralmente mais distantes como é a maioria dos campings. O resultado de tudo isso é uma enorme oscilação de energia onde a voltagem cai vertiginosamente em dados horários. Principalmente pelo uso desenfreado de aparelhos de resistência pura, como sanduicheiras, aquecedores, chapinhas e secadores de cabelo, além dos chuveiros elétricos e luzes sendo acesas.

ENERGIA OSCILANTE E FRACA: Cada vez que alguém liga um aparelho há uma queda na voltagem daquela rede. Principalmente se for no mesmo ramal da sua tomada de uso, a energia irá aumentar e diminuir constantemente. A “hora do banho” é a pior delas. Além dos chuveiros elétricos a todo o vapor, somam-se os secadores de cabelo e os eletrodomésticos trabalhando no jantar bem na hora em que se acendem as luzes de todo o camping e da cidade. Este “vai e vem” na voltagem pode trazer grandes avarias para os equipamentos.

ABAIXO EXEMPLOS DE BAIXA VOLTAGEM NO CAMPING: 58V e 70V de entrada (em azul)

EFEITO NAS LÂMPADAS: Hoje em dia até mesmo as lâmpadas de LED não se limitam a emitir uma luz fraca como as antigas incandescentes. Elas passam a piscar loucamente trazendo um enorme desconforto no ambiente. Sem dizer que a queima após alguns minutos pode ser inevitável.

GELADEIRAS NO ACAMPAMENTO: Barracas têm utilizado cada vez mais frigobares, assim como os trailers pequenos os têm de forma nativa. Os trailers e motor homes maiores já contam com geladeiras grandes e até mesmo do tipo “duplex”, sendo que alguns contam com freezers em separado. Este tipo de eletrodoméstico sofre demais com o problema de oscilação de energia, além de ser um aparelho que também causa esta oscilação na rede. Eles trabalham com um motor-compressor que utiliz’a uma carga muito alta no momento da “partida”. Quando funcionam, abaixam a tensão da rede e algumas vezes precisam abortar esta missão pela falta de energia suficiente. Como as geladeiras ligam e desligam o motor diversas vezes por dia, acabam sofrendo com essa variação além de causar a mesma. Resultado disso pode ser a perda do resfriamento e congelamento de alimentos e bebidas ou até mesmo a perda do equipamento que terá que ir para a assistência técnica após a acampada deixando o campista na mão.

AR CONDICIONADO: Trailers e motor homes costumam ser equipados com condicionadores de ar de vários tipos. Por ser um veículo, sofre mais com a ação do sol e do calor, sendo muitas vezes muito mais incômodos do que as frescas barracas no calor intenso. Aí o ar condicionado acaba sendo primordial. Porém este é o equipamento que mais sofre com a energia elétrica insuficiente. Além de serem equipamentos que “puxam” muita energia, o “pico de partida” do compressor exige ainda mais potência. O resultado disso é uma grande oscilação da energia do trailer enquanto o ar funciona. Na grande maioria das vezes em que a energia está baixa, o ar sequer chega a ligar.

USO DE TRANSFORMADORES: Mesmo com opções de aparelhos 110V em campings servidos de tomadas 220V, os transformadores convencionais não resolvem o problema. Isto porque eles apenas “quebram na metade” a voltagem da tomada. Se a entrada está em 220V, a saída é de 110V, mas se na tomada do camping estiver saindo 180V (o que não é nada incomum em certas datas e ocasiões), o transformador entregará apenas 90V, o que não tocará alguns equipamentos. De qualquer forma, é sempre recomendado possuir um desses na tralha.

ESTABILIZADORES COMUNS: Aparelhos comuns no uso de computadores e impressoras, são pouco aproveitáveis no camping. Eles possuem potência nominal baixa, faixas de regulação muito limitadas e não são preparados para equipamentos com motor ou compressor. Para iluminação ele pode fazer algum efeito, mas dificilmente quando a voltagem estiver demasiadamente baixa. Existem alguns modelos mais incrementados com faixas de regulação maiores e que são preparados para potências maiores, porém seus controladores eletrônicos são incompatíveis com aparelhos de ar condicionado, ficando bem “birutas” no momento da partida levando à queima de relés.

BIVOLT OU FULL RANGE: No Brasil, a grande maioria dos campings oferecem tomadas de energia 220V. Já nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, é muito comum existirem campings com tomadas em 110V, podendo estas existirem em todo o resto do país em casos isolados. Estabilizadores podem ser do tipo “bivolt” quando possuem entradas que variam tanto da faixa dos 220V quanto dos 110V, independente da saída. Geralmente há uma chave seletora que deve ser ajustada antes da ligação, levando ao campista ter que se certificar da voltagem do local e arriscado a queimar o aparelho caso seja ligado errado. Já os equipamentos “full range” ou “autovolt” possuem controladores eletrônicos que fazem a leitura automática da voltagem da tomada e se ajustam sozinhos para derivarem sua saída específica.

COEFICIENTES VA (Volts X Ampere): Todo equipamento de transformação, trabalha nominalmente em potências em Watts (w), mas devem sempre ser aplicados em (VA) de acordo com o tipo de equipamento a ser ligado. Isto vale para transformadores, estabilizadores, carregadores, conversores e também inversores. Aparelhos com cargas resistivas (aquecedores, secadores, torradeiras, sanduicheiras, panelas elétricas e afins) podem ser aplicados pela potência nominal, ou seja, os mesmos totais 5.000W ou 10.000W do estabilizador deste review. Caso sejam aplicadas cargas indutivas ou capacitivas, como os equipamentos eletrônicos ou que usam motores por exemplo, deve ser aplicado o coeficiente 0,8. Então para ligar a geladeira e o ar condicionado, devemos considerar que o consumo máximo deste estabilizador será de [(0,8 x 5.000W) = 4.000W no caso do 5kVA] e [(0,8 x 10.000W) = 8.000W no caso do 10kVA].

O ESTABILIZADOR DE VOLTAGEM KEBO: Depois de toda esta teoria, chegamos ao foco deste review. Em duas diferentes configurações, uma nos altos 5.000VA (5kVA) de potência e o outro nos exagerados 10.000VA (10kVA), os estabilizadores possuem todas as melhores características das citadas mais acima, somadas a mais detalhes que serão enumerados aqui. Resumidamente ele possui um transformador especial (mais econômico), com faixa de entrada FULL RANGE (de 100V até 260V), Alta potência, saída estabilizada em 220V e ainda permite a ligação de QUALQUER EQUIPAMENTO desde que sua potência seja compatível. Incluindo motores e compressores de ar condicionado e geladeiras. Abaixo algumas particularidades que nos atraíram muito na aquisição deste produto:

TRANSFORMADOR TOROIDAL: Internamente, todas as faixas de regulação (dos 100V até os 260V) são servidos por um transformador interno com múltiplos rolamentos. Porém os transformadores tradicionais (de formato quadrado) formam muito campo magnético e também esquentam muito, resultando tudo isso em uma PERDA de energia em magnetismo e calor. Já o estabilizador KEBO utiliza o chamado transformador TOROIDAL, de formato redondo (anel) que contempla diversas vantagens: Menor irradiação de campo magnético; pouquíssimo consumo quando sem carga; Menor índice de perdas; Menor variação de tensão na saída; Tamanho menor; Silencioso.

SISTEMA DE RETARDO DE INICIALIZAÇÃO (DELAY): Como todo mundo sabe, quando falta luz mesmo que por poucos minutos, é sempre prudente desligar a chave geral (disjuntor) para evitar os “surtos” de retorno. Quando a luz volta, ela vem forte e com uma alta descarga que pode (e muitas vezes ocorre) queimar aparelhos. Ambos os modelos do estabilizador KEBO possuem um sistema de retardo. Assim que a luz elétrica volta (ou é ligada pela primeira vez) ele aguarda um tempo pré determinado até que libere a sua entrada (ligação). Este tempo pode ser escolhido pela chave no painel. O menor, de 6 segundos, já é suficiente para que a luz volte e se estabilize (e queime todos os equipamentos de outrem que não estiverem protegidos). O Maior é de 180 segundos, fazendo com que o aparelho aguarde 3 minutos para esta religação.


(Contagem regressiva no display)

CONEXÃO ROBUSTA: Um dos maiores problemas neste tipo de equipamento se dá pelas tomadas, plugs e fiações de entrada e saída que acabam sendo muito dimensionados no limite. No caso do KEBO não há este problema. Existe um dock de conectores de padrão igual aos de disjuntores que recebem fios e cabos bem grossos com bastante segurança. Detalharemos esta etapa na instalação.

CHAVE GERAL DISJUNTORA: A chave de “liga / desliga” do estabilizador já é um disjuntor. De padrão DIN, tem toda a leveza da alavanca, confiabilidade do contato e a proteção de desarme dispensando a troca de fusíveis, tão lastimavelmente comuns em estabilizadores comuns.

VOLTÍMETROS: Um painel digital simples traz em números grandes os voltímetros que medem a tensão de entrada (em vermelho) e da saída (em verde). Mais três LEDS indicam o estado de funcionamento do aparelho, sendo o primeiro indicando “operação normal”, o segundo apontando o “tempo do retardo (delay)” e o último acusando o modo “proteção”, em que a saída é bloqueada em caso de sobrecarga, curto-circuito, subtensão ou sobretensão de entrada ou super aquecimento do trafo.

UNBOXING: Os estabilizadores chegaram por transportadora, cada um em sua caixa bem ilustrada. O peso é grande. Eles vêm bem acomodados e encaixados em fôrmas de isopor e envoltos em um plástico transparente. De cara pudemos conferir a exclusividade de importação da Kiopps, já que o produto vem todo serigrafado com informações em português. Também acompanha um manual de instruções e um kit de parafusos e buchas metálicas bem fortes para fixar o estabilizador na parede. Até mesmo um gabarito detalhado em papel de qualidade acompanha o produto para ajudar na instalação.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: A qualidade de material e acabamento surpreende. O peso não deixa dúvidas sobre a sua construção, o acabamento das chapas e pintura são impecáveis e a vontade de vê-lo funcionando é enorme. Tanto que o primeiro teste foi feito com cabos finos apenas para podermos vê-lo em ação.

CONECTORES DE RESPEITO: Após soltar os dois parafusos que abrem a tampa de conexões, esta já sai com o barramento de conectores preso. São parafusos no mesmo padrão de conexão dos disjuntores que contam com uma “placa esmagadora”. Isto é importante para que o parafuso não esmigalhe os fios do cabo a ser fixado. Com uma chave philips é facilmente movimentado e uma chave de fendas dá aquele aperto final.

APLICAÇÕES: De posse dos dois modelos que a KIOOPS/KEBO nos enviou, fizemos a instalação deles em dois locais. O modelo grande (de 10kVA) foi instalado no motor home. Já o modelo menor (5kVA) com potência de sobra para esta aplicação foi instalada em nosso trailer. Em ambos os casos pretendemos dar adeus aos problemas de oscilação ou energia fraca, principalmente nos campings em situação de carnaval ou reveillon.

NO TRAILER: Historicamente já passamos por muitos apuros em determinados locais. Em uma oportunidade durante um carnaval vimos nossa entrada de energia batendo na casa dos 50Volts nas tomadas do camping que prometia 110V. Na época, tivemos êxito em estabilizar nossa alimentação graças à combinação de um transformador com seletor de voltagem manual e um estabilizador convencional. Mas o problema é que o tal estabilizador não era preparado para a ligação de ar condicionado, levando à sua queima dias depois. Agora com o KEBO este problema estará resolvido. Encaramos o ESTABILIZADOR como um “primeiro agente” em nosso sistema elétrico que é dotado de transformador reserva, estabilizador para transformação das tomadas 110V internas e carregadores inteligentes das baterias. Teremos todos os equipamentos convencionais do trailer funcionando, tendo sempre a nossa entrada estabilizada em 220V graças ao estabilizador. Quando estivermos em um camping que oferecer tomadas 110V com grande queda de energia, faremos a ligação de um trafo convencional elevando a voltagem ao dobro de sua tensão para que o KEBO possa fazer seu trabalho dentro da faixa de funcionamento de 100V até 260V. Fizemos a ligação via cabos de 10mm² que saem do disjuntor bipolar de entrada para os demais de distribuição interna.

NO MOTORHOME: Nosso motor home possui um conversor original que faz automaticamente as distribuições das várias tomadas tanto 110V e 220V internamente assim como os demais equipamentos que variam de voltagem. Por esta razão, decidimos continuar com a presença dele, apesar de não usarmos mais o seu carregador de baterias (substituído por flutuantes e inteligentes) e nem o seletor de voltagem manual. Desta forma, também aplicamos o KEBO na ENTRADA da energia do veículo, onde sempre teremos a entrada regulada em 220V para daí o sistema elétrico trabalhar. No caso de quem possui todos os equipamentos e tomadas internas em 220V, aí poderá “descartar” todos os outros equipamentos de transformação, ficando apenas com o KEBO.

USO: Testamos em diversas situações inclusive provocadas diante do nosso antigo conversor de seleção manual para derivar voltagens mas altas e baixas antes de entrar no KEBO. Em todas tivemos êxito em obter os 220V na saída, salvo quando baixamos dos 100V. As vezes, a partida do ar condicionado pode fazer cair esta entrada se a luz estiver neste limite mínimo e por isso nos preparamos com um TRAFO convencional para ligar antes do KEBO nos casos extremos de campings 110V que forem ficar lotados. O efeito de Retardo funciona perfeitamente inclusive indicando no display a contagem regressiva do tempo escolhido. Escolhemos 6 segundos pelos motivos óbvios de testes, mas nos acampamentos comuns iremos utilizar a opção de 180s para garantir maior segurança ou evitar o “vai e vem” quando a luz voltar a faltar em menos de 3 minutos. Os efeitos de estabilização podem ser notados quando o aparelho muda de estágio. É nítido que os estágios são acionados de forma mais lenta e é exatamente este o motivo que permite a ligação de compressores e outros aparelhos pesados. Tanto o voltímetro do estabilizador quanto o nosso voltímetro externo marcam sempre a saída estabilizada por volta dos 220V, as vezes um pouquinho mais, as vezes um pouquinho menos.

ITENS DE FIXAÇÃO NA PAREDE: Apesar de não utilizarmos nos veículos de recreação, o Estabilizador KEBO acompanha um kit de fixação em parede. Como o aparelho é pesado, buchas metálicas, parafusos e até mesmo um gabarito feito em papel-cartão são dispostos dentro da caixa para que possa ser fixado na parede com segurança. As buchas metálicas se expandem quando apertados os parafusos deixando tudo bem preso.

CARACTERÍSTICAS: Potência: 5.000VA (Modelo 5kVA) e 10.000VA (Modelo 10kVA); Faixa de entrada: 100V até 260V; Frequência: 60Hz; Tensão de saída: 220V (±10%); Tempo de Retardo (Delay): 6 segundos ou 180 segundos (via chave seletora); Controlador: CPU em circuito SMT; Transformador: Toroidal multifaixa; Voltímetros: De entrada e saída em display de 3 dígitos; Proteções: Sobretensão e subtensão de entrada, Curto-circuito de saída, Sobrecarga de saída, sobreaquecimento do gabinete; Cooler de arrefecimento: Sim, ativo a partir dos 60ºC; Disjuntor: Monopolar; Monofásico; Dimensões: Modelo 5kVA 25,5cm x 31cm x 16cm (LAP) e peso 9kg; Modelo 10kVA 29cm x 36Xcm x 19cm (LAP) e peso 16,5kg.

PREÇO e ONDE COMPRAR: Na ocasião deste review os estabilizadores eram vendidos pela própria KIOPPS por R$ 1.580,00 (Modelo 5kVA) e 2.780,00 (Modelo 10kVA). Frete era grátis para vários Estados. Este produto é vendido apenas pela própria KIOPPS no seu MercadoLivre próprio. Link para o Modelo 5kVA e Link para o Modelo 10kVA. Mais informações e contatos no site da KIOPPS, via telefones ou whatsapp (51) 9.9523-2744 ou (51) 9.8469-1897, e-mail ([email protected]). A sede se situa na Rua Irineu G. Buchmann, 517, Bairro Vila Rica –
Feliz-Rio Grande do Sul.

REVIEW – PRODUTO: Este equipamento foi enviado pela KIOOPS/KEBO que confiou no know-how do MaCamp para testar seus produtos na seção de Reviews. Testes foram feitos em nosso motor home Turiscar 1992 – modelo Caribe, no Estado do Rio de Janeiro.

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

4 COMENTÁRIOS

    • ele tem saída 220V a partir de uma faixa de 100v a 260v. Caso necessite de 110V, basta colocar um trafo após. Até o momento não existe um modelo com saída 110V

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here