Publicidade:
 

Energia elétrica é algo cada vez mais presente na vida de quem roda na estrada ou no camping. Mesmo estando na era dos equipamentos 12 Volts e com a modernidade das placas solares, ainda temos necessidades, limitações e até mesmo demandas de aparelhos que não podem ser alimentados fora de uma tomada de energia externa. O Ar Condicionado é o mais comum deles que, além de muito necessário em um veículo de recreação, não podem ser tocados por inversores e pelas poucas placas solares que cabem no teto de um trailer ou motor home. Mas a liberdade de estar em qualquer lugar do planeta com energia plena para tocar todos os equipamentos que desejar é muito possível através de um bom GERADOR. A BRANCO fez questão de nos enviar dois modelos que se encaixam perfeitamente tanto no extra conforto dos maiores motor homes como também no minimalismo das novas tendências  de carros e trailers pequenos ou mesmo para os aventureiros a bordo de carros preparados para expedições, barracas e barracas de teto: Um deles o PROTAGONISTA DESTE REVIEW, um Gerador compacto e silenciado a Gasolina de 2.000W. O outro, QUE SERÁ PAUTA PARA OUTRO ARTIGO, um modelo de alta capacidade, cabinado, silenciado a Diesel de 7.000W.

PREDICADOS: Um gerador que viaja junto com o campista e caravanista precisa de duas características importantes: Economia de combustível, seja de qual for escolhido e também extremo conforto acústico, pois  o ruído  sempre será algo indesejável nos momentos de lazer e descanso. A BRANCO nos enviou dois modelos bastante categóricos nesta classificação. Além de um modelo de maior capacidade (7kvA) movido a Diesel silenciado, também este que figura este primeiro review, um portátil a gasolina de 2kvA, com tecnologia inverter silenciado que garante muita autonomia e bom aproveitamento.



Modelo BD 7000 ES Diesel (próximo review)

A ESCOLHA: A opção pelo modelo “compacto”, em nosso caso, busca não somente a opção de gerador a gasolina para nossas acampadas de trailer, como também nos casos de falta de luz em casa. Como nosso trailer é pequeno, não há espaço para o gerador nele e por isso o aparelho viajará sempre no porta-malas do carro ou na caçamba da caminhonete. Além do uso esporádico de ferramentas em locais sem alcance de energia elétrica, o equipamento é tão “portátil” que poderemos até mesmo usar em acampadas de barraca em locais inóspitos. Optamos pelo modelo 220V, já que tanto o trailer, quanto o motor home possuem aparelhos 220V e também transformadores para os equipamentos 110V. Assim também garante o funcionamento de ferramentas 220V no sítio e de extensões de menor bitola para a ligação, principalmente no uso nos veículos de recreação, permitindo ligá-lo bem longe sem nenhum ruído.

O MODELO B4T 2000i possui dois sub modelos de voltagens diferentes a escolha do cliente: 110V ou 220V pesando 22kg com o tanque vazio que possui capacidade de 3.7L de gasolina. Possui 1.800VA de potência contínua, com pico de partidas de 2.000VA. Além das duas tomadas 20A no painel do gerador, também oferece uma tomada veicular de corrente contínua 12V (tipo isqueiro) com potência de 5A capaz de carregar baterias, além de alimentar equipamentos. A autonomia declarada é de 5,4 horas entregando uma saída de corrente alternada monofásica com recomendação de fiação 2,5mm. Com formato arredondado sem cantos vivos de dimensões de 53cm de comprimento, 33cm de largura e 49cm de altura. Possui pés de borracha que absorvem ruído, trepidação e também garante o gerador bem fixado no chão mesmo livre.

SISTEMA INVERTER: São duas as grandes vantagens do sistema de geração por inversor. A primeira é a qualidade “final” da energia elétrica que chega às tomadas de forma limpa e idêntica à rede das concessionárias em onda senoidal pura. A segunda é a auto regulagem que permite que o motor regule a aceleração suficiente para a geração demandada sem que tal variação resulte em oscilação na energia final. Com uma aceleração sempre mínima suficiente, garante ainda menos ruído e a máxima economia de combustível.

APLICAÇÕES NO NOSSO TRAILER: Como temos um trailer pequeno, levaremos o gerador sempre no carro, tanto na caçamba de uma caminhonete quanto no porta malas do nosso carro fechado. No momento do uso, poderíamos tanto utilizar ligado via própria extensão do trailer com o gerador ligado na caçamba (devidamente ventilada), como logo ao lado ou mesmo bem distante para que nenhum ruído seja ouvido. No caso de insegurança, as alças do gerador são bem resistentes, permitindo que possa ser preso em alguma árvore ou poste com uma corrente e cadeado. Não é o nosso caso, mas diversos trailers possuem não somente bagageiros como também caixas de gás frontais com espaço para o B4T 2000i.

APLICAÇÃO NO NOSSO MOTOR HOME: No nosso caso, além de testar o gerador com o ar condicionado de teto e da possibilidade de utilizá-lo na falta de energia elétrica onde acampamos, pudemos acomodá-lo em uma tulha de pequenas dimensões. Como ela é toda fechada, não servirá para mantê-lo ligado lá dentro, o que não impede de reformá-la criando grades de ventilação, exaustão tanto nas paredes, quanto na porta e no assoalho. A foto ilustra a enorme praticidade e portabilidade do B4T 2000i em uso em um carro ou veículo de recreação.

O REVIEW: Buscamos fazer um uso e testes rápidos para gerar este artigo de review demonstrando toda a versatilidade do modelo da BRANCO ilustrando nossos usos em casa, no trailer, motor home e no carro. Foram usos diversos, alternando situações de real necessidade com outras em que apenas fizemos o uso do gerador para teste, ao invés da presente energia de concessionária local.

UNBOXING: O gerador chegou em uma embalagem ilustrada de papelão, protegido em encaixes de isopor e sub embalados em plástico transparente. Dentro encontramos o manual de instruções, dois estojos com zíper e um pote dosador de plástico. Um dos estojos revelou o cabo de carregamento de bateria, tendo em uma ponta duas garras (positivo e negativo) para plugar na bateria e na outra um plug 12V padrão “isqueiro”. No outro estojo, encontramos as ferramentas que são necessárias para o preparo e as manutenções do gerador: Uma chave de fenda conversível em “philips”, uma chave de vela (composta de soquete e pino/alavanca móvel) e por fim mais uma chave (padrão de vela) para parafusos de menor tamanho utilizados no gerador.

ABASTECENDO DE ÓLEO: O gerador chega sem nenhum fluido ou combustível. Adquirimos um óleo de qualidade (grande marca) na especificação pedida pela BRANCO: API 20W50. De posse do pote dosador, foram abastecidos os 400ml de óleo em duas doses de 200ml. Primeiro abrimos a tampa de manutenção com a chave de fendas que acompanha o aparelho. Na parte de baixo já podemos ver a tampa amarela do bujão de óleo. Desrosqueada, ela revela uma “vareta” mostradora do nível. O Bacana é que existe uma aba pingadeira para o caso de derramamento do óleo, onde o mesmo escorre por uma saliência no plástico da própria carenagem do gerador. O mesmo dispositivo guiará a saída de óleo no momento da troca. Com o gerador sobre a bancada, demos uma pequena inclinada no aparelho para que o óleo entrasse mais facilmente. Após a carga, rosqueamos a tampa novamente e a soltamos para verificar o nível no mostrador. Com tudo pronto, bastou o fechamento da tampa de manutenção.

ABASTECENDO DE GASOLINA: Abastecemos de 3,5L o tanque com auxílio de um funil feito de garrafa PET. A tampa do tanque possui uma ótima bitola e sistema de fechamento. Ao abrir, vimos que há uma cesta de tela para filtrar maiores impurezas que possam vir no combustível. Utilizamos gasolina comum e, como o motor é de 4 tempos, não há necessidade de misturar qualquer óleo ao combustível. No manual, é permitido utilizar aditivos de proteção. Na cesta de tela há uma marca de nível máximo a ser respeitado.

LIGANDO O GERADOR: Para ligar o gerador, o manual recomenda o seguinte ritual que tem sido respeitado em todos os nossos usos: O primeiro passo é se certificar que todas as tomadas de saída estão desplugadas. (Podemos achar isso estranho, mas imaginamos que aparelhos ligados no momento da partida, podem não só sobrecarregar a saída do gerador no momento em que está iniciando o processo, como também danificar o que estiver plugado enquanto a energia ainda não está estabilizada). Daí devemos abrir o respiro na tampa do tanque para a posição “on”, girar o botão de combustível para a posição vertical, colocar a alavanca do afogador na posição “choke” e por último se certificar que o botão do “modo inteligente” esteja no modo “desligado” no painel. Aí é só puxar a cordinha da partida manual que se mostrou muito macia. Assim que o motor liga, já podemos retornar a alavanca do afogador para a posição “run”. Caso ele queira falhar, retorne ao afogador até que o motor se equilibre. Nos nossos usos em clima quente não foi preciso. Com o motor já ligado é hora de acionar o modo inteligente que desacelera bastante o motor e tranquiliza muito o barulho. Aí é só ligar os aparelhos nas tomadas de saída.

USANDO O GERADOR: Durante o review utilizamos o gerador com diversos tipos de aplicações. O primeiro foi certamente abastecer o trailer, plugando nossa extensão que usamos nas tomadas do camping, curtindo o gostinho de estar com energia elétrica plena sem qualquer consumo na concessionária. Utilizamos inclusive nosso ar condicionado, mas assunto que abordaremos separadamente adiante. Também utilizamos ferramentas como furadeira e serra circular. Exatamente na ocasião do review, nossa cidade de Paraty-RJ sofreu uma grande tragédia com as chuvas que castigaram as áreas em encostas e beiradas de rios. Muitas famílias conhecidas ficaram desabrigadas e a própria distribuição elétrica ficou muito comprometida. Algumas regiões chegaram a ficar mais de uma semana sem luz. Apesar de nossa base não ter ficado sem eletricidade, este gerador pôde ajudar algumas famílias que necessitavam, tanto no uso de ferramentas e eletrodomésticos de limpeza, como na carga de celulares e computadores e até mesmo no acionamento de bombas de água para encher as caixas das casas.

MODO INTELIGENTE: Durante todo o uso, mantivemos o botão do modo “inteligente” ligado e isto garantiu que o gerador se mantivesse sempre desacelerado e com ruído bastante baixo. Nos momentos de maior esforço, principalmente de ferramentas de motor potente, o gerador acelerava e mantinha assim um passo mais pesado enquanto durava o consumo demasiado. Logo que se desligavam as ferramentas, o motor retornava ao estado de desaceleração com um certo retardo de um ou dois segundos. Na foto abaixo, ilustramos a voltagem redondinha nos 220V mesmo puxando os 3.8A do ar condicionado ligado no trailer.

USANDO COM AR CONDICIONADO: Dos dois geradores enviados pela BRANCO, apenas um nós esperávamos que tocasse nossos dois aparelhos de ar condicionado. (O modelo de 7KvA a diesel que será pauta de outro review). Possuímos um aparelho de ar condicionado no trailer de 7.000BTUs Split Window e outro no motor home de 13.500 BTUs do tipo “de teto”. Ambos os aparelhos possuem compressores “rotativos” que, diferentemente dos modelos mais modernos “INVERTER” possuem um “pico de partida” muito além do comum. Mesmo com suas potências nominais muito abaixo da potência do gerador portátil (750W do trailer e 1400W do motorhome), já havíamos feito testes com inversores de até 3.000W e sem nenhum sucesso, pois o pico estimado desse tipo de compressor pode chegar de 4 a 10 vezes a potência nominal do aparelho. Por esta razão, já contávamos (tanto MaCamp quanto a própria BRANCO) que o modelo do gerador portátil inverter de 1800W de potência nominal e 2000W de máxima (o manual não a define como “pico”) não seria o indicado para os condicionadores de ar. Mas como estamos aqui pra colocar os produtos à prova não nos furtamos a experimentar. Na primeira tentativa com o ar do trailer (de menor potência) passamos por um breve dissabor, seguido de sucesso total. O mesmo ocorreu com o ar condicionado maior do motor home.

TRAILER – AR SPLIT WINDOW 7.000BTU: Na primeira tentativa ligamos o trailer diretamente no gerador, passando pelos transformadores e estabilizadores do mesmo já que nosso ar condicionado é 110V. Assim que ligamos o ar, no momento de armar o compressor, o mesmo já se desligava pela falta de potência. Interessante que o gerador buscava aceleração, mas não chegava a desarmar a saída. Já o desarme ocorria no próprio aparelho de ar condicionado. Após esta primeira frustração, nos ocorreu a ideia de desligar o modo “inteligente” do gerador. Desta maneira o mesmo se mantém acelerado de forma constante. Assim corremos para dentro do trailer e religamos o ar condicionado. Ele possui um sistema de segurança que aguarda 4 minutos para o rearme do compressor. Desta forma, o aparelho se manteve ligado com display aceso e ventilação acionada só na espera da entrada do compressor. Eis que neste momento o mesmo se armou, quando notamos uma aceleração no gerador durante esta partida e retornando à toada anterior. Após nossa satisfação de estar com ar fresco no trailer, resolvemos acionar novamente o modo “inteligente” do gerador. O mesmo desacelerou, mas não tanto como quando não há nada plugado nele, mas bastando para diminuir bem o ruído do motor. Assim se manteve funcionando de forma contínua. A única ressalva neste cenário é que caso a temperatura interna do trailer abaixe até o desarme do compressor, no momento em que for rearmar, o gerador precisará estar novamente no modo “não inteligente”. Como nossa meta é utilizar este gerador com nosso trailer de viagens, ficamos extremamente satisfeitos.

MOTOR HOME – AR DE TETO 13.500 BTU: O próximo desafio agora seria ver o que acontece com o ar condicionado do motor home que é bem mais potente, além de possuir o mesmo tipo de compressor rotativo. Já sabendo que o mesmo não “armaria” o compressor com o gerador no modo inteligente, iniciamos o teste exatamente nesta posição para ver no que dava. Apesar de fracassada a missão como já esperávamos, desta vez não foi o ar que se desligou, mas sim o gerador que cortou sua saída. No momento exato o gerador se acelerou bastante e depois retornou à rotação mínima, mas agora com o LED vermelho central indicando “sobrecarga” e já sem nenhuma eletricidade na tomada. Apesar de mexermos nos botões do painel, o gerador só voltou a liberar carga nas saídas após o desligamento e o religamento do motor. (Assim como especificado no manual.) Pois isto foi feito rapidamente para que pudéssemos fazer a segunda fase do teste. Agora com o botão no modo inteligente desligado, voltamos a ligar o ar condicionado de teto e igualmente ao outro, aguardamos o momento da partida do compressor. Para nossa surpresa o mesmo armou e começou a gelar normalmente. Ele acelerou bastante naquele momento e retornou à aceleração anterior. Mas desta vez, quando acionamos o modo inteligente, mesmo com tudo continuando a funcionar, o motor não baixou a aceleração, provando que o consumo estava bem mais alto do que o outro ar condicionado do trailer, conforme esperado. Nesta oportunidade ficamos extremamente satisfeitos, já que o gerador se provou muito além de suas capacidades nominais no quesito “pico de partida”.

CARREGANDO BATERIA 12V: Para esta função, não tivemos reais necessidades durante o período de review e por isso simulamos dois cenários, sendo um carregando uma pequena bateria estacionária com o kit de cabos que acompanha o gerador e também alimentando uma geladeira 12V que usamos no nosso carro. A interface de saída 12V é bastante acessível, sendo uma tomada do tipo veicular com capacidade de 5A. Vale ressaltar que esta saída é uma fonte de carga e emergência, não se TRATANDO DE UM “CARREGADOR INTELIGENTE”. Desta maneira é importante calcular bem o tempo de carga de acordo com a capacidade da bateria para que ela não se danifique.

USANDO COMO FONTE 12V: Na mesma saída da carga, utilizamos equipamentos 12V, como carregador de celular, adaptador USB, mas o teste mesmo foi com a nossa geladeira automotiva 12V a compressor. Apesar do consumo dela estar dentro dos 5A da saída declarada do gerador, existe um pico de partida do compressor. Pelo jeito esta saída 12V está bem acima da capacidade, até mesmo dos 8.3A que constam no manual e no catálogo da BRANCO. Tirou de letra, sequer alterando quase nada a aceleração do modo inteligente do gerador. Assim como é convencional nas cargas automotivas, a saída ficou entre 13 e 14V assim como no caso das tomadas do carro quando ligados.

DESLIGANDO O GERADOR: Na hora de desligar o gerador, outra conduta deve ser seguida: Primeiro deve-se desligar todas as tomadas e depois desligar o modo “inteligente” levando ao motor acelerar para promover uma ventilação maior do que o normal para a sua auto refrigeração. Após alguns minutos vide manual (confessamos que aguardamos sempre apenas alguns segundos) desliga-se o motor girando o botão do combustível (definido como “interruptor do motor” pelo manual. É aquele botão de giro abaixo da corda de partida que será desligado quando estiver na posição horizontal. Por fim, após o motor parar, é hora de fechar o respiro girando o botão da tampa do tanque para a posição “off”.

MANUTENÇÃO: Certamente os passos da manutenção foram feitos neste review apenas a título de curiosidade e ilustração, pois nem seria tempo das devidas inspeções. De acordo com o manual, fizemos a limpeza externa para verificar possíveis vazamentos e verificamos a peneira de combustível que obviamente não precisava de limpeza.

Depois desrosqueamos a tampa do óleo para verificar o nível que permanecia o mesmo do inicial.

Também fizemos a inspeção dos filtros de ar para ilustrar os passos da manutenção. Após soltar a tampa lateral do motor e também o parafuso da tampa do filtro, removemos as duas espumas. A de cima é mais fina e filtra o ar. A de baixo é mais espessa que filtra o respiro. Geralmente, primeiramente as espumas devem ser lavadas com água e detergente e colocadas para secar. A espuma mais fina (do ar) deverá ser encharcada em óleo limpo de motor e espremida para remover o excesso.

Depois é só remontar tudo. É importante fazer um bom aperto de todos os parafusos, já que o gerador trabalha vibrando.

Por último, removemos a tampa superior para simular uma retirada da vela, posicionando inclusive a ferramenta para retirá-la. Certamente faremos esta inspeção por completo no momento correto.

O manual também recomenda a inspeção do escapamento e do “mata-chamas” que foi bem simples. Retiramos o painel traseiro removendo os quatro parafusos. Para retirar a ponta “mata-chamas” existe um parafuso bem embaixo dela, que após removida estava obviamente em perfeitas condições, dado o baixo tempo de uso do gerador.

ANALISANDO: Primeiramente ficamos extremamente satisfeitos com a praticidade e desempenho do gerador. Ele é muito silencioso perante aos demais geradores comuns do mercado, a ponto de julgarmos bastante aplicável no campismo e caravanismo, pois o seu gerador instalado do lado externo do motor home, pode não incomodar você, mas sim seu vizinho. O BRANCO B4T 2000i certamente possui um nível de ruído bastante aceitável. Sua performance de energia elétrica superou nossas expectativas, já que tocou os dois aparelhos de ar condicionado que sequer estavam nos planos desta demanda. A qualidade dos materiais também é outro ponto a se elogiar. Nada de plásticos finos ou frágeis, superfícies emborrachadas onde é preciso (como na região onde pode derramar gasolina no abastecimento por exemplo), Pés bem firmes e absorventes e algo pessoalmente muito positivo frente a experiências antigas: A tampa do tanque não só veda muito efetivamente em sua rosca, como também o respiro realmente estanca quando na posição correta. Já tivemos mais de um exemplo de equipamentos a gasolina cuja rosca da tampa escapava no aperto e todo o conjunto vazava combustível ao balançar no transporte. No caso do B4T a rosca metálica é precisa e funcional. As tomadas são de extrema qualidade no padrão brasileiro de pinos. Obviamente um gerador é um equipamento pesado por sua própria natureza, mas proporcionalmente tem um peso bastante favorável no conjunto. Finalmente, seu formato todo arredondado e com carcaça plástica e emborrachada em toda a volta, dá um ar e manuseio muito mais confortáveis do que os geradores dos tipos mais convencionais, transformando-o em um “brinquedo” nas mãos dos aventureiros de plantão.

CONSUMO: Sabemos que o consumo é algo que depende muito de cada utilização e no nosso caso, fizemos o uso de um único tanque nesta série de demandas aleatórias que compreenderam testes propositais e demandas reais. No caso deste review, contabilizamos as horas de trabalho até uma certa marca, deixando no final,  o gerador ligado durante um tempo de ausência. Portanto não sabemos exatamente qual foi a autonomia. Porém, compreendemos que cada tipo de uso alterará muito esta marca. Durante nossos principais testes, contabilizamos 4h e 50 minutos, somando-se mais algum tempo intermediário que o gerador funcionou durante um período de ausência de 55 minutos que, quando chegamos ele já desligara por falta do combustível. Então nossa primeira marca se deu entre 4h50min a 5h45min, o que representou de 0,72L/h a 0,82L/h.

CARACTERÍSTICAS: Modelos: 90314850 (110V) e 90314860 (220V); Partida: Manual; Combustível: Gasolina; Óleo: API 20W50; Potência Contínua: 1,8kVA; Potência Máxima: 2,0 kVA; Controle de tensão: Inversor; Carregador de bateria: 12V / 8,3A (vide manual) 5,0A (vide painel); Capacidade do tanque: 3,7L; Autonomia: 5,4h (vide manual); Monofásico; Bitola recomendada de fiação: 2,5mm²; Ruído (7m) 54 a 69 dBA; Dimensões do Produto: 53cm (comprimento), 33cm (largura) e 49cm (altura); Dimensões da embalagem: 57cm (comprimento), 36cm (largura) e 51,5cm (altura); Peso: 22kg (vazio); Peso de 3,7L de gasolina: 2,77kg; Peso de 400ml de óleo: 354,8g; Peso total abastecido aproximado: 25,125kg; Tomadas ac: 2x 2P+T (padrão brasileiro) de 20A; Tomada 12V: Veicular padrão “isqueiro”; Indicadores: Led’s; Proteções: Eletrônica + disjuntor; Cores: Vermelha e preta; Motor: 4 tempos

PREÇO: Na data deste review o equipamento custava entre R$ 2.324,15 a R$ 5.724,00 + frete na INTERNET.

REVIEW – PRODUTO e Local: Este equipamento foi enviado pela BRANCO que confiou no know-how do MaCamp para testar seus produtos na seção de Reviews. A instalação e testes foram feitos em nosso próprio trailer e próprio motor home em um camping e também em propriedades do município de Paraty no Estado do Rio de Janeiro.

CONTATOS:

SITE: www.branco.com.br
facebook.com/brancomotores
instagram.com/brancomotores
linkedin.com/branco-motores
youtube.com/brancomotores
REVENDAS – link
REPRESENTANTES – link
ASSISTÊNCIAS – link

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here