Delka 728 x 90

Manhã seguinte, visita à Torre Eiffel. Sem comentários… Só digo que tem que subir até o topo mesmo. Nada de vertigens nesta hora. A vista é fantástica! De 360º. De lá se consegue visualizar todos os pontos turísticos como se estivesse visualizando um mapa, só que em tamanho real. Depois de descermos da torre, logo em frente a ela pegamos o ônibus de turismo, como se sabe, de hábito, e seguimos o roteiro pelos principais pontos da cidade: museu do Louvre, a catedral Notre Dame, Praça Vendôme, Praça da Bastilha e as belas e famosas pontes sobre o rio Sena. Quando estávamos dentro do museu do Louvre ocorreu um fato curioso, por sorte já tínhamos visto tudo o que desejávamos ver por lá, incluindo a Mona Lisa. Iniciou-se um corre-corre de guardas e homens de preto, que assustou. Aos gritos diziam que todos deveriam desocupar as salas de exposição. Iam tocando o pessoal feito gado. E xingamento se entende em qualquer língua. Tentei perguntar o que estava ocorrendo para um dos “MIBs”, nem bola… Simplesmente, esvaziaram grande parte das salas, permanecendo um povo no saguão de entrada. Creio que ocorreu alguma coisa no sistema de alarme e segurança do museu e os guardas entraram em polvorosa. Bem, estávamos de saída mesmo… hehehe Acho que estavam filmando a “Pantera cor de Rosa”. Que sorte! Ta vendo, nem tudo é azar, nem tudo dá errado… Sempre dá certo… Vai que dá! Mas, continuo dizendo que o museu do Vaticano é mais bonito e grandioso! Inclusive no Louvre existem muitas obras cedidas pelo Vaticano, em exposição. Só para ver o poder e quantidade de obras sob posse da igreja católica. Impossível não pensar no que são velados a nós, meros mortais. O que deve existir de coisas maravilhosas guardadas a sete chaves… Nesse museu creio ter descoberto o motivo das francesas gostarem de fazer topless. Acho que se baseiam nos quadros que retratam a Bastilha e outros, onde mostram muitas mulheres empunhando a bandeira da França com os seios à mostra. Ou isto, ou são mais liberais mesmo… hehehe. Com o tempo cada vez mais curto, muitos lugares tiveram que ser incluídos na lista da revisita: Sacre-Coeur, Conciergerie, Palais Royal, Place des Vosges, Saint-Chapelle, Jardim de Luxemburgo, passeio de barco pelo rio Sena, Collège des Bernadins, parque André Critroen, Jardim de Monet, Sorbonne, igreja Saint Louis en lle. Não deu tudo que planejamos… Final de festa!! Já estávamos no espírito da volta para casa… Abandonando o friozinho parisiense, presente já nesta época do ano.

  Deusdeth Waltrick Ramos

AL-KO 728×90
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."