Santo Inácio 728×90

Responder a: Acamps Ouro Preto – ABR15

#58901

Junior, não à toa que Minas concentra o maior ‘depósito’ da rocha que originou a pedra. Crenças a parte, o interior de algumas é de tirar o fôlego e nos faz ter reflexões do quão trabalhoso foi sua construção/concepção com os escassos recursos da época. Além de pinturas significativas algumas são completamente banhadas em ouro, uma pena (mais uma vez reclamando) não poder tirar fotos… Essa peguei na net: Meu caro, pode cobrar, o dia que ‘desvirtualizarmos’ faço questão de oferecer um banquete ao amigo…e oh, não apenas seu pai, até você se renderia a fazer uns cliques!


Junior / Luiz, ia mesmo falar sobre, vejamos. Estacionar na cidade requer uma dose extra de paciência, isso porque as vagas de rua autorizadas (em fila indiana e com uso de cartão; e que não usei pois não achei ninguém que vendesse) são poucas e próximo ao centro só há um estacionamento de porte pequeno que lota muito rápido, conclusão, é preciso rodar, rodar e rodar até encontrar um buraco. Ou então fixa o carro bem longe de tudo e encara a caminhada, o que já se faz de costume no centrão. São muitas subidas/descidas, nem vale ficar circulando, o lance é um tênis confortável e disposição. Em momento algum vi pessoas intimando, sufocando ou pedindo trocado, nesse aspecto me senti tranquilo e seguro. E creio ser assim, vi muita gente com equipamento caro de fotografia no pescoço. A leve critica que tenho a fazer é também nesse aspecto (estacionamento), acho que a prefeitura podia estudar algo mais inteligente, e principalmente tirar os carros de circulação do perímetro central e histórico. Paraty já funciona assim, o que ajuda a preservar mais ainda a contar que visualmente melhora e muito. É tendência, principalmente nos grandes centros (áreas turísticas então nem se fala) a preferência por pedestres a carros. Talvez uma solução (e até atração, porque não?) fosse a instalação de bondinhos como os de Santa Tereza aqui no Rio. Facilitaria a andança nas ladeiras e daria uma elegância sem igual. Até mesmo os ditos plano inclinados facilitariam. Outro ponto fraco é a identificação dos atrativos, faltam placas indicativas no centro (um bom e velho mapinha resolve; só pegar em qualquer lojinha). A sorte é que Ouro Preto já possui um apelo muito forte e naturalmente as pessoas procuram a cidade. Mas vamos lá, não to aqui martelando, foram apenas percepções. Na balança a cidade é 110%, voltaria lá com toda certeza.

PS: Só deixaria o carro no camping e seguiria pro centro de ônibus (nem 10min).

AL-KO 728×90

CLASSIFICADOS: