Geladeira a Gás

Visualizando 10 posts - 11 até 20 (de 126 do total)
  • Autor
    Posts
  • #47020
    Matheus S
    Participante

    Realmente, no verão quentíssimo deve melhorar bastante o desempenho com o auxilio dos coolers. Também tive que colocar tela na chaminé, não cheguei a ter problemas com andorinhas mas entrava muita folha de árvore com o vento. Referente as fotos, pode utilizar, sem problemas. Abraços.

    #47021
    Anônimo
    Inativo
    macamp wrote:
    Odair… primeiramente sou um eterno apaixonado pela geladeira a gás. Frente a tanta tecnologia ainda acho fantástico termos um refrigerador que funcione a partir de uma fonte de calor. Como todos sabem, o sistema a gás usa amônia em seu sistema para fazer a troca de calores e diferentemente das geladeiras tradicionais que utilizam pressão (compressor) para “circular” o circuito, a amônia tem este processo quando esquentada em um trecho do sistema. Com isso podemos tem um refrigerador funcionando por quase um mês usando um único botijão de gás já presente em qualquer RV. Eu defendo o uso da geladeira a gás exatamente por esta independência energética. posso ficar sossegado em qualquer lugar sem energia elétrica sem me preocupar com bateria/inversor. Além disso ela é silenciosa ao extremo.

    Xará Marcão, Também sou fã das geladeiras a gás, pelos mesmos motivos que você colocou. Quando vi sua postagem no FB direcionando para cá, vim correndo (tenho que frequentar mais). Confesso que vinha fraquejando neste amor. A minha unidade, às vezes gela que é uma beleza, e em outras nega fogo, digo, gelo. Eu tenho uma Safari que já veio com ela, porém com o sistema de gás inoperante. Com as dicas do seu site, consegui consertar com facilidade. O problema era tão somente que o centelhador (starter) havia se soltado com a movimentação do veículo. Não bastou colocá-lo de volta no encaixe – é preciso um ajuste fino, baseado em tentativa e erro, para deixá-lo numa posição em que funcione. Mas uma vez feito, nunca mais deu problema.

    macamp wrote:
    Sei que “mil vozes” irão gritar por aqui: 1- “a geladeira não gela….”, 2-“gasta muita energia”, 3- “amônia é perigosa e proibida”, 4- “precisa de um nivel perfeito”, 5- “Fogo é perigoso”, 6- “demora muito pra primeira gelada”, 7- “precisa virar de cabeça para baixo de tempos em tempos” Daí venho, com todo respeito a todas as opiniões, defender: (…) 5- Até hoje nunca ouvi falar de trailer ter pego fogo por causa da geladeira a gás. Já vi por vários outros fatores,… acho qté que muitos quesitos em RVs são bem perigosos neste sentido… mas é a realidade…

    Houve sim um veículo que pegou fogo por causa do sistema de GLP – não é possível afirmar que foi especificamente a geladeira. O Marciano contou na lista dos Safaristas como perdeu sua Safari depois de fazer uma parada em posto na estrada. Ele não quis se arriscar no combate ao fogo, por medo de explosão do botijão. O risco de incêndio foi explicado por outro campista, o André. Na verdade, o risco não está relacionado propriamente à geladeira, ao fogão ao aquecedor, ou a outros equipamentos que usem GLP. O risco está em três coisas, nas mangueiras, nos encanamentos que percorrem o veículo e no botijão de GLP. Mangueiras – Usadas nas porções terminais dos encanamentos, elas precisam ser trocadas a cada cinco anos por exemplares com selo NBR. Mas muitos usuários de GLP, residenciais inclusive, não atentam para a validade impressa no corpo da mangueira. Outra questão, elas só podem ter no máximo 1m25cm.

    • Contramedida: Trocar as mangueiras dentro da validade por exemplares com selo NBR.

    Encanamentos – Aqui há dois riscos. O primeiro é que com a torção da carroceria em viagens, provocando pequenos vazamentos. Um pedra no solo também pode ser projetada contra os encanamentos e causar avarias. A segunda questão é que, com o balanço do veículo, o GLP ainda em estado líquido poder passar para os encanamentos. Nesta situação, se o líquido fizer contato algo que provoque ignição, ele pode funcionar como um rastilho de pólvora (backfire) e levar a chama até o botijão, que pode explodir.

    • Contramedida: Inspecionar regularmente os encanamentos. A inspeção visual deve ser constante. Uma inspeção para verificar estanqueidade, anual, também é desejável. Não sei dizer como ela pode ser feita, mas gasistas e profissionais que trabalham com refrigeração podem ajudar.
    • Precaução: viajar com a válvula junto ao Botijão fechada e fazer uma inspeção visual dos encanamentos antes de abri-la e ficar atento a sons e odores depois de abri-la. No caso da Safari, eu tenho a opção de ligar a geladeira na bateria durante a viagem.

    Botijão – Ao comprar ou trocar o botijão verificar seu estado geral, se não apresenta ferrugem, se está corretamente pintado e lacrado, etc, e se ele é de uma medida padrão: P5, P8 ou P13.

    • Alerta: Atenção especial com os vasilhames P2, os botijões de 2Kg, popularmente conhecidos como “liquinho”. Em alguns estados a revenda e recarga desta vasilhame estão proibidos. O uso desta garrafa representa risco porque ela não é dotada de válvula e não possui a válvula de segurança (fusível) que deixa o gás escapar quando um incêndio ocorre, ou seja, nestes casos, o GLP dentro dela aquece até explodir. Em muitos casos, esse botijão não possui “pé”, ou seja, toda vez que ele é arrastado para ser substituído, sua parede se desgasta e vai “afinando”, até um momento em que não aguenta a pressão e “explode” mesmo sem um fator de ignição.
    macamp wrote:
    6- Realmente demora… mas é apenas uma questão de encarar que deve ser ligada horas antes…. O segredo está na “carga” da geladeira…. isso mesmo… quanto mais abarrotada de produtos melhor ela funcionará…. uma geladeira agás vazia dá a sensação de que não está gelada…. isso porque a troca de calor é mais lenta…. quando vou viajar, coloco todos os produtos lá dentro e ligo-a no gás ou 12 ou 6 horas antes,.. quando chego no local ela está maravilhosamente gelada,.. sempre tomo minha primeira cerveja após descer as sapatas do trailer…. gelllladdaaa.

    Dessa eu não sabia. Vou por em prática. A minha opção era usar a geladeira 24h, mesmo quando o veículo estava guardado – o que só é possível graças à opção do GLP. Mas não tenho feito devido à dificuldade de repor o botijão.

    macamp wrote:
    Resumindo: Para mim as pessoas possuem uma experiência ruim com ela, já que não possuem paciência para encarar seu funcionamento e PRINCIPALMENTE os RVs não possuem a ventilação correta do sistema de dissipação de calor. A turiscar, por exemplo colocava a grade de ventilação lá em baixo onde existe a regiao de manutencao da resistencia…. mas falta uma lá em cima no dissipador.

    A arquitetura do nicho da Safari para a geladeira não é boa. Embora a chaminé dissipe o calor da chama-piloto, não atua sobre o calor gerado pelo sistema, que fica retido no topo da geladeira prejudicando seu funcionamento. Um safarista melhorou o desempenho colocando ventoinhas 12v (de computador) para “soprar” o calor para fora, vou tentar fazer isso. Outra questão é que na Safari a chama-piloto não é protegida do vento, com o veículo em movimento ela apaga. Mas vejo a questão até como medida de segurança. Embora a geladeira tenha dispositivo que corta o gás nestes casos, não convém facilitar.

    #47022
    Anônimo
    Inativo
    macamp wrote:
    Odair… primeiramente sou um eterno apaixonado pela geladeira a gás. Frente a tanta tecnologia ainda acho fantástico termos um refrigerador que funcione a partir de uma fonte de calor. Como todos sabem, o sistema a gás usa amônia em seu sistema para fazer a troca de calores e diferentemente das geladeiras tradicionais que utilizam pressão (compressor) para “circular” o circuito, a amônia tem este processo quando esquentada em um trecho do sistema. Com isso podemos tem um refrigerador funcionando por quase um mês usando um único botijão de gás já presente em qualquer RV. Eu defendo o uso da geladeira a gás exatamente por esta independência energética. posso ficar sossegado em qualquer lugar sem energia elétrica sem me preocupar com bateria/inversor. Além disso ela é silenciosa ao extremo.

    Xará Marcão, Também sou fã das geladeiras a gás, pelos mesmos motivos que você colocou. Quando vi sua postagem no FB direcionando para cá, vim correndo (tenho que frequentar mais). Confesso que vinha fraquejando neste amor. A minha unidade, às vezes gela que é uma beleza, e em outras nega fogo, digo, gelo. Eu tenho uma Safari que já veio com ela, porém com o sistema de gás inoperante. Com as dicas do seu site, consegui consertar com facilidade. O problema era tão somente que o centelhador (starter) havia se soltado com a movimentação do veículo. Não bastou colocá-lo de volta no encaixe – é preciso um ajuste fino, baseado em tentativa e erro, para deixá-lo numa posição em que funcione. Mas uma vez feito, nunca mais deu problema.

    macamp wrote:
    Sei que “mil vozes” irão gritar por aqui: 1- “a geladeira não gela….”, 2-“gasta muita energia”, 3- “amônia é perigosa e proibida”, 4- “precisa de um nivel perfeito”, 5- “Fogo é perigoso”, 6- “demora muito pra primeira gelada”, 7- “precisa virar de cabeça para baixo de tempos em tempos” Daí venho, com todo respeito a todas as opiniões, defender: (…) 5- Até hoje nunca ouvi falar de trailer ter pego fogo por causa da geladeira a gás. Já vi por vários outros fatores,… acho qté que muitos quesitos em RVs são bem perigosos neste sentido… mas é a realidade…

    Houve sim um veículo que pegou fogo por causa do sistema de GLP – não é possível afirmar que foi especificamente a geladeira. O Marciano contou na lista dos Safaristas como perdeu sua Safari depois de fazer uma parada em posto na estrada. Ele não quis se arriscar no combate ao fogo, por medo de explosão do botijão. O risco de incêndio foi explicado por outro campista, o André. Na verdade, o risco não está relacionado propriamente à geladeira, ao fogão ao aquecedor, ou a outros equipamentos que usem GLP. O risco está em três coisas, nas mangueiras, nos encanamentos que percorrem o veículo e no botijão de GLP. Mangueiras – Usadas nas porções terminais dos encanamentos, elas precisam ser trocadas a cada cinco anos por exemplares com selo NBR. Mas muitos usuários de GLP, residenciais inclusive, não atentam para a validade impressa no corpo da mangueira. Outra questão, elas só podem ter no máximo 1m25cm.

    • Contramedida: Trocar as mangueiras dentro da validade por exemplares com selo NBR.

    Encanamentos – Aqui há dois riscos. O primeiro é que com a torção da carroceria em viagens, ao longo do tempo, o desgaste pode se transformar em trincas e pequenos vazamentos surgirem. Um pedra no solo também pode ser projetada contra os encanamentos e causar avarias. A segunda questão é que, com o balanço do veículo, o GLP ainda em estado líquido poder passar para os encanamentos. Nesta situação, se o líquido fizer contato algo que provoque ignição, ele pode funcionar como um rastilho de pólvora (backfire) e levar a chama até o botijão, que pode explodir.

    • Contramedida: Inspecionar regularmente os encanamentos. Pode-se fazer uma inspeção visual quando colocar o veículo em elevador para fazer alinhamento, por ex.. Jamais utilizar o botijão na posição horizontal, inclinada, ou de ponta-cabeça.
    • Precaução: viajar com a válvula junto ao Botijão fechada e ficar atento a sons e odores depois de abri-la. No caso da Safari, eu tenho a opção de ligar a geladeira na bateria durante os deslocamentos.

    Botijão – Ao comprar ou trocar o botijão verificar seu estado geral, se não apresenta ferrugem, se está corretamente pintado e lacrado, etc, e se ele é de uma medida padrão: P5, P8 ou P13.

    • Alerta: Atenção especial com os vasilhames P2, os botijões de 2Kg, popularmente conhecidos como “liquinho”. Em alguns estados a revenda e recarga desta vasilhame estão proibidos. O uso desta garrafa representa risco porque ela não é dotada de válvula e não possui a válvula de segurança (fusível) que deixa o gás escapar quando um incêndio ocorre, ou seja, nestes casos, o GLP dentro dela aquece até explodir. Em muitos casos, esse botijão não possui “pé”, ou seja, toda vez que ele é arrastado para ser substituído, sua parede se desgasta e vai “afinando”, até um momento em que não aguenta a pressão e “explode” mesmo sem um fator de ignição.
    macamp wrote:
    6- Realmente demora… mas é apenas uma questão de encarar que deve ser ligada horas antes…. O segredo está na “carga” da geladeira…. isso mesmo… quanto mais abarrotada de produtos melhor ela funcionará…. uma geladeira agás vazia dá a sensação de que não está gelada…. isso porque a troca de calor é mais lenta…. quando vou viajar, coloco todos os produtos lá dentro e ligo-a no gás ou 12 ou 6 horas antes,.. quando chego no local ela está maravilhosamente gelada,.. sempre tomo minha primeira cerveja após descer as sapatas do trailer…. gelllladdaaa.

    Dessa eu não sabia. Vou por em prática. A minha opção era usar a geladeira 24h, mesmo quando o veículo estava guardado – o que só é possível graças à opção do GLP. Mas não tenho feito devido à dificuldade de repor o botijão.

    macamp wrote:
    Resumindo: Para mim as pessoas possuem uma experiência ruim com ela, já que não possuem paciência para encarar seu funcionamento e PRINCIPALMENTE os RVs não possuem a ventilação correta do sistema de dissipação de calor. A turiscar, por exemplo colocava a grade de ventilação lá em baixo onde existe a regiao de manutencao da resistencia…. mas falta uma lá em cima no dissipador.

    A arquitetura do nicho da Safari para a geladeira não é boa. Embora a chaminé dissipe o calor da chama-piloto, não atua sobre o calor gerado pelo dissipador externo, que fica retido no topo da geladeira prejudicando seu funcionamento. Um safarista melhorou o desempenho colocando ventoinhas 12v (de computador) para “soprar” o calor para fora, vou tentar fazer isso. Outra questão é que na Safari a chama-piloto não é protegida do vento, com o veículo em movimento ela apaga. Mas vejo a limitação até como medida de segurança. Embora a geladeira tenha dispositivo que corta o gás nestes casos, não convém facilitar.[hr]

    Odair Teixeira wrote:
    Marcão Outra coisa que me veio a cabeça tempos atrás e não me ocorreu comentar é sobre o risco de incendio, já que o Turiscar tem madeira pra caramba. Como a coluna do aquecedor da geladeira fica próxima, será que não é arriscado a temperatura subir e dar ponto de ignição? Lendo o manual da Consul, eles não recomendam o uso de Geladeiras a Gás em Motorhomes e Trailers. Acredite se quiser http://www.consul.com.br/documentos/consul/cqg22dbina/cqg22_manual.pdf Reduziram pela metade a chance de utilização deste equipamento, pensando desta forma. sds Odair

    Odair, A Geladeira “Consul Camping” tinha resistência elétrica e podia ser utilizada ligada na eletricidade ou no GLP. Ela não é mais fabricada. A geladeira “Consul Rural”, que continua disponível por encomenda, só tem o sistema de GLP. A Consul faz o alerta porque existem riscos no uso de GLP em um veículo em movimento. Eles podem ser minimizados, mas existem. A empresa precisa fazer o alerta no modelo Rural para não ser responsabilizada por problemas na geladeira advindos desse tipo de uso. Esse tipo de alerta é comum. Nas geladeiras de compressor vendidas para uso residencial, por exemplo, a garantia é invalidada se for comprovado que houve uso comercial.[hr]

    Matheus Silveira wrote:
    Anexei algumas fotos para que as pessoas que não conhecem o sistema possam conhecer, a segunda é a chapa que envolve a chama e na última destaquei o ouvido do gás. Abraços.

    Mateus, parabéns pela reforma. Vou me guiar pelo que li aqui e fazer igual. Você pode me informar o link do seu video ou canal no Youtube?[hr]

    macamp wrote:
    Compartilho com vocês as temperaturas na minha em Itu-SP com temperatura externa amena….. instalei dois termometros digitais com sensores remotos (por fio) um no congelador e outro no refrigerador. Os displays casaram muito bem com o painel da geladeira….. só conferirem nos mostradores a temperatura atingida….

    Marcão, onde eu posso comprar esses termômetros?[hr]

    Matheus Silveira wrote:
    Odair, Meu trailer preto esquenta um pouco sim, mas nada insuportável, com as janelas abertas ele ventila bem o que evita que ele fique muito quente, pintei ele de preto para não ter que fazer alterações junto ao Detran, mas pretendo fazer uma reforma geral um dia e pinta-lo de cor clara.

    Não esquenta pq vc circula pelo sul do país. No NE não vai suportar. Quanto ao Detran, é preciso apenas que haja uma cor predominante, ou seja, que cubra mais de 50% da superfície do veículo. Estude qual é a melhor combinação mas dê preferência em pintar o teto de cor branca ou prata, o que, inclusive, vai ajudar a geladeira. Mas… preto? O dono anterior era fã de Death Metal ou era funerário?[hr]

    macamp wrote:
    Coloquei 4 coolers 12v divididos em 2 circuitos (cada par) bem alí nas aletas de dissipação…. o resultado é muito eficiente principalmente no verao quentíssimo…. mas nao sei porque eles todos travaram (acho pq eram baratíssimos). estou pra trocar…

    Eles podem ter travado porque houve oscilação na energia. Talvez seja melhor consultar um profissional autoelétrico para evitar recorrência.

    #47023

    Olá Acrobata. Fico feliz de mais um que é a favor desta geladeira (odeio quando alguém chega de boca cheia dizendo: “A primeira coisa que fiz quando peguei meu RV foi jogar aquela m….. fora!!!”) Também já pude ver que algumas vezes ela não quer gelar como de costume… nao há explicação, mas até hj foram pouquíssimas. Acho dificil de ocorrer incêndio se deixarmos tudo bem revisado. quanto à carga da geladeira é bem verdade…. vazia ela perde o gelo todo só de abrí-la…. Acredito que o nicho da safari seja similar ao do 330. só nao entendi o lance da chama nao ser protegida… pq? nao cabe a última canopla de protecao? O matheus fez a dele.. ficou igualzinha à original… Os termometros sao comprados a preço de banana naquele famoso site da china. mas tem que ter paciência pra esperar…. bem mais do que demora pra gelar a geladeira…rs Nao sabia que oscilacao de 12V poderia travar as ventoínhas…. foi exatamente em um dia que acabou a luz no camping… nao baixou a carga da bateria, mas as vento;inhas estavam travadas… acho que farei o seguinte (me dêem suas opinioes): Mesmo sendo “silenciosas”, no silencio da noite o barulho delas irritava entao sempre desligo…. também de noite a temperatura é mais amena e a gente nao abre a geladeira por horas até o café da manha… entao pensei em colocar ventoínhas 110V, daquelas de microondas, que sao silenciosas e nao sofrerao com essa oscilacao, já que possuo estabilizador…. também parecem ser mais resistentes… daí o que farei será perder a opcao de uso quando nao tiver em camping com energia externa, mas por outro lado, neste caso estarei com a geladeira no gás, que gela muito melhor……

    #47025
    Anônimo
    Inativo

    Quem quiser jogar a geladeira a gás fora, por favor me avise que eu dou um jeito de recolher a M :D Eu já tenho uma segunda geladeira a gás que tencionava utilizar em casa, de forma estacionária. Me foi dada pelo Celso. Infelizmente, está com os encanamentos soltos e não sei se terei capacidade para consertar, pois os gazistas com quem conversei nem queriam vê-la. Parecia que eu estava falando de um OVNIs. Ela também sofreu um “acidente”: rolou dentro da Safari durante o transporte e a porta se soltou. Mas ela é menor que a da Safari. Para uso residencial, eu gostaria de uma com o maior tamanho possível. Porém ainda vou estudar se financeiramente essa utilização vale à pena. Sobre a canopla de proteção da geladeira da Safari, eu tenho, mas ela não foi suficiente para proteger a chama-piloto nas vezes em que circulei. De toda forma, acho mais seguro circular com o GLP fechado. Afinal, quando o motor do carro está em funcionamento não há problemas de abastecimento de energia elétrica, pois, no caso da Safari, a geladeira passa a ser alimentada diretamente pelo alternador. Sobre a oscilação da energia, aconteceu algo comigo que me fez suspeitar disso. Peguei duas caixas de som 12v, de computador e liguei na fiação que alimentava o meu ventilador 12v. Eles funcionaram perfeitamente, enquanto eu estava usando o motor do carro. Depois, quando liguei a eletricidade na rede externa, as caixas queimaram, embora a alimentação continuasse 12v. Não sei explicar, mas vi que antes do ventilador tem uma peça eletrônica, uma resistência ou algo assim, que provavelmente serve para protegê-lo do problema que vitimou as caixas.[hr] Ah, esse uso residencial não é nenhuma novidade. As geladeiras com ciclo de absorção de amônia eram muito utilizadas em quartos de hospitais. O barulho do compressor armando e desarmando poderia ser muito ruim para o repouso dos pacientes. Em hotel também era utilizada. Só que as geladeiras tradicionais evoluíram e o barulho do compressor e a trepidação diminuíram, tornando a relação custo x benefício da geladeira de absorção desvantajosa. Minha Safari já teve na chaminé algo que parecia um casulo de marimbondo vazio. Notem que é uma chaminé pequena que fica na lateral do veículo. Vou seguir a dica do Matheus e telar.[hr]

    Matheus Silveira wrote:
    Pintei o sistema da minha geladeira com Galvanização a Frio, é uma tinta um pouco mais cara mas o resultado parece valer a pena, uma latinha de 225ml pintou todo sistema, anexo tem uma foto da geladeira do meu tio que foi pintada com a mesma tinta e alguns anos depois continua igual, apresentou apenas cor de ferrugem em um lugar que ficou com pouca tinta. Abraços.

    Matheus, Como você fez para tirar a ferrugem dos encanamentos? Pelo que li no seu álbum, acho que você usou jato de areia, certo? Você mesmo fez este serviço ou contratou profissional? Precisa de um equipamento específico, correto? Onde se encontra este tipo de serviço? Não houve risco de romper o encanamento e a amônia vazar?

    #47026

    Só não recomendaria o uso da geladeira de amonia em casa com energia elétrica…. isso porque ficando ligada o tempo todo irá gastar em torno de 90kwh no final do mês. Meus pais há uns anos atrás compraram um frigobar de amonia (nao funcionava no gás, só eletrico) exatamente por ser silencioso e não perder aquele espaço inferior dos comuns onde fica o motor. Resultado: no final do mês a conta aumentou mais de 20%. Hoje eles só ligam em dia de festa, já que não têm costume de usar muito a sala. Agora…. eu tb quero que joguem as geladeiras no lixo lá de casa…. estou a disposição para receber as de quem nao quiser….

    #47027
    Anônimo
    Inativo
    macamp wrote:
    Só não recomendaria o uso da geladeira de amonia em casa com energia elétrica…. isso porque ficando ligada o tempo todo irá gastar em torno de 90kwh no final do mês.

    Minha intenção é usar no GN. No Rio é oferecido gás natural através de encanamentos que vem direto da distribuidora (CEG) para os apartamentos. Eu só teria que estender o encanamento que alimenta o fogão e trocar algumas peças da geladeira, tornando-a apta a trabalhar com gás natural, que tem menos caloria que o GLP.

    #47028

    Po.. aí fica ótimo…. e pra prever o gasto é só converter…. uma geladeira gasta no GLP um botijao de 13kg a cada 28 dias…. deve ser fácil saber em R$ qto irá gastar no GN.

    #47029
    Matheus S
    Participante

    Acrobata, este é o link do meu canal no YouTube http://www.youtube.com/user/campistadosul Meu trailer não chegou a ser funerário, mas o dono anterior tem uma empresa de segurança, por isso a cor preta. Referente a pintura de minha geladeira, a ferrugem foi tirada com jato de areia, meu tio já havia feito na dele e não teve problemas então fiz o mesmo, o serviço foi realizado em uma empresa aqui da minha cidade que trabalha com reforma de rodas de carro, o jateamento foi feito com areia fina que é utilizada também para jatear rodas de alumínio, acredito que poderá tem problemas de furar o sistema somente se o mesmo estiver muito enferrujado, aquela ferrugem cascuda que já compromete a peça, mas neste caso acredito que não se tem do que temer, pois se o sistema furar durante o jateamento é bem provável que acabaria furando naturalmente em pouco tempo pela ferrugem. Não sei te informar certo onde encontrarás o serviço de jateamento, mas pode ser que encontre em oficinas de chapeamento. Abraços.

    #47030
    Anônimo
    Inativo
    macamp wrote:
    Po.. aí fica ótimo…. e pra prever o gasto é só converter…. uma geladeira gasta no GLP um botijao de 13kg a cada 28 dias…. deve ser fácil saber em R$ qto irá gastar no GN.

    Andei pesquisando e acho que minha expectativa foi otimista demais. O valor não seria baixo, não. Andei pesquisando na rede. Vamos ver. 1 kg de GLP é equivalente a 1,26 m³ de GN. O P13, então, é equivalente a 16,38 m³ Preço médio do P13 no Rio: R$ 37,17 – 2,85 por kg. Preço do m3 de GN, classe residencial, da CEG para 16,8 m³: 0-7 = R$ 3,6969 8-23 – R$ 4,9205 Total da primeira faixa: 7m³ x R$ 3,6969 = 25,8783 Total da segunda faixa: 9,38m³ x R$ R$ 4,9205 = 46,154 Total cobrado de: R$ 72,0323 Ou seja, sai bem mais barato manter a Geladeira de absorção no GLP de botijão do que no GN residencial. Em estado líquido, 1 litro de GLP = 0,54kg 13/0,54 = 24,07 litros Preço do m3 de GN na minha faixa de consumo é de R$ 4,9205 1 m3 = 1000 litros grosso modo: 24,07/1000= 0,024m3 0,024 m3 = R$ 1,1845 a cada 28 dias.

Visualizando 10 posts - 11 até 20 (de 126 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

CLASSIFICADOS: