Mercado Caravanista Português em Queda.
 

A crise que atinge tudo em Portugal não deixa de afetar o caravanismo. Como todos sabem, a Europa é um enorme berço do campismo e caravanismo que conta com uma infra estrutura invejável a qualquer brasileiro.

Notícias de lá correm que o primeiro semestre de 2013 apenas 42 trailers foram emplacados. Este número representa uma queda de quase 40% em relação ao período do ano anterior, muito significativa para o mercado.

Em relação ao mês de junho, onde somente 7 trailers foram licenciados, a queda representa mais de 46%. Quanto às marcas, a famosa Hobby liderou o mercado com quase ¼ do mesmo, seguida pelas Bürstner e Elddis (7,1%) e pelas Caravelair, Knaus e LMC (4,8%). Juntas estas seis marcas representam 52,4% do Mercado.

Sobre motor homes, os números não são tão animadores, perfazendo apenas 6 unidades emplacadas em junho de 2013 (-45%), acumulando o total de 34 unidades no semestre.

Em Portugal, Trailers e Motor Homes novos representam 28,3% do total das negociações no ramo, ou seja, 71,3% da fatia fica para os veículos usados.

E o que tudo isto representa para os brasileiros? Apenas a importância de uma estatística oficial na fabricação e venda da atividade, o que não existe em terras tupiniquins. Algo bem parecido com o que existe no mercado automobilístico e que tanto ajuda nas estratégias para controle e crescimento do setor.

Marcos Pivari


 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”