Demolição Turiscar
 

Demolição da Fábrica da TuriscarMeus amigos, Essas são imagens que eu preferia nunca ter presenciado, foram tiradas em Junho do ano passado, por ocasião da demolição dos escritórios da empresa e prédio número 02, onde estavam o departamento pessoal no segundo andar, e também a área de montagem e finalização dos trailers maiores e motor-homes da Turiscar. Esses prédios foram desmanchados por conta da falta de manutenção acumulada por quase uma década de descaso com o imóvel, e também porque seu atual proprietário quer alugar toda a área para alguma concessionária de veículos, visto que boa parte delas se encontra nesse trecho. Estive no local no dia 26 de Junho, e pude presenciar o final da demolição do prédio principal (os escritórios já tinham sido demolidos, ficou somente a estrutura de madeira do piso), e conversando com o mestre-de-obras responsável pelo desmanche, ele afirmou categoricamente que tudo aquilo era uma verdadeira fortaleza, e que foi justamente o descaso que levou ao fim desses imóveis… Os escritórios eram todos feitos em madeira-de-lei, e usavam a mesma construção dos trailers, ou seja, eram revestidos de material isolante entre as paredes, no forro e até no assoalho, tudo em madeira nobre (boa parte dela revendida pelo atual dono). Ficaram de pé o primeiro pavilhão construído (no fundo do terreno, visto da BR-116) e o terceiro, onde se concentrava o grosso da produção. Segundo Seu Pedro, tanto os escritórios quando esse segundo pavilhão demolido foram desenhados e executados por um famoso arquiteto de Novo Hamburgo, que era especialista em madeira, hoje já falecido, daí a preferência em concordar com o seu projeto, que deu cara nova à empresa. Ambos escritório e segundo pavilhão foram projetados e executados em 1969 e 1970, e o terceiro prédio só veio a ser construído em 1979, quando foi necessária uma ampliação do parque fabril. Ficam as imagens dessa “derrubada”, com a guarita de segurança fechando o conjunto… Espero que os futuros inquilinos possam ter a sorte e a felicidade de aproveitar bem esse grande espaço,e que ainda possam manter alguns resquícios da maior fábrica de trailers que já houve na América Latina.

Artigo escrito por Mário César Buzian / Matilde Scheid

 

COMPARTILHAR
CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."