Publicidade:
 

Que Elon Musk não veio ao mundo a passeio isso já sabemos. Além da Tesla e da corrida espacial contemporânea, o sul-africano naturalizado nos EUA protagoniza uma das maiores revoluções na comunicação de internet via satélite – A STAR LINK. Com números muito próximos da fibra óptica das grandes cidades, a internet pode não só ser acessada de qualquer lugar (aberto) do mundo como também possui pequena antena parabólica totalmente automática que busca a melhor opção na constelação de satélites que estão sendo lançados pela SpaceX. Apesar de custar caro para um usuário comum ainda mais em regime de lazer, a solução de “cafundó” pode não passar muito dos valores de internet via satélite de baixa banda e até mais em conta que soluções profissionais ou do agronegócio. Mas quando chegará para os caravanistas?

A Starlink mal chegou no Brasil, mas já funciona para testadores beta e já vem ganhando homologações da ANATEL. Oficialmente funciona em cidades de SP, SC, PR, RJ e MG. [Confira mapa atualizado] O equipamento que pode beirar os R$ 11.000,00 tem o preço salgado, pois recebeu tributos generosos do governo brasileiro. Mesmo assim, ainda é quase três vezes mais barata que uma opção de antena parabólica de TV automática para motorhomes no nosso mercado. Já o plano mensal que custa US$99,00 pode chegar aos mais de R$ 800,00 com os tributos tupiniquins. Como o foco nesta primeira fase ainda é o uso em área rural, não há opção de antena embarcada (específicas para RV’s). De qualquer forma, o kit de antena de Elon Musk é pequeno, prático e busca os satélites sozinha após sua montagem.

ANTENA: Há duas versões de parabólicas divulgadas no mundo, ambas com pratos “limpos” sem braço de LNB. A Redonda, mais antiga da linha, foi a homologada pela Anatel. Conta com 7,3kg com diâmetro de 58cm (quase a mesma das Sky). Já a de segunda geração que pesa menos (4,2kg) e tem prato menor e retangular (50cm X 30cm) ainda não deu sinais de aportar por aqui.

ROTEADOR: Assim como a antena, o roteador de primeira geração que é compatível com ela, também foi homologado pela agência Nacional de Telecomunicações. Trabalha distribuindo o sinal para o Wifi privado em 2,4GHz e 5GHz. A ligação é direto na Tomada AC sem uso de fonte.

MOTORHOMES E RV’s: A Starlink ainda não possui uma antena dedicada ao uso com o veículo em movimento, mas já declara estar trabalhando para isso. Não deverá ser difícil, já que testes amadores na gringa já fizeram a antena residencial funcionar em movimento. Já estacionados, é um sucesso só batendo a casa dos 100Mbps e 200Mbps com PINGs baixíssimos. Para poder utilizar o kit da Starlink em cada parada diferente da viagem, existe a permissão. O serviço é chamado de “portabilidade” e considerado como um “recurso complementar”. Como nada é de graça, no Brasil o “plus” sairá por mais R$ 125,00 mensais e aquela estação fora do domicílio principal terá menor prioridade de tráfego do quer as demais do local

Iai, curtiu? Você estaria disposto a investir no equipamento e na mensalidade para ter internet de hiper qualidade acampando?

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. "O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here