Detalhe da grade, bandeja e chama. | Foto: Marcos Pivari - MaCamp
 

Família e amigos reunidos na pequena vila de barracas. Gramado sombreado, bebidas geladas e papo rolando solto até que bate aquela fome. Ninguém precisa ir pra cozinha… a cozinha está ali mesmo ao alcance de todos. Cozinhar no camping é, sem dúvida, uma prática tão desejada quanto passar alguns dias em meio à natureza com apenas a barraca separando o campista do céu estrelado. O Fogareiro nesta hora é o protagonista.

Desde muito antigamente o fogareiro é um dos mais importantes equipamentos do campismo familiar, depois é claro dos itens essenciais como a barraca. É ali que se preparam as refeições com gostinho de “casa na natureza”. Dos antigos fogareiros que iam acoplados diretamente no botijão de gás aos de duas bocas – miniaturas dos fogões residenciais. A tecnologia andou inventando novidades, compactando suas dimensões, tornando-os leves e com uma concepção bem específica à prática. O Duo Ceramik da Nautika é do tipo “horizontal” que reúne características de conforto nos acampamentos mais equipados e leveza até mesmo para alguns acampamentos de aventura. O modelo foi enviado pela Nautika especialmente para a avaliação do MaCamp.

Resumidamente, o fogareiro horizontal reúne as vantagens de um equipamento bem leve e compacto, mas que também oferece um bom apoio para as panelas sem grandes riscos de tombamento. O título “DUO” se refere a outra grande vantagem de ser utilizado ou com cartuchos de gás muito compactos e leves ou mesmo na opção de um botijão de gás convencional através de mangueira que garante durabilidade e economia. Por fim o mais vantajoso de todos os modelos horizontais, o “CERAMIK” cujo queimador é bem diferente da tradicional, sendo composto em alvéolos de cerâmica que não deixam o vento apagar, dispensando abas laterais.

Já no “unboxing” conferimos o manual de instruções e o fogareiro com a bandeja invertida para a guarda no estojo plástico. O fato da grade do fogão ser “retirável” não é vantajosa apenas para caber no estojo, mas também por ser fácil de lavar após algum uso maior. O equipamento acompanha um protetor de plástico duro e transparente para não estragar a boca cerâmica e traz uma mensagem bem alerta e visível da necessidade da sua retirada. Apesar de poder ser descartado, nós resolvemos usá-lo sempre que guardado para transporte.

A instalação do gás é simples. Para usar o cartucho basta abrir o compartimento e encaixá-lo com cuidado. O cartucho é um spray sem aquela peça plástica de apertar. É só apontá-lo no orifício indicado deixando o rasgo no anel superior a fim de encaixa-lo na aleta móvel. Aí é só abaixar a alavanca do painel frontal do fogareiro. O Correto é ouvir um breve vazamento de gás e logo o estanque. É legal ficar de ouvidos para ver se o vazamento persiste. Para retirar o cartucho, basta mover a mesma alavanca para cima que a aleta se ocupará de afastar o recipiente. Para usar um botijão externo convencional, é preciso desconectar o cartucho, pegar o adaptador que fica guardado dentro do fogareiro abaixo da bandeja e rosqueá-lo com a tampa do compartimento FECHADA. A mangueira do botijão com suas devidas conexões deverá ser ligada neste adaptador com a aplicação de uma abraçadeira. O equipamento já possui um sistema que não permite que ambas as fontes de gás sejam misturadas ou usadas ao mesmo tempo.

No dia das fotos nós já havíamos utilizado o fogareiro várias vezes antes, tanto acampando de barraca quanto de trailer. Inclusive este equipamento é muito útil para se usar como “cozinha externa” no veículo de recreação.

A caloria do sistema cerâmico parece ser mais uniforme e forte. A grade do fogão também é uma bandeja de derramamento e é facilmente retirável. Utilizamos diversas panelas com sucesso, menos uma cafeteira mais fina, cuja grade infelizmente não serviu. Apesar de já popular, o sistema de acendimento automático é um ótimo luxo ao dispensar isqueiros ou fósforos.

Faísca. | Foto: Marcos Pivari – MaCamp

Ele funciona no final do curso do botão dosador de gás. É só girar no sentido anti-horário até o máximo que será dada a faísca. Como o fogareiro é cerâmico, além da faísca, o equipamento possui um bico que lançará temporariamente uma chama sobre a “colmeia”. No mesmo instante ela pega fogo e em poucos minutos a boca já estará incandescente.

“start” do fogo. | Foto: Marcos Pivari – MaCamp

Após o acendimento, você pode regular a intensidade da chama como quiser através do botão. O consumo médio declarado pela Nautika é de 145g de gás por hora, mas isto poderá variar muito de acordo com o seu uso particular. Um Cartucho de Campgás possui em média 230g o que daria mais ou menos uma hora e meia de fogo. Com o botijão de gás essa autonomia subirá de 13 horas (2kg), 34 horas (5kg) e até quase 90 horas de fogo em um botijão convencional de 13kg. No caso do nosso teste o cartucho durou por volta daquela “hora e meia” mesmo.

O equipamento pesa em torno dos 2,3kg, com o estojo. Mede 36cm X 33cm e altura de 10cm no volume para carregar. Na data deste review o equipamento custava R$ 180,05 na loja oficial da Nautika, mas o preço na internet beirava os R$ 150,00 em lojas online.

REVIEW – PRODUTO E LOCAL: Este equipamento foi enviado pela NAUTIKA que confiou no know-how do MaCamp para testar seus produtos na seção de Reviews. Os testes e fotos foram realizados no Camping Chapéu de Sol em Itu-SP, em parceria com o MaCamp.


 

 

COMPARTILHAR

CEO e Editor do MaCamp | Campista de alma de nascimento e fomentador da prática e da filosofia. Arquiteto por formação e pesquisador do campismo brasileiro por paixão. Fundador do Portal MaCamp Campismo sonha em ajudar a desenvolver no país a prática de camping nômade e de caravanismo explorando com consciência o incrível POTENCIAL natural e climático brasileiro. “O campismo naturaliza o ser humano e ajuda a integrá-lo com a natureza.”